Chuvas retornam ao Estado e oferecem melhores condições de plantio, segundo boletim

As chuvas retornaram ao Paraná no último fim de semana e estenderam-se por boa parte das regiões produtoras. Com isso, o plantio de algumas culturas, entre elas a soja, ganha novo ritmo. A análise está no Boletim de Conjuntura Agropecuária referente à semana de 1º a 7 de outubro. O documento é preparado pelos técnicos do Departamento de Economia Rural (Deral), da Secretaria de Estado da Agricultura e do Abastecimento.

 

No caso da soja, principal cultura de verão no Paraná, ainda que o solo bastante úmido possa dificultar a movimentação do maquinário na lavoura, o avanço no plantio já pode ser percebido. Na semana passada, o levantamento dos técnicos apontava semeadura em 407 mil hectares, o que representava 7% do total de área estimada na safra 2021/22.

 

Agora, as sementes estão distribuídas em pelo menos 918 mil hectares, ou 16% da área. No mesmo período em 2020, esse total era de 430 mil hectares, ou 8% da área estimada. Além de devolver parte da umidade necessária para o plantio em algumas regiões, as chuvas ajudam para que as lavouras tenham um bom desenvolvimento. Com isso, os produtores de soja do Estado renovam as expectativas de boa produtividade na safra.

 

MANDIOCA E FEIJÃO – As chuvas intensas e abrangentes também beneficiaram as regiões produtoras de mandioca. Os trabalhos de colheita e de plantio são retomados conforme as condições de solo possibilitam a entrada de máquinas e caminhões. Devido à longa estiagem, na última semana houve o menor volume de esmagamento de mandioca nas indústrias e algumas até paralisaram as atividades momentaneamente.

 

No caso do feijão, o boletim de conjuntura da semana passada apresentava plantio em 37% da área estimada, ou 52 mil hectares. No desta semana, também em função da chegada da chuva, avançou-se para 78 mil hectares, o que representa 56% da área, e cresce a expectativa de que a safra seja boa.

 

MILHO E TRIGO – O plantio do milho de primeira safra está em 75% da área estimada para o ciclo 2021/22, preenchendo em torno de 314 mil hectares. O volume é dez pontos porcentuais superior ao observado no mesmo período da safra anterior, quando a área semeada era de 232 mil hectares.

 

O documento do Deral aponta que a colheita de trigo chegou a 58% da área. Com esse volume, o Paraná já tem trigo disponível em excedente para o consumo nacional mensal, estimado em um milhão de toneladas. A disponibilidade alia-se à importação mensal de 550 mil toneladas, o que garante alternativas para os moinhos.

 

TOMATE E FRUTAS – A primeira safra do tomate também é assunto do boletim agropecuário da semana. Neste ciclo, a área destinada à cultura é de 2,4 mil hectares, um recuo de 3% em relação ao plantado em 2020. No entanto, a produção deve ter acréscimo no mesmo porcentual, chegando a 150 mil toneladas.

 

Sobre frutas, o registro é da colheita de 254,3 milhões de toneladas pela China em 2019 (fonte: FAO). O país destinou 16,6 milhões de hectares para a fruticultura representando 16% da área mundial e contribuiu com 26,3% da produção.

 

PECUÁRIA E MEL – Técnicos do Deral citam, ainda, a queda de 2% no preço da arroba bovina, que vinha em ascensão. A justificativa apresentada é a detecção de dois casos da doença da vaca-louca, observados em Minas Gerais e Mato Grosso.

 

A apicultura também é abordada com detalhes ao se analisar o crescimento em 20,2% no volume de exportação e de 106,5% em faturamento, no período de janeiro a agosto deste ano. O Paraná continua na condição de terceiro maior exportador de mel in natura. (Com AEN)

 

 

 

Sicredi Grandes Lagos realiza dia 11 sorteio da promoção Sorte Premiada

No dia 11 de outubro a Sicredi Grandes Lagos PR/SP fará um sorteio especial da promoção “Sorte Premiada 2021” em celebração ao Dia das Crianças. Serão sorteados mais 22 cartões pré-pagos no valor de R$ 3 mil cada, no terceiro sorteio da campanha que começou em fevereiro. Pela promoção, os associados que investem a partir de R$ 100,00 na poupança, e que adquirem outros produtos e serviços da cooperativa como consórcios, seguros, previdência privada e outros investimentos, recebem cupons para concorrer ainda a um RDC (Recibo de Depósito Cooperativo) de R$ 33 mil no aniversário da Sicredi Grandes Lagos, no dia 2 de dezembro, e a uma Ford Ranger zero quilômetro no dia 30 de dezembro.

 

O presidente da Sicredi Grandes Lagos, Orlando Muffato, enfatiza que a promoção “Sorte Premiada” funciona como um incentivo ao hábito de poupar do associado e contribui para a realização de sonhos de forma natural. “Poupar sempre é importante. A aplicação em poupança ou em outros produtos de investimento é uma opção para quem está organizando o orçamento e pretende guardar recursos que não onere seu orçamento financeiro. Quem tiver cupons deve depositar na urna da campanha da sua agência de atendimento e ficar na torcida, pois o sorteio será realizado simultaneamente às 15 horas em todas as agências participantes da cooperativa”, informa.

 

Benefícios para associado e comunidade

 

Todo recurso aplicado em poupança no Sicredi é reinvestido na própria comunidade, ajudando a fomentar, por exemplo, o crédito rural. Um ciclo virtuoso que garante geração de emprego e renda nas áreas de atuação da cooperativa. Além disso, ao se associar no Sicredi o poupador integra um modelo de negócio com gestão participativa, e também é beneficiado pela participação nos resultados da cooperativa e, no caso do Sicredi, ainda concorre a prêmios. O regulamento completo e os detalhes sobre a promoção “Sorte Premiada” por ser consultado no site www.sicredi.com.br/promoções.

População pode acessar documentos do Arquivo Público do Estado

Pesquisadores e a população em geral podem ter acesso ao acervo do Departamento de Arquivo Público do Paraná (Deap), que agora destaca um item periodicamente por meio do projeto “Documento do Mês”. O intuito é e divulgar pesquisas importantes que ajudam a contar a história do Paraná e, em alguns casos, do Brasil. Outro objetivo é trazer pesquisadores mais perto desses documentos.

 

“Quando pensamos na elaboração deste projeto, tivemos como objetivo divulgar paulatinamente o vasto e rico acervo existente no Departamento de Arquivo Público do Paraná, cujo recorte temporal é do final do século XVII até o início do século XXI, e possui inúmeras curiosidades e informações que dialogam com a história regional e nacional”, disse a diretora Isabela Resende Damiani.

 

“Acreditamos que os pesquisadores possam encontrar novas possibilidades para suas investigações, assim como os membros da comunidade podem se identificar com as informações e aumentar o seu conhecimento sobre o Arquivo Público em si, além da própria história local”, afirmou Isabela.

 

Criado em julho deste ano, o projeto já divulgou documentos que contam um pouco da história do Farol da Ilha do Mel e sobre o atletismo brasileiro juvenil, com notas feitas pelo professor de Educação Física Germano Bayer, que atuou no Colégio Estadual do Paraná e dedicou-se ativamente à educação básica do Estado.

 

Divulgou também conteúdo sobre a Ilha das Cobras, situada na Baía de Paranaguá, e sua importância como ponto estratégico para combater a entrada de epidemias na Província pelo Porto de Paranaguá.

 

MIS-PR inaugura sala interativa com estética dos anos 80 e 90
O Arquivo Público foi criado em 1855, tendo seu nome alterado algumas vezes e passado por diferentes secretarias do Estado, pertencendo hoje à Secretaria estadual da Administração e da Previdência. Atualmente, além de reunir a documentação referente à memória do Poder Público, tem a responsabilidade de executar a administração da política relativa ao patrimônio documental do Estado.

 

“Sabemos da importância fundamental da conservação desses documentos e como são importantes para contar a história do Paraná. O objetivo é que o acesso às informações de interesse da administração pública e do cidadão seja rápido e seguro”, ressaltou o secretário da Administração e Previdência, Marcel Micheletto.

 

ACESSO – Para visualizar o projeto “Documento do Mês”, acesse este SITE.

 

O Deap fica em Curitiba, na Rua dos Funcionários, 1796, no bairro Cabral, e está aberto para atendimento ao público de segunda-feira a sexta-feira, das 9h às 12h e das 13h30 às 17h. O atendimento ocorre de forma remota e presencial.

 

O interessado pode entrar em contato por telefone ou e-mail (Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.| Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo. | (41) 3352-2299) ou ir pessoalmente ao Arquivo Público. Para pesquisar presencialmente é necessário agendar previamente, via e-mail. (Com AEN)

 

 

 

Paraná alcança 5,6 milhões de pessoas totalmente imunizadas contra a Covid-19

Com o avanço da vacinação em todas as regiões do Estado, o Paraná chega à marca de 5,6 milhões de pessoas totalmente imunizadas contra a Covid-19, com a segunda dose (D2) ou dose única (DU), ultrapassando 64,6% de cobertura em adultos. Com 14 milhões de doses aplicadas desde de 17 de janeiro, 98,6% da população com mais de 18 anos, estimada em 8.720.953 pessoas, tomou ao menos uma dose ou a dose única.

 

Ao todo, foram aplicadas 8.275.359 D1, 5.314.711 D2 e 324.439 DU. Os dados são da base do Programa Nacional de Imunizações (PNI) na plataforma Localiza SUS, do Ministério da Saúde. Há, ainda, um quantitativo com registro pendente no sistema.

 

“Cada vacina aplicada é motivo de alegria para todos nós. Estes números representam o trabalho incansável das equipes municipais e de todos os profissionais do Governo do Estado na missão de salvar vidas. Estamos vencendo batalhas, mas ainda não ganhamos a guerra. Precisamos manter os cuidados e continuar vacinando para que em um futuro breve possamos comemorar o fim desta pandemia”, afirmou o secretário de Estado da Saúde, Beto Preto.

 

O Paraná é um dos estados mais avançados na imunização, segundo o consórcio dos veículos de imprensa. Os estados com maior porcentagem da população imunizada (com D2 ou DU) são: São Paulo (59,48%), Mato Grosso do Sul (59,01%), Rio Grande do Sul (51,31%), Paraná (47,25%) e Espírito Santo (46,22%).

 

MAIS DADOS – O avanço da vacinação contra a doença reflete diretamente nos índices de infecção e internamento em decorrência da contaminação pelo vírus Sars-CoV-2.

 

No pico da pandemia no Paraná, registrado em março deste ano, 6.385 pessoas morreram em consequência da Covid-19. Desde junho, estes números têm baixado, chegando a 1.155 óbitos em setembro, uma redução de 81% em seis meses.

 

Já com relação aos casos, o maior número de confirmações durante a pandemia foi em maio, quando o Estado registrou 193.404. Em setembro, 50.088 pessoas foram diagnosticadas com a doença, uma diminuição de 74%.

 

O número de internações e ocupações de leitos exclusivos para atendimento a pacientes infectados também teve queda. Em 31 de março, o Paraná somava 4.712 leitos exclusivos nas quatro macrorregiões. Destes, 4.060 estavam ocupados. Dentre os 1.816 de UTI, 94% eram utilizados, e dos 2.896 de enfermarias, 81% estavam ocupados. Na época, 735 pessoas ainda aguardavam na fila por um leito exclusivo.

 

Cenário bem diferente do registrado nesta quarta-feira (6), quando, segundo a Regulação Estadual de Leitos, o Paraná somou 3.211 leitos, com 1.247 pacientes internados. Atualmente, o Estado possui 1.510 UTIs, 50% ocupadas, e 1.701 enfermarias, 29% utilizadas. Há 39 pessoas no Estado aguardando transferência.

 

Beto Preto reforçou que a queda nos indicadores confirma a eficácia das vacinas. “Não há dúvidas de que os imunizantes protegem contra a infecção pelo vírus e minimizam o agravamento do quadro clínico, o que evita internamentos e mortes. Essa pequena minoria de menos de 2% que ainda não se vacinou deve procurar uma unidade de saúde e garantir sua dose”, disse.

 

Vacinação e investimentos para conter a pandemia são destaques da Saúde
SEGUNDAS DOSES – Somente nos seis primeiros dias de outubro, 235.483 segundas doses ou doses únicas foram aplicadas no Estado, uma média de 32 pessoas por minuto.

 

Considerando o intervalo entre a D1 e D2 de imunizantes como a AstraZeneca e Pfizer/BioNTech de oito a 12 semanas, respectivamente, nos dois últimos meses o Paraná registrou grande aumento de pessoas imunizadas contra a doença. Entre julho e setembro, a soma de segundas doses aplicadas cresceu 89,6%. (Com AEN)