Alimentos que parecem saudáveis mas não são

Muitas pessoas preferem consumir o peito de peru em vez de outros embutidos como presunto ou mortadela por achar que é uma opção mais saudável, mais light ou fit. "Prefiro peito de peru ao presunto normal porque é bem mais leve e, pelo que leio, tem menos sódio e menos gordura.

 

Na hora de comprar, também prefiro produtos integrais pois contem mais fibras, que vão ajudar na digestão. Como eu já tenho colesterol alto, sou pré-diabética e tenho hipertensão, tenho que ter muito cuidado com a alimentação", conta a auxiliar de enfermagem, Silvéstria Ferreira.


É comum que produtos ultraprocessados como o peito de peru e a bolacha integral sejam classificados como saudáveis. No geral, produtos com acréscimo de conservantes, estabilizantes, corantes, edulcorantes e aromatizantes, e também com excesso de gordura vegetal hidrogenada, açúcar e sódio, não são saudáveis, pois podem trazer consequências negativas para a saúde. O alerta é do manual Alimentação Cardioprotetora, do Ministério da Saúde, em parceria com o HCor (Hospital do Coração).

 

Alimentos que parecem saudáveis mas contém aditivos químicos

 

Na avaliação da nutricionista da ACT Promoção da Saúde, Mariana Claudino, o consumo de alimentos ultraprocessados deve ser evitado tanto por indivíduos em risco cardiovascular quanto por indivíduos saudáveis. Esses alimentos contém um número elevado de ingredientes e, sobretudo, ingredientes com nomes poucos familiares como os aditivos químicos.

 

"Carnes processadas como presunto, salsicha, salame e o próprio peito de peru contém os conservantes nitrito e nitrato de sódio. Quando há um grande consumo dessas substâncias, pode-se aumentar a formação de nitrosaminas, compostos químicos que causam reações tóxicas no organismo e podem favorecer o surgimento de câncer", explica a especialista.

 

Segundo ela, o consumo indiscriminado de aditivos químicos também pode provocar o surgimento de outras doenças. "Há estudos que relacionam o consumo de aditivos com o câncer, com doenças de Parkinson e de Alzheimer, além de resistência insulínica e hipertensão", completa.

 

Mariana alerta para os perigos associados ao consumo excessivo de glutamato monossódico, muito presente em diversos dos produtos processados. "Além de danificar as células, o excesso de glutamato monossódico está relacionado ao aumento da pressão arterial, resistência à insulina, obesidade, depressão, enxaquecas crônicas e lesões oculares", expica.

 

Já a bolacha, apesar de ser nomeada como integral, contém aditivos químicos, açúcares e gordura. A nutricionista alerta para o fato de o ingrediente farinha de trigo aparecer em primeiro lugar, antes mesmo da farinha de trigo integral – o que não justificaria ser nomeada como integral. "Além disso, o produto contém açúcar e açúcar invertido, que é uma espécie de xarope produzido a partir do açúcar, e emulsificantes, que favorecem o aumento do colesterol e a dislipidemia", ressalta a especialista.

 

Sal, açúcar e gorduras

 

O consumo excessivo de ingredientes como sal, açúcar e gorduras pode provocar efeitos desconhecidos na saúde, especialmente de indivíduos com fatores de risco cardiovascular. Mas, se usados com moderação em preparações culinárias baseadas em alimentos in natura ou minimamente processados, podem tornar mais saborosa a alimentação sem que fique nutricionalmente desbalanceada.

 

A nutricionista listou 9 alimentos que parecem saudáveis, mas não são:

 

Embutidos (como presunto e peito de peru)

Biscoitos e/ou bolachas integrais

Barra de cereal

Sopa instantânea

Pão de forma light

Suco de caixinha

Chocolate diet

Pipoca para micro-ondas

Farinha láctea

A especialista reforça para sempre ler a lista de ingredientes no rótulo para saber se o alimento é ultraprocessado ou não. (Com Saúde Brasil)

 

 

 

Hashtag: |
Lavar o cabelo todo dia é prejudicial? Saiba quais cuidados ter com os fios

Cuidar dos fios é essencial para deixá-los sempre fortes, saudáveis e bonitos. Mas será que a lavagem diária pode atrapalhar? Veja dicas e não erre mais.


Pessoas que transpiram em excesso no couro cabeludo e ficam com os fios sujos com frequência entram em um conflito baseado na crença popular de que lavar o cabelo todo dia pode ser ruim para a saúde capilar – e, muitas vezes, por conta disso, deixam de lavá-lo.

 

Para desmistificar esse conceito de que lavar o cabelo todo dia é ruim, a dermatologista Claudia Marçal, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia, explica que, desde haja necessidade, não há nenhum problema, "principalmente para quem tem fios oleosos, trabalha em contato com poluentes ou ambientes de exposição ambiental contínua, ou pratica atividade física constante”.

 

A profissional ainda ressalta que é importante utilizar produtos de qualidade e intercalar a rotina com fórmulas mais neutras e itens compostos à base de extratos vegetais . Afinal, com cuidados básicos no dia a dia, é possível deixar as madeixas sempre lindas e brilhantes com tratamentos simples que podem ser feitos, inclusive, em casa.

 

Para quem tem fios mais longos, a dica é usar bons condicionadores, reparadores de pontas e loções do tipo leave in e sérum. Eles ajudam a evitar as agressões do dia a dia e a desidratação. “Muitas vezes, a falta da lavagem mais contínua nestes casos predispõe à dermatite seborreica com prurido (coceira), descamação e queda capilar”, detalha a médica.


Por outro lado, há quem acredite que lavar duas vezes, diariamente, é uma alternativa para eliminar ainda mais as impurezas, mas isso não é recomendável.

 

Como lavar o cabelo todo dia sem erros


No processo de lavagem é fundamental não utilizar água quente, pois ela estimula a oleosidade e resseca os cabelos.

 

“É importante aplicar o xampu apenas uma vez e o condicionador somente no comprimento dos fios, para evitar que haja ressecamento das hastes capilares. Os produtos de coloração transparente, menos viscosos, com extratos vegetais, são os mais adequados”, afirma a dermatologista.

 

Durante a lavagem, a pessoa precisa ter cuidado para não deixar restos de produtos no cabelo e, dessa forma, deixá-lo sem movimento. Portanto, a dica é enxaguar bem. Em seguida, antes de secar com o secador, deve-se aplicar um protetor térmico. A secagem é obrigatória antes de dormir. Isso porque deitar com os fios molhados é prejudicial à saúde capilar.

 

Dicas de ouro para ter os cabelos sempre bonitos


Lavar o cabelo da forma adequada é importante, mas não é apenas isso que garante fios saudáveis e brilhosos. Alguns cuidados extras são necessários já que, como explica a especialista em estética e dermocosmetologia Domenique Ferreira, as madeixas passam por uma série de agressões, como produtos químicos e poluição.

 

Dessa forma, ter um tempo para hidratá-las é muito importante. “Encontre uma máscara que serve para manter o seu cabelo nutrido e hidratado, que seja condizente com o seu tipo. Você não pode esquecer-se de usar um sérum para evitar danos e o surgimento de pontas duplas”, ressalta Domenique.

 

Além disso, quando possível, tente dar uma pausa nos aparelhos que secam , além das chapinhas. Afinal, o uso contínuo destes equipamentos causa danos - só não se esqueça de não dormir com os fios e couro cabeludo molhados. Deixe, de tempos e tempos, as madeixas secarem naturalmente, seja se você é adepto de lavar o cabelo todo dia ou menos vezes por semana. (Com Delas - iG)

 

 

 

Hashtag: |
Cura para todos os males? Toque com a língua no céu da boca e respire

O médico Andrew Weil revelou os reais benefícios para a saúde de uma técnica simples de respiração denominada de ‘4-7-8’ – que não requer tempo ou equipamento – e está incentivando ativamente para que todos os indivíduos a adotem.

 

Basta tocar com a língua no céu da boca e inspirar, sustentar a respiração por um breve momento e expirar.



O médico formado na Universidade de Harvard, nos Estados Unidos, é o pioneiro deste exercício simples, descrevendo-o como um “tranquilizante natural para o sistema nervoso” e garante que é capaz de reduzir rapidamente a tensão.

 

“Esta atividade diminui a frequência cardíaca, a pressão arterial, melhora a digestão e trata-se de uma medida bastante eficaz contra a ansiedade, aliás muito mais benéfica do que algumas drogas tomadas para aliviar essa condição”.

 

O exercício é especialmente bom para as pessoas que têm dificuldade em dormir à noite já que ajuda o corpo a relaxar – e deve ser repetido quatro vezes e pelo menos duas vezes por dia, durante o primeiro mês.

 

 

Após se familiarizar mais com a técnica, poderá então segundo o médico aumentar para ciclos de oito respirações. Porém, Weil alerta que tal deverá ser o número máximo de repetições.

 

Para um efeito ótimo, o médico refere dá recomendações.

 

“É aconselhável que desacelere o exercício, a única coisa que o limita é por quanto tempo consegue suster a respiração, mas à medida que praticar fica mais fácil”.

 

“E após praticar por quatro a seis semanas poderá então começar a usá-lo para uma variedade de situações. Por exemplo, se alguém disser algo que o deixe irritado, experimente fazer este exercício antes de reagir”.

 

 

 

Hashtag: | | |
Ser sempre jovem? Veja 5 benefícios de comer avelãs

Entre as muitas variedades de frutas secas, a avelã é, sem dúvidas, uma das mais apreciadas.

 

Poucos, no entanto, conhecem as propriedades destas sementes e os seus benefícios.

 


1. Para ossos mais saudáveis

 

As avelãs são uma excelente fonte do nutriente conhecido por manganês. Apenas uma porção de avelãs pode fornecer até 87% da dose diária recomendada.

Pesquisas sugerem que o manganês, em combinação com outros nutrientes, pode contribuir para melhorar a densidade mineral dos ossos – reduzindo assim o risco de aparecimento de condições como a osteoporose e dores nas articulações.

 

2. Promovem a saciedade

 

“Como a maioria dos frutos secos, as avelãs são altamente densas em nutrientes”, explica a especialista em dieta Rachel Fine à publicação Elite Daily. “Sobretudo porque são ricas em gorduras saudáveis monosaturadas, tais como ácido linoleico, ômega 3 e ômega 6”.

Estas gorduras, juntamente com a fibra que contêm, promovem a sensação de saciedade e reduzem a fome.

 

 

3. Melhoram a saúde do coração

 

As avelãs são ricas em ômega-9, que contribui para o aumento do chamado bom colesterol HDL e para a redução do mau colesterol ou LDL. Isso ajuda a prevenir a acumulação de placa nas artérias, daí diminuindo o risco de ataque cardíaco, enfarte e de outros problemas coronários.

 

 

4. Protegem a saúde da população mais idosa

 

Uma equipe de pesquisadores na Universidade de Oregon State, nos Estados Unidos, revelou que consumir avelãs ajuda a melhorar os níveis de vitamina E e de magnésio no organismo sobretudo dos indivíduos mais idosos.

Estes nutrientes estão associados a uma menor probabilidade de desenvolvimento de vários tipos de demência, como Alzheimer.

 

5. Previnem a danificação das células

 

As avelãs são uma ótima fonte de antioxidantes, que são “compostos que protegem contra a oxidação celular”, de acordo com a publicação Medical News Today. “Reduzem a extensão da danificação das células devido à presença de radicais livres”.

 

 

 

Hashtag: | |
Saiba todos os efeitos do sódio em quem sofre de pressão alta

Sedentarismo, fumar e obesidade são todos fatores que contribuem para a incidência de hipertensão, enquanto ter uma deita saudável ajuda a reduzir naturalmente a pressão alta.


Mas afinal, que alimentos devem ser evitados para diminuir o risco de sofrer do mal?

 

Segundo os especialistas, o sal deve ser cortado imediatamente.

 

O consumo de sal faz com que o corpo armazene água em excesso, o que por sua vez eleva a pressão arterial. Mais ainda, os alimentos ricos em sódio podem pressionar outros órgãos.

 

 

Inúmeras pesquisas sugerem ainda que o excesso de sódio no organismo pode impedir que a medicação tenha o efeito desejado.

 

De acordo com o Serviço Nacional de Saúde Britânico (NHS), os adultos não devem consumir mais de seis gramas de sal por dia (2,4 gramas de sódio) – o que equivale a cerca de uma colher de chá.

 

Ter a pressão alta danifica as artérias, tornando-as mais duras e estreitas, o que consequentemente aumenta exponencialmente o risco de ataque cardíaco e de enfarte

 

A NHS indica seis métodos para reduzir o consumo de alimentos com alto teor de sódio:

1. Verifique os rótulos das embalagens.

2. Limite a ingestão de alimentos defumados.

3. Evite comer vegetais embalados ou em lata.

4. Não coma molhos pré-prontos.

5. Faça lanches saudáveis (opte por fruta, frutos secos ou bolachas de água e sal).

6. Evite usar condimentos salgados (molho de soja, mostarda, pickles, maionese e outros molhos).

 

 

 

Conheça os principais mitos sobre o cuidado com a pele no verão

Criada há quatro anos pela Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), a Campanha Naiconal de Prevenção ao Câncer da Pele, chamado Dezembro Laranja, traz neste ano o tema “Se exponha, mas não se queime”. De acordo com o Instituto Nacional do Câncer (INCA), o melanoma responde por 33% de todos os diagnósticos de câncer no Brasil e, a cada ano, são cerca de 180 mil novos casos.

 

Aproveitar a época do verão, de acordo com a dermatologista Cíntia Cavalin Calvet, da Peleclin, não precisa ser um problema: pode se expor ao sol sim, mas com a devida proteção e cuidado. Dicas como usar o boné com abas mais largas, roupas com filtro solar no tecido ou tramas mais fechadas podem ajudar neste período de temperaturas altas.

 

Para não ter mais dúvidas, conheça os principais mitos relacionados a proteção solar e se previna!

 

“Na sombra estou protegida”
Você provavelmente disse ou já ouviu essa frase de alguém, mas é um grande engano. De acordo com Cíntia, a incidência de raios solares também acontece na sombra, mesmo que em menor quantidade. Além disso, o próprio raio reflete no guarda sol na praia, na água e na areia, e rebate na pessoa.

 

“Em dias nublados não precisa usar protetor”

É importante lembrar que existem dois tipos de radiação: ultravioleta A - que passa pelas nuvens - e a ultravioleta B - barrada pelas nuvens. Nos dias nublados, com aquela sensação de mormaço, a ultravioleta A pode queimar a pele. “Quando as pessoas deixam de usar o protetor porque o dia está nublado, elas sofrem pequenas queimaduras que viram bolhas e descascam a pele. Essa repetição de queimadura é um grande fator de risco para o melanoma, que é o câncer de pele mais grave”, alerta a médica.

 

“Passei protetor de manhã, estou protegida o dia todo”

Outro erro é achar que usar filtro solar uma vez ao dia está resolvido. A dermatologista Leila Cavalin Alves explica que em dias comuns é preciso usar protetor três vezes. Já nos dias de verão é importante repassar o filtro a cada duas horas. Outro ponto comprovado é que não existe protetor solar à prova d'água, e essa nomenclatura está em desuso. Os produtos podem até ser mais resistentes à água, mas, mesmo assim, perdem seu efeito.

 

“Em dias quentes prefiro roupas leves e transparentes”

Apesar do tecido transparente dar uma sensação de frescor, a trama mais aberta deixa passar radiação ultravioleta. O ideal são as tramas mais fechadas. Existem, ainda, roupas com protetor solar no tecido. “Acessórios como boné com abas largas, protetor labial e protetor solar nas orelhas, pés e mãos nas regiões mais “escondidas” são cuidados essenciais e que merecem atenção nesse período”, orienta Cíntia.

 

“Ficar sem protetor de vez em quando não tem problema”

Apesar da incidência do câncer de pele ser mais comum depois dos 40 ou 50 anos de idade, ele pode ser efeito de uma exposição cumulativa ao sol. Com o passar da idade as defesas da pele diminuem e aparecem outros problemas que, somados, causam o câncer de pele. (Com Massa News)

 

 

 

 

Hashtag: |
9 cuidados antes, durante e depois da academia para ter a pele saudável

Nos últimos tempos, o número de brasileiros praticantes de atividades físicas, como a musculação, tem aumentado significativamente.

 

Porém, o que poucos sabem é que durante a prática de exercícios físicos não é só o corpo que precisa de atenção, mas a pele também.

 

Isso porque, segundo a dermatologista Dra. Valéria Marcondes, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia e da American Academy of Dermatology (AAD), apesar de ser normal e até saudável a pele transpirar durante qualquer atividade física, sem o cuidado adequado, esta transpiração pode prejudicar o tecido e causar alterações como desidratação, irritações e acne. Mas é possível evitar estes problemas através de alguns cuidados básicos que devem ser tomados antes, durante e depois da prática de exercícios físicos. Para ajudar a entender melhor, a especialista apontou cada um deles abaixo. Confira:

 



Antes

 

- Higienize sua pele. O mais importante antes dos exercícios é que a pele esteja limpa, pois, se os poros estiverem entupidos, o suor terá dificuldade em sair naturalmente, promovendo irritações e inflamações como acnes e cravos. “Para quem malha de manhã, usar um sabonete especifico para sua pele é o suficiente para remover a oleosidade produzida durante o sono. Já para quem malha à noite, recomendo o uso de demaquilante ou água micelar para remover a maquiagem, os cosméticos e as impurezas da pele”, explica a dermatologista.

 

- Tonificar e hidratar também é importante. Além da limpeza, é recomendado também o uso de um tônico, para realizar uma limpeza profunda, e de um hidratante fluído e leve, para proteger a pele durante os exercícios sem obstruir os poros. “Quem apresenta vermelhidão na pele ao malhar pode utilizar produtos com ativos calmantes ou anti-inflamatórios para relaxar o tecido e evitar irritações”, completa a especialista.

 

- Não esqueça o protetor solar. “Para quem vai praticar exercícios ao ar livre ou vai se expor ao sol em algum momento, o fotoprotetor é indispensável para prevenir os danos causados pela radiação ultravioleta, que incluem câncer de pele e envelhecimento precoce. O ideal então é que este produto tenha FPS de, no mínimo, 30 e seja resistente ao suor e reaplicado a cada duas horas.”

 

- Atenção na hora de escolher as roupas. De acordo com a Dra. Valéria, a escolha de roupas para malhar também é fundamental. Evitar calças muito justas e roupas de tecidos que retém o suor é o ideal, pois elas acabam dificultando que a pele respire de maneira adequada. “O corpo precisa transpirar de modo correto. Se isso não ocorre, as bactérias do tipo estafilococos da região se proliferam e acabam atingindo a estrutura que origina os pelos, causando assim um processo inflamatório que leva à foliculite”, afirma.

 

- Prenda os cabelos. “Não esqueça também de prender os cabelos, pois, se ficarem caídos sobre o rosto, o suor e a oleosidade produzidos pelos fios podem acabar obstruindo os poros da pele.”

 

Durante

 

- Hidrate-se. Enquanto pratica exercícios, o mais importante é manter-se hidratado. “Durante os exercícios perdemos mais água através do suor, o que leva à desidratação do organismo e, consequentemente, da pele, deixando-a desprotegida e com uma péssima aparência. Para evitar que isso ocorra, a ingestão de líquidos é obrigatória”, alerta a médica.

 

Depois

 

- Troque de roupa assim que acabar de se exercitar. Após a atividade física, o ideal é remover a roupa suada o quanto antes, pois utilizar a roupa dos exercícios por muito tempo impede que a pele respire, entupindo os poros e promovendo a formação de foliculite.

 

- Cuidado com a ducha pós-treino. De acordo com a dermatologista, é indicado também evitar banhos muito quentes e demorados, pois estes podem retirar a camada de proteção da pele, deixando-a ressecada. O ideal é apostar em uma ducha rápida e com a temperatura da água morna. “Quem sofre com irritação e vermelhidão pode molhar o rosto com água fria de duas a três vezes seguidas para acalmar a pele e fazer com que volte ao tom normal”, recomenda.



- Para finalizar, cuide de sua pele novamente. É importante também realizar uma limpeza profunda na pele após os exercícios para remover as impurezas, desobstruir os poros, controlar a oleosidade e normalizar o pH da pele, já que o suor tem um pH ácido, o que pode ser agressivo ao tecido. “Assim como antes do exercício, a limpeza deve começar com o uso de soluções micelares ou sabonetes específicos para o seu tipo de pele. Após a limpeza, utilize um tônico adstringente para reequilibrar o pH e um cosmético hidratante para que o tecido possa se recuperar. Por fim, aplique o protetor solar, que sempre deve ser o último a ser passado na pele”, diz a Dra. Valéria Marcondes. E lembre-se: lave o cabelo. “É melhor lavar o cabelo todo dia, do que deixar o suor no couro cabeludo”, finaliza.

 

 

 

Hashtag: | |
Sarampo: saiba o que é, prevenção, sintomas e tratamento

Brasil vive um surto de Sarampo. O país registrou 10.163 casos confirmados este ano e 12 mortes confirmadas, sendo quatro em Roraima, seis no Amazonas e duas no Pará, segundo dados do Ministério da Saúde (MS).

 

Em 2016, o Brasil recebeu da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) o certificado de eliminação da circulação do vírus do sarampo. A doença contagiosa pode ser prevenida, desde que tomados os devidos cuidados. Abaixo, confira orientações do MS para prevenir e identificar sintomas e quais os cuidados necessários em caso de contaminação.

 

 

O que é?

 

O sarampo é uma doença infecciosa aguda, de natureza viral, grave, transmitida pela fala, tosse e espirro, e extremamente contagiosa, mas que pode ser prevenida pela vacina. Qualquer faixa etária está sujeita à infecção pela doença, mas crianças desnutridas e menores de um ano de idade aumentam a gravidade da doença.

 

 

Sintomas

 

- Os principais sintomas são:

- Febre alta, acima de 38,5°C

- Dor de cabeça

- Manchas vermelhas, que surgem primeiro no rosto e atrás das orelhas, e, em seguida, se espalham pelo corpo

- Tosse

- Coriza

- Conjuntivite

- Manchas brancas que aparecem na mucosa bucal conhecida como sinal de koplik, que antecede de 1 a 2 dias antes do aparecimento das manchas vermelhas

 

Prevenção

 

A vacinação contra o sarampo é a única maneira de prevenir a doença. Crianças de 12 meses a menores de 5 anos de idade recebem uma dose aos 12 meses (tríplice viral) e outra aos 15 meses de idade (tetra viral). Crianças de 5 anos a 9 anos de idade que perderam a oportunidade de serem vacinadas anteriormente: duas doses da vacina tríplice. Pessoas de 10 a 29 anos recebem duas doses das vacina tríplice e pessoas de 30 a 49 anos recebem uma dose da vacina tríplice viral. Quem comprovar a vacinação contra o sarampo conforme preconizado para sua faixa etária, não precisa receber a vacina novamente.

 

Não devem receber a vacina pessoas com suspeita de sarampo, gestantes devem esperar para serem vacinadas após o parto e mulheres que desejam engravidar devem ser vacinadas um mês antes e devem esperar pelo menos quatro semanas antes de engravidar, bebês menores de seis meses de idade e imunocomprometidos, como soropositivos.

 

Tratamento

 

Não existe tratamento específico para o sarampo, apenas a administração da vitamina A em crianças infectadas, a fim de reduzir a ocorrência de casos graves e fatais. O tratamento profilático com antibiótico é contraindicado.

 

Para os casos sem complicação, manter a hidratação, o suporte nutricional e diminuir a hipertermia. Muitas crianças necessitam de quatro a oito semanas para recuperar o estado nutricional que apresentavam antes do sarampo. Complicações como diarreia, pneumonia e otite média devem ser tratadas de acordo com normas e procedimentos estabelecidos pelo Ministério da Saúde.

 

 

 

Ortopedista explica como evitar dor nas costas ao dirigir

Dirigir por horas, enfrentar trânsito e estradas dentro de veículos automotivos é uma atividade muito comum na vida dos motoristas de ônibus, aplicativos e caminhoneiros.

 

Entre todas as queixas de dor por parte desses profissionais, a dor nas costas é a mais presente. Segundo dados da Previdência Social, somente no primeiro trimestre de 2016, foram mais de 24 mil trabalhadores afastados decorrentes de dores nas costas. Um afastamento a cada cinco minutos.



Segundo o ortopedista, cirurgião de coluna vertebral e professor da Faculdade de Medicina Santa Marcelina, Luiz Cláudio Lacerda, a postura sentada inadequada e a permanência prolongada nesta posição são os grandes vilões contra a saúde de quem dirige. “O sinal de que algo vai mal pode se manifestar por meio de dores lombares e articulares, tensão na base do pescoço, dores nas pernas, sobrecarga nas articulações e, em casos mais graves, desgaste articular”, explica o especialista.

 


Para que o profissional realize seu trabalho em condições favoráveis e com qualidade de vida e, consequentemente evite problemas nas costas, o ortopedista dá algumas dicas. “O indicado é manter a região lombar bem apoiada, o banco numa inclinação de 100 ou 110 graus e em uma altura razoável para que as pernas não tenham de ficar muito esticadas e nem muito dobradas para que os pés alcancem os pedais. Além disso, a cada uma hora e meia é importante fazer uma parada durante a jornada para repousos e alongamentos, a pratica de atividades físicas regulares também e importantíssima para a manutenção da saúde da coluna e das articulações”, finaliza Lacerda.

 

 

 

Dietas radicais podem causar a queda dos cabelos, adverte médico

As dietas restritivas podem alterar o funcionamento do organismo, causando, além de muito estresse, a queda massiva de cabelos.

 

Por conta destas restrições alimentares e dos cortes radicais de alimentos com proteínas e vitaminas, muitas pessoas que estão tentando perder peso notam que, além dos quilos, parte dos fios são perdidos.

 

Isto acontece devido à oscilação de peso que, somado à restrição dos alimentos, faz com que o organismo não consiga absorver todos os nutrientes necessários para seu bom funcionamento.

 



“Os alimentos são a fonte da nossa sobrevivência. Dependendo do que a gente se alimenta, teremos saúde e um metabolismo regular. Quando nos alimentamos mal e escolhemos erroneamente os alimentos, os substratos que estamos fornecendo ao nosso organismo podem acabar provendo doenças e uma consequente queda dos cabelos, principalmente durante as dietas radicais”, conta o médico especialista em transplante capilar, Dr. Thiago Bianco.

 

Quem está buscando perder peso, mas quer passar longe dos problemas capilares, deve procurar ingerir alimentos que ajudam no fortalecimento e saúde dos fios como:

 

• Espinafre: fonte de ferro, além de gordura que protege os fios;

• Cenoura: confere brilho e é fonte de vitamina A (a deficiência desta vitamina causa ressecamento no couro cabeludo);

• Ovos e derivados do leite: são fontes de proteínas e ácidos graxos que, além de nutrir o organismo, também ajudam a restaurar os óleos naturais dos fios;

• Aveia: rica em fibras, zinco, ferro e ômega 6 que ajudam a engrossar os fios;

• Nozes: podem diminuir a perda capilar por conta da biotina, vitamina E, proteínas e magnésio.

 

Segundo o médico, quando esta queda se torna irreversível, a solução mais natural para devolver os fios à cabeça é o transplante capilar. “Dentro das opções de técnicas de transplante, nós avaliamos o paciente e escolhemos a melhor maneira de devolver estes fios. O cliente que perdeu peso, e consequentemente os cabelos ao longo deste processo, vai finalmente recuperar a autoestima, sem as cicatrizes aparentes”, conclui.

 

 

 

Má qualidade do sono está associada a aspectos depressivos

A má qualidade do sono está associada, em grande medida, a aspectos depressivos, disse à agência Lusa a especialista Marta Gonçalves, que participa no simpósio "Insônia: a perspectiva da Medicina do Sono", em Coimbra, em Portugal.



"É um sintoma muito comum em 80 a 90% das depressões haver insônia", salientou a médica psiquiátrica, coordenadora da psiquiatria e medicina do sono do Hospital CUF do Porto, em Portugal, que vai participar no sábado no simpósio para falar sobre "Insônia, depressão e ansiedade - velhos problemas, novos desafios".

 

Segundo a especialista em medicina do sono, que citou estudos de 2010, 18% da população de Portugal sofre de insônia, sendo que a mais prevalente é a dificuldade em adormecer, e desse número 10% tomava medicamentos para dormir, "o que é preocupante".

 

Um estudo mais recente em população adulta, com base numa amostra da região do grande Porto, concluiu "que 30% de jovens adultos com 21 anos têm má qualidade de sono e 15,6% tinham sintomas depressivos".

 

"Nesse grupo, 23,5% dormem menos de sete horas, que é o mínimo indicado de sono aos 21 anos (entre sete a nove horas)", explicou.

 

Para Marta Gonçalves, a insônia "é um sintoma comum associado a outros sintomas depressivos, mesmo que muitas vezes os outros não sejam tão evidentes e apareçam mascarados".

 

 

"Temos de estar atentos, porque 40% das insônias têm esta causa, esta morbilidade psiquiátrica - quer a ansiedade quer a depressão podem estar ligadas", sublinhou.

 

Em súmula, acrescentou, "a insônia pode ser um sintoma de ansiedade e depressão, de perturbações ansiosas e do humor".

 

"Por outro lado, a insônia a longo prazo, em estudos longitudinais, aumenta o risco de depressão para mais do dobro", frisou.

 

Outras causas possíveis de insônias estão relacionadas com a Síndrome do Apneia do Sono, da Síndrome de Pernas Inquietas, das alterações do ritmo circadiano e de várias outras doenças próprias da Medicina do Sono.

 

De acordo com Joaquim Moita, presidente da Associação Portuguesa do Sono (APS), citado num comunicado enviado à agência Lusa, a insônia é tratável, "embora, na maioria dos casos, não o seja de forma eficaz em Portugal pelo uso excessivo e inapropriado de benzodiazepinas, que provocam dependência, alterações cognitivas, comportamentais e demência precoce". (Com Agência Lusa)

 

 

 

Hashtag: |