Existe um tipo de vinho que é mais saudável; veja

Diferente do que muitos imaginam, o vinho pode ser uma bebida que oferece diversos benefícios à saúde mesmo sendo uma bebida alcoólica. Porém, existe um tipo de vinho que pode ser mais saudável que os demais.

 

Essa variação acontece entre o vinho suave e o vinho seco, sendo este último o mais saudável. Segundo a nutricionista Maria Cláudia Santos, ele é mais saudável porque o vinho seco é preparado com uvas nobres. Entre as espécies mais comuns ela destaca: Cabernet Sauvignon, Merlot e Chardonnay.

 

"Na fabricação do vinho seco não há o acréscimo de açúcar durante o preparo. Dessa forma, o sabor levemente adocicado é conferido pelo açúcar da própria fruta, cerca de 3 gramas por litro", explica a nutricionista.

 

Por outro lado, o vinho suave é feito com uvas comuns, como a Niágara e a Concord. Ambas passam pelo processo de adição de açúcar na sua fabricação, com teores superiores a 20 gramas por litro.

 


Como escolher o vinho

 

Então, a sugestão da nutricionista é priorizar o consumo dos vinhos secos. A sugestão é ainda maior para pessoas que sofrem de diabetes, pois estas precisam gerenciar o consumo de açúcar.

 


Nesses casos, o nutrólogo José Marcelo Natividade recomenda que os pacientes com diabetes, mesmo optando pelo vinho seco, fiquem atentos aos níveis de açúcar das opções entre essa categoria. De acordo com ele, as melhores opções são: Tempranillo, Tannat e Tinto de Riojas.

 

Benefícios do Vinho

 

Vinho reduz ansiedade, é antidepressivo e não é pelo álcool

Substância encontrada no vinho pode ajudar a emagrecer

Vinho pode ser eficaz contra o câncer de próstata  (Com Minha Vida)

 

 

 

Hashtag:
Torta de abóbora com frango: faça com apenas 3 ingredientes

A nutricionista Carol sapucaia publicou em seu Instagram uma receita super fácil de fazer, com poucos ingredientes que serve como uma refeição completa. Veja como fazer a torta de abóbora com frango:

 

Ingredientes

 

200g de abóbora amassada
100g de frango desfiado temperado
1 ovo

 

Como fazer

 

Para preparar: amasse a abóbora com um garfo, misturei com o ovo e depois com o frango. Coloque em um refratário e asse por 30 minutos. (Com Minha Vida)

 

 

 

Hashtag:
8 alimentos proibidos para comer antes de dormir

Uma das preocupações ao se alimentar antes de dormir é que alguns alimentos podem atrapalhar o sono. Mas existem outros efeitos que comer antes de ir para a cama pode causar.

 


Em conversa com a nutricionista Débora Copelli Lima, alguns alimentos podem prejudicar o descanso durante a noite e até levar ao ganho de peso não-intencional. Por isso, a especialista recomendou evitar comer à noite alimentos estimulantes e calóricos. São eles:

 

Cafeína: presente no café, chá mate e refrigerantes a base de cola
Termogênicos como: canela, gengibre e pimenta
Açúcar, de doces em geral
Gorduras, presentes na carne vermelha, pizza e pastéis, por exemplo
Frituras, como batata frita e salgadinhos
Alimentos calóricos, tipo pães, massas, tortas, salgadinhos industrializados
Pratos pesados, como lasanha, feijoada
Excesso de líquidos, que podem te fazer acordar muitas vezes durante a noite para eliminar o excesso.
Esses alimentos podem acelerar o metabolismo, ou porque se configuram como estimulantes ou porque fazem o nosso organismo gastar mais energia para digeri-los.

 

Comer à noite engorda?

 

Uma pesquisa da Universidade de Oregon constatou que comer tarde da noite engorda, pois consumir alimentos calóricos perto da hora de dormir predispõem à estocagem de energia. O Dr. Steven Shea, autor do estudo, explicou que "nós simplesmente não gastamos tanta energia depois de uma refeição noturna em comparação com as refeições matinais".

 

Ele ainda afirmou que ao guardar energia, a pessoa dorme menos e ambas as práticas contribuem para o ganho de peso. A nutricionista Copelli também aconselha a evitar alimentos calóricos e gordurosos antes de dormir, como lasanhas, feijoadas e frituras.

 

Dormir cedo, descansar tempo suficiente e substituir alimentos altamente calóricos por aqueles de baixa caloria ao jantar tarde da noite pode contribuir para a perda de peso, segundo a pesquisa.

 

Outros riscos

 

A prática de comer muito durante à noite também está relacionada com diversos perigos à saúde, como aumento do colesterol, risco de infarto, hipertensão e diabetes.

 

Um estudo publicado num jornal da Sociedade Europeia de Cardiologia associou problemas cardiovasculares a hábitos alimentares ruins, como pular o café da manhã e comer tarde da noite.

 

Inclusive, pessoas que já tiveram um infarto possuem de quatro a cinco vezes mais chances de sofrerem outro episódio ou ter dores no peito depois de trinta dias de alta, se possuírem tais costumes.

 


Além disso, outra pesquisa, da Universidade da Pennsylvania, sugere que comer tarde da noite está associada com ganho de peso não-intencional, aumenta os níveis de insulina, o que implica no desenvolvimento da diabetes, e aumento do colesterol e triglicérides, que estão associados à doença cardíaca. (Com Minha Vida)

 

 

 

Hashtag:
10 alimentos que não são o que você imaginava

Você sabe do que realmente é feito o que você está comendo? Às vezes, os alimentos que compramos em mercados ou comemos em restaurantes nem sempre são o que pensamos.

 

Eles podem ser misturas de outros produtos, podem ter substâncias nocivos ou até mesmo serem falsos. O site WebMD listou alguns alimentos que não são exatamente o que aparentam. Confira:

 

1. Azeite

 

Nem todo azeite é azeite de verdade, com 100% óleo de oliva. Muitas vezes, estes óleos são misturados com outros, como o óleo de amendoim. Vale à pena ficar atento ao rótulo, porque isso prejudicar quem possui alergia.

 

Lembrando que o azeite de oliva pode ser muito saudável ao organismo. É um aliado ao combate a doença cardíaca, previne o câncer e a diabetes, fortalece os ossos e melhora o funcionamento do cérebro.

 

Azeite falso

 


Entretanto, em 2019, o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), proibiu a venda de seis marcas de azeite. Isso porque, após a fiscalização, descobriram que os alimentos estavam fraudados e impróprios ao consumo. Em 2018, foram 46 marcas reprovadas por vender o produto adulterado.

 

A proibição das seis marcas veio da operação realizada pela polícia de Guarulhos (SP), que descobriu fábricas clandestinas que produziam azeites falsificados, misturados com outros tipos de óleos e sem a presença da oliva.

 

Segundo o diretor do Departamento de Inspeção de Produtos de Origem Vegetal (Dipov) da época, Glauco Bertoldo, o azeite de oliva é o segundo produto mais falsificado do mundo, perdendo apenas para os pescados, de acordo com nota ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.

 

2. Lagosta

 

Ao pedir uma lagosta num restaurante, por exemplo, você pode acabar recebendo um lagostim, que possui gosto e textura similar. Na verdade, o lagostim é um animal diferente, e custa metade do preço de uma lagosta. O lagostim, diferente da lagosta, não possui antenas e é bem menor, porém, também possui pinças.

 

A matéria da WebMD afirma que restaurantes americanos acabam vendendo pratos que no cardápio constam como lagosta, mas ao serem submetidos à testes, tais pratos são feitos, na verdade, com carne de lagostim.


Além do preço, há diferenças nutricionais entre os dois alimentos. Em 85 gramas de cada, há mais colesterol no lagostim, cerca de 115mg, do que na lagosta, que possui cerca de 80 mg. A lagosta também apresenta maior quantidade de calorias, 76 cal, enquanto que o lagostim possui 51 cal. Entretanto, ambos possuem quantidades semelhantes de proteínas.

 

Benefícios dos frutos do mar

 

Os frutos do mar são muito benéficos à saúde, por serem ricos em proteínas, principalmente a lagosta, camarão e siri. Eles oferecem aminoácidos responsáveis por construir novos tecidos, formar enzimas, anticorpos e hormônios.

 

A nutricionista Roberta Stella afirma que, em excesso, os frutos do mar podem fazer mal, uma vez que possuem altas taxas de colesterol, que precisam ser controladas. Tal substância está relacionada ao desenvolvimento de doenças cardiovasculares.

 

3. Mel

 

Apesar de ser um adoçante natural muito utilizado, o mel pode possuir resquícios de antibióticos utilizados pelos apicultores em suas abelhas. Isso não causa doença, mas pode agravar problemas de saúde pública relacionados com a resistência à antibióticos.

 

Inclusive, o mel em sua forma pura, possui propriedades interessantes ao combate de doenças, pois é um potente antioxidante e possui ação antimicrobiana por si só. Ainda conta com nutrientes como potássio, magnésio, sódio, cálcio, fósforo, ferro, manganês, cobalto e outros minerais.

 

Riscos do consumo

 

Porém, o alimento também possui outros riscos à saúde. Existe uma toxina que pode estar presente no mel e que é responsável pelo botulismo, uma forma de intoxicação alimentar rara, mas que pode ser fatal.

 

Por isso, o mel industrializado pode ser mais seguro nesse sentido. Mas isso se ele tiver passado pelo processo de pasteurização, que garante menor risco de intoxicação por bactérias.

 


4. Enlatados

 

Tem costume de comprar comidas enlatadas de supermercado, que dizem possuir sabor natural? Fique atento porque não há nada de natural neles. Segundo a Administração de Alimentos e Drogas dos Estados Unidos (FDA), vinculada ao Departamento de Saúde, já proibiu alguns aromas sintéticos que mostraram ter efeito negativo em animais de laboratório.

 

Os efeitos destes tipos de químicos de alimentos industrializados, corantes e conservantes, ainda são desconhecidos ao sistema digestivo. Porém, é comprovado que o consumo excessivo sobrecarrega o fígado e está diretamente ligado com agravamento de quadros de TPM, enxaqueca e gastrite, já que muitos irritam a mucosa do estômago.

 

5. Temperos

 

Também segundo a FDA, Administração de Alimentos e Drogas dos Estados Unidos, existe uma quantidade de resquícios de insetos ou pelos de roedores que são permitidas em temperos. Seus padrões são de até 1250 pedacinhos de inseto para cada 10 gramas de tempero. A boa notícia é que a maioria dos produtos estão bem abaixo deste padrão.

 

Outro perigo é a utilização de temperos prontos. Muitos deles possuem excesso em sódio, gordura trans e saturada, e componentes como glutamato monossódico, que é um realçador de sabor e em excesso, pode trazer prejuízo à saúde. Por isso, invista em temperos naturais, que possuem diversos benefícios.

 

6. Chocolate branco

 

O chocolate branco, apesar de ser delicioso, não é exatamente chocolate. Segundo a FDA, para ser considerado chocolate, o produto tem que possuir pelo menos 10% de licor de chocolate, que é obtido quando o grão é moído. Mas o chocolate do tipo branco, na verdade, é feito com manteiga de cacau, leite e açúcar, sem licor de chocolate.

 

Chocolate faz bem à saúde?

 

Outros chocolates, como o amargo, proporcionam diversos benefícios à saúde, se consumido em quantidades moderadas. Protege o sistema cardiovascular, controla o colesterol, reduz a pressão arterial, tem ação antioxidante e proporciona sensação de bem estar.

 

Entretanto, o oposto também é verdade. O excesso de chocolate pode trazer malefícios. Pode causar reações alérgicas, contribui ao ganho de peso não-intencional, acne, doença do refluxo gastroesofágico e até diarreia para quem passa do limite.

 

7. Suco de fruta

 

Muitas vezes, o suco de fruta também não é 100% suco de fruta. Cheque a lista de ingredientes e, se ela for longa, pode ser uma dica de que o suco em questão não é exatamente o que você espera. Mesmo os que possuem "100% de suco" podem não ser verdadeiros e podem conter outros sucos mais baratos como de maçã e uva verde.

 

Além disso, a frutose, presente em alguns sucos industrializados, pode ser prejudicial à saúde. Este tipo de açúcar pode causar obesidade, hipertensão e diabetes, por exemplo. Sucos como os de maçã e pêra são ricos em frutose e pobres em vitamina C. Por isso, antes de comprar, analise os rótulos e evite os que possuem frutose de xarope de milho.

 

8. Baunilha


O aroma de baunilha é muito diferente do extrato de baunilha, então é importante ficar atento. Enquanto o extrato é feito com vagens de baunilha e um álcool simples - o etanol, o aromatizante é quase sempre feito com extratos de petroquímicos ou polpa de madeira.

 

Outra diferença entre esses produtos é que o extrato de baunilha não possui data de validade, enquanto que o aromatizante sim. Como se trata de um produto sintético, ele possui qualidade inferior que o extrato puro, por isso, a conservação é diferente.

 

9. Suco de laranja

 


O suco de laranja que não é concentrado acaba sendo pasteurizado, um processo que tira o oxigênio da bebida. Porém, este mesmo processo também tira muitas substâncias naturais que dão o sabor.

 

Além disso, o produtor pode armazenar este suco por mais de um ano, por isso, eles contratam empresas para fazer pacotes de sabores e adicioná-los para parecerem frescos. Entretanto, eles não são listados como ingredientes porque muitas vezes são feitos a partir da essência de laranja ou óleo.

 

Já a laranja in natura, por sua vez, é grande aliada para o organismo. É fonte de vitamina C, potássio, magnésio e betacaroteno, nutrientes que ajudam a prevenir problemas cardiovasculares e também o câncer.

 

O suco de laranja também possui tais propriedades e não é tão calórico como muitas pessoas pensam. Um copo de suco de 200ml possui 86 kcal para 20 gramas de carboidrato. Então, se está fazendo dieta, não é preciso cortar, mas ele precisa ser contabilizado.

 

10. Wasabi

 

Muitos restaurantes servem wasabi, porém, algumas vezes ele pode ser falso. Alguns podem servir uma mistura de rabanete e raiz de wasabi com farinha de mostarda, óleo, vinagre, xarope de milho rico em frutose e corante alimentício.

 

O wasabi real vem da raiz da planta wasabia. Cresce naturalmente em lugares frescos e úmidos e pode ser muito difícil de encontrar e colher. É preciso ralar a raiz na hora de comer, porque o sabor geralmente só dura cerca de 15 minutos após ralado.

 

Benefícios do wasabi

 

A culinária japonesa é muito saudável e traz benefícios à saúde. O wasabi verdadeiro é rico em nutrientes como potássio, cálcio, magnésio, fósforo e vitamina C. É considerado um alimento termogênico, que acelera o metabolismo, por isso ajuda na digestão, explica a nutróloga Paula Cabral. (Com Minha Vida)

 

 

 

 

Hashtag:
Consumidor adere a sites para comparar os preços. Veja os dez mais populares

Na última década uma nova indústria de “sites de comparação de preços” ou “agregadores web” surgiu e com o tempo ganhou presença e força. Os sites de comparação são populares em muitos países e, em muitos mercados consolidados, incluindo os serviços públicos, eletrodomésticos e eletroeletrônicos, o mercado de turismo, o financeiro, os serviços aéreos e os bens duráveis.

 

Os sites movimentam bilhões de dólares de receitas anuais. No Reino Unido, por exemplo, utilidades e serviços financeiros têm desfrutado de um crescimento impressionante. A receita dos quatro maiores comparadores do Reino Unido tem crescido 15% em média durante ao ano.


Um consumidor pode não saber quais são todas as marcas existentes de determinado serviço ou produto, mas o comparador pode exibir uma lista completa de ofertas do mercado, maximizando assim a pressão por menores preços e melhores produtos.

 

Dados divulgados pela Booking Holdings que compreende empresas que atuam no formato de agregação e comparação de preços, incluindo Booking.com, Priceline.com, Kayak, Agoda.com, Rentalcars.com e Open Table, demonstra um lucro bruto de US$ 12,4 bilhões em 2017. No Brasil, uma das pioneiras no segmento de comparação de preços foi o Buscapé, site de comparação criado por 4 estudantes universitários em 1999. Recentemente a compra da Buscapé foi divulgada pela rival Zoom, numa transação bilionária. Com o passar dos anos, outros comparadores surgiram nos mais diversos segmentos de mercado e sua expansão é notória e irreversível.


Um dos segmentos mais disputados hoje no país, sem dúvida, é o turístico. Na atualidade, existem comparadores focados em passagens áreas, hotéis, câmbio de moeda, locação de veículos, seguro viagem e ainda outros que oferecem todas estas opções avulsas ou que combinam todos as opções e acessórios ligados ao universo da viagem em formato de pacotes de viagem.

 

De olho no segmento de comparadores muitas empresas adequaram suas estruturas para que este canal fosse prioritário dentro de suas políticas de vendas. É o caso da Assist Med Viagem, renomada empresa paulistana focada na oferta de Seguro Viagem. Após análises de produção por canal, a empresa decidiu concentrar esforços na distribuição dos seus planos por meio de comparadores, sites sinérgicos e agências com operação 100% online.


Especialistas do mundo todo indicam que a tendência para os comparadores nichados é a consolidação, como já observada hoje no mercado americano. Um dos candidatos naturais para o processo de consolidação é o Google, que já atua com o Google Shopping, mas sem grandes novidades ou interesses anunciados em mercados específicos.

 

Os 10 comparadores mais populares

 

Buscapé
Um dos sites mais famosos na área de comparação de preços, o Buscapé compara o preço de produtos variados em lojas de todo o país. O diferencial deste site é que além de mostrar os diversos preços e opções, ele avisa quando o produto entra em promoção. O Buscapé está disponível para web, Android e iOS.

 

Zoom
O Zoom proporciona a comparação de preços de forma mais segura: ele só mostra resultados de lojas consolidadas e confiáveis, tornando assim a compra do usuário mais segura. Para empreendedores, estar na lista do Zoom deve ser um objetivo.

 

Já Cotei
O diferencial do “Já Cotei” é que ao fazer compras por meio dele, o usuário acumula milhas aéreas! Uma grande vantagem.

 

Yubb
Este aqui é para os investidores. Ele mostra as melhores opções de investimento para que você aplique o seu dinheiro da melhor forma possível – e é gratuito!
Você diz quando dinheiro pretende investir e quando pretende resgatá-lo e o Yubb compara o rendimento de aplicações em bancos e corretoras.

 

Trivago
Grande conhecido, o Trivago é para quem quer ficar num hotel e pagar um preço justo. Ele compara preços de mais de 700 mil hotéis, pousadas e semelhantes em diversos sites.

 

Skyscanner
O Skyscanner busca os melhores preços de passagens aéreas, mas não é só isso: ele também pesquisa opções de hospedagem e aluguel de carros. Uma excelente opção para mochileiros ou para quem simplesmente quer ou precisa viajar.

 

Ofertas Drogaria
Esse site funciona do mesmo jeito que sites como o Buscapé, a diferença é que o foco dele são produtos como medicamentos, dermocosméticos, cuidados diários e maquiagem. Um diferencial desse site é que ele considera até mesmo a diferença de centavos em suas listagens, o que, como vimos acima, é importante.

 

Melhor Plano
Esta é uma plataforma online que compara planos como: de celular, internet, TV por assinatura, telefone fixo, combos e planos empresariais, e o melhor: de acordo com a disponibilidade em sua cidade.

 

Zaply
O Zaply busca e compara preços de supermercados que entregam em casa. É perfeito para você descobrir, de forma rápida e fácil, o melhor mercado para fazer suas compras.

 

SaveWhey
Este aqui é especialmente para quem frequenta academia e quer ter as melhores opções quando o assunto é produtos fitness e suplementos. Ele mostra proteínas, shakes, bebidas e outros energéticos.

 

Google Shopping
Muitos se esquecem deste, mas o Google Shopping existe e sua facilidade de uso é inegável. Ele oferece praticidade e facilidade na hora de comparar preços, com sua interface simples e direta. Seu diferencial é que ele também mostra produtos parecidos ou sugestões. (Com Bem Paraná)

 

 

 

Hashtag:
Clima com funkeiro esquenta e namorada de Ludmilla chora de ciúme

Vendo essa fotos dá para entender por que Brunna Gonçalves, namorada de Ludmilla, chegou a chorar de ciúme ao assistir uma prévia do clipe da música “Do jeito que tu gosta”. Há duas semanas, Lud mostrou nos stories do Instagram a amada chorando após ver algumas cenas do novo vídeo: "Tem uma parte que não dá pra ver. Eu não tenho estrutura", disse Bru.

 

No vídeo, o clima esquenta entre a cantora e o funkeiro PK. “Fogo no parquinho”, definiu Lud diante desse novo trabalho, que será lançado na próxima sexta-feira.


Ao postar uma das imagens do clipe, Ludmilla viu os fãs lotarem de comentários seu Instagram dando razão a Brunna. “Agora entendi por que a Brunna chorou”, postou uma fã. “Entendi por que ela estava chorando de ciúme. Eu faria o mesmo”, disse outra.

 

PK, a voz do batidão “Quando a vontade bater”, seu primeiro sucesso, rebateu: “Vocês estão de brincadeira, galera? Já viram Brumila? Não tem nem como competir. Brunna rainha!”. (Com Extra) 

 

 

 

 

 

 

Hashtag:
A Wi-Fi apresenta alguns perigos. Proteja-se!

Quase todo mundo adora encontrar uma Wi-Fi aberta e grátis para navegar. Hoje em dia se tornou obrigatório, de forma não oficial, ter uma rede de internet nos estabelecimentos. Não só para que o local opere normalmente, como para conforto dos clientes.

 

Mas, acessar redes Wi-Fi públicas pode ser perigoso; principalmente em aeroportos, bibliotecas, bares, e lugares aonde muitas pessoas transitam. Um hacker pode estar ali entre aquelas pessoas, roubando dados e informações como senhas, emails e cartões de crédito.

 

Um descuido e a vida de uma pessoa pode se transformar num pesadelo. Imagine ter as suas fotos pessoais roubadas, por exemplo.

 

O ataque tipo MITM, ou Man-In-The-Middle, é fácil de aplicar e muita gente nem sequer percebe que sofreu este golpe. O hacker cria uma rede Wi-Fi com o mesmo nome do local. Se a pessoa está na McDonalds por exemplo, pode ver uma rede disponível com o nome ´Wifi_McDonalds´, ou algo parecido.

 

Quando o usuário se conecta, toda a informação dele, incluindo dados bancários são interceptadas pelo hacker invasor. Alguns celulares, inclusive, já conectam automaticamente à primeira rede aberta que encontrar; é sempre mais seguro alterar esta opção na configuração do smartphone.

 

Como se proteger

 


Além de alterar a configuração do telefone para não conectar automaticamente à primeira Wi-Fi aberta que encontrar, outra medidas mais eficazes devem ser tomadas para proteger a sua privacidade.

 

  • Utilize uma VPN para celular

 

Não só para o celular como para seu computador e todos os outros dispositivos com internet que você possua. A VPN é um túnel de proteção criado para proteger o tráfego de dados e informações entre dois aparelhos ou mais. A Rede Privada Virtual (VPN) irá garantir uma conexão protegida de ataques de hackers, não só de ataques MITM como de vários outros, e protegerá sua privacidade dos olhares curiosos dos provedores de internet que vendem as informações dos assinantes para empresas de publicidade online

 

  • Não faça compras online com uma Wi-Fi pública

 

Se não estiver utilizando uma VPN, só realize pagamentos e compras pela internet se a rede Wi-Fi que estiver conectado(a) seja de confiança.

 

  • Pergunte qual é a rede oficial do local

 

Perguntar não custa nada e pode salvar você e seu aparelho de problemas futuros. Se não tiver uma placa visível no local, pergunte a quem trabalha lá.

 

  • Utilize o leitor de impressão digital e de íris

 

Utilizando estes recursos do celular, a pessoa está mais protegida do que quando digita uma senha.

 

  • Tenha várias senhas diferentes


Por muitas vezes é difícil lembrar de todas as senhas, mas se você escrever elas num papel, e guardar em casa, estará mais seguro(a). Se um hacker conseguir roubar uma senha sua, todos os seus outros aplicativos estarão salvos.

 

O celular é o dispositivo mais vulnerável de todos

 

Algumas pessoas não dispensam um tablet na hora de viajar, outras precisam de um computador portátil para se locomover. Mas o celular está a toda hora com todos os tipos de pessoas; trabalhem elas aonde for, viajem elas para qualquer lugar do mapa, o smartphone vai acompanhar.

 

As fotos passaram a estar armazenadas no celular, documentos de escritório, pagamento wireless, basicamente tudo que um computador possui e mais. Além do sistema operativo Android ser mais vulnerável do que o iOS, os antivírus para celular não são tão eficientes e consomem muita bateria.


Agora que você já conhece mais um pouco sobre como estar seguro(a) ao utilizar uma rede Wi-Fi aberta, terá mais precaução quando for viajar, ou trabalhar fora do escritório, por exemplo. Saiba também que utilizar a internet apenas quando necessário vai lhe ajudar a ver o mundo de outra forma.

 

 

 

Hashtag:
Rocha espacial passará perto da Terra no sábado

Um asteroide maior do que um arranha-céu passará perto da Terra no sábado dia 10, mas não há motivo para preocupação, dizem especialistas.

 

O asteroide chamado 2006 QQ23 chegará a uma distância de 0,049 unidade astronômica, ou cerca de 7,3 milhões de quilômetros do nosso planeta, a uma velocidade de mais de 16 mil km/h. Pode parecer muito, mas em termos astronômicos, é perto o suficiente para que o objeto seja classificado como um "asteroide próximo da Terra". Além disso, a essa distância a rocha é considerada "potencialmente perigosa".

 

A rocha espacial tem cerca de 570 metros de diâmetro - maior do que o Empire State Building. No entanto, astrônomos dizem que mesmo com esse tamanho, passando relativamente perto e em alta velocidade, não precisamos nos preocupar com um possível impacto na Terra. Pesquisadores do Departamento de Coordenação de Defesa Planetária da Nasa disseram à CNN que asteroides com esse tamanho passam pela Terra por volta de seis vezes por ano.

 

O impacto de um asteroide com o tamanho do 2006 QQ23 poderia devastar uma área do tamanho de um estado. Mas a Nasa não acredita que um asteroide possa cair na Terra tão cedo. A agência tem tecnologia para rastrear as rochas espaciais e detectar ameaças. Uma missão da Nasa está desenvolvendo um sistema de defesa contra asteroides; trata-se de um veículo espacial que poderá ser arremessado contra asteroides para mudar a sua rota." (Com Gazeta do Povo)

 

 

 

Após fim de namoro, Fernando divulga música nova que faz referência a sucesso de Maiara

Enquanto Maiara, 31, apagou as fotos de Fernando, 35, nas redes sociais, o sertanejo transmitiu um vídeo nesta terça dia 30, com uma música romântica inédita chamada “Quase”, e a emendou com um trecho de “Medo Bobo”, de Maiara & Maraisa.

 

“Quando parece que o mundo tá de cabeça pra baixo, vem alguém com a melhor novidade e devolve a gravidade. Quando parece que é tarde pra viver o que viveu cedo, vem alguém que já falou sobre medo, e ele era bobo mesmo”, canta Fernando.

 

O casal Maiara e Fernando anunciou a separação após quatro meses de namoro. À Folha de S.Paulo Fernando Zor, da dupla com Sorocaba, afirmou que o relacionamento chegou ao fim não por falta de amor. “Tivemos uma crise que desgastou e optamos por agora cada um ter um tempo para si. Quero muito o bem dela e sei que isso é recíproco.”

 

Procurada pela reportagem, a assessoria de Maiara disse que a cantora não iria se pronunciar sobre o assunto. Os dois estavam juntos publicamente desde março, e trocavam várias declarações de amor pelas redes sociais.

 

Maiara, que faz dupla com a irmã Maraisa, chegou a tatuar um passarinho em seu tornozelo para celebrar o seu novo amor. Passarinho é o apelido que Fernando deu a ela. Em maio, o sertanejo preparou uma surpresa para Maiara ao encher a casa dela de pássaros de papel e flores, da garagem até o quarto, tudo para pedir a cantora em namoro.

 

No início de junho, eles gravaram uma música juntos: “Amor Perfeito”, sucesso de Roberto Carlos. Os rumores sobre a separação do casal começaram na segunda-feira (29) quando ambos os artistas deixaram de se seguir nas redes sociais. Além disso, Maiara também deletou algumas fotos de seu perfil ao lado do sertanejo.

 

O casal já demonstrava passar por alguns problemas. No início de junho, também surgiram rumores de uma crise no relacionamento. Na ocasião, Fernando publicou uma foto sozinho com a legenda: “A felicidade é algo entre a liberdade e a segurança”. Momentos depois, o perfil de Maiara na rede social foi desativado.

 

Pouco tempo depois, Maiara explicou que desativou a conta, porque tem dificuldades em lidar com a opinião alheia.

 

“Quem me conhece sabe que é o terceiro ou quarto perfil no Instagram que eu quero largar. Fiz o Instagram, deu uma revoltada, não quero mais. Quer saber, dessa vez vou continuar, vou ficar aqui firme. Tenho um problema com opinião alheia. Não dou conta de ficar ouvindo m… demais. Sou daquelas que quando não estou me sentindo bem no lugar eu vazo”. (Com FolhaPress)

 

 

 

Hashtag:
Estudos ligam uso inadequado de redes sociais a depressão entre adolescentes

A barriga dói na expectativa da primeira curtida. E, se alguém com menos seguidores consegue “bombar” nas redes sociais, logo vem a sensação de fracasso como um aperto no peito.

 

Parece ficção científica, mas é de verdade: a vida digital descontrolada tem causado efeitos no bem-estar de adolescentes e jovens. Enquanto eles começam a descobrir as emoções a que são expostos na internet, cientistas de todo o mundo estão atrás de evidências para entender como e por que estar nas redes sociais pode alterar o equilíbrio mental de quem já cresceu conectado.

 

“O Instagram era vinculado diretamente a minha autoestima, imagem e valor. Se não recebia muitos likes, começava a questionar o que fiz de errado”, diz a influenciadora digital Daniela Zogaib do Nascimento, de 25 anos. O Photoshop turbinava as fotos para os 78 mil seguidores, mas nunca era suficiente.

 

“Estamos todos nos comparando e nos sentindo mal porque tem sempre alguém acima que nos gera incômodo”, diz ela, que evitava até encontros presenciais com medo de frustrar quem a conhecia só pelas telas. Acuada, resolveu reagir: apareceu sem maquiagem ou filtros e relatou em um vídeo a pressão virtual. “Quando você está nessa teia, não consegue pensar como pessoa normal.”

 

Para especialistas, a multiplicação de imagens que sugerem vidas perfeitas, como as que Daniela acessava, pode tirar o sossego de adolescentes e jovens. “Acreditamos que o tempo de tela em que há comparação social, como fotos de colegas exibindo corpos perfeitos, tem correlação com sintomas de depressão na adolescência”, disse ao Estado Elroy Boers, do Departamento de Psiquiatria da Universidade de Montreal, no Canadá. Boers é autor de estudo publicado neste mês no periódico Jama Pediatrics, que relacionou aumento de tempo nas redes sociais e na televisão a sintomas de depressão.

 

Durante quatro anos, 3,8 mil jovens de 12 a 16 anos preencheram questionários sobre o tempo em que permaneciam em frente a diferentes tipos de telas e sintomas de depressão. De acordo com Boers, além do fenômeno de comparação, outra hipótese é a de que algoritmos das redes (que permitem que conteúdos semelhantes aos já acessados sejam entregues aos usuários) podem reforçar quadros depressivos. Se o usuário pesquisa “magreza” ou “depressão”, mais conteúdos relacionados ao tema são oferecidos O estudo não identificou elo entre videogames e depressão.

 

A pesquisa canadense se soma a outras que dão pistas sobre essa relação. No início do ano, estudo publicado na revista Lancet deu número aos riscos. Com base em dados de 10 mil adolescentes de 14 anos, o levantamento revelou que, entre os que passam mais de cinco horas por dia nas redes sociais, o porcentual de sintomas de depressão cresce 50% para meninas e 35% para meninos Mesmo entre os que passam três horas há elevação de sintomas, de 26% para elas e 21% para eles.

 

Especialistas têm se preocupado com os dados, mas são cautelosos ao buscar relações de causa e efeito. Sabe-se que a depressão depende de muitos fatores e, portanto, atribuir o distúrbio apenas à rede social seria reduzi-lo.

 

“Há fatores predisponentes, como famílias desestruturadas, histórico, baixa autoestima. Mas, na medida em que jovens entram na rede social, isso puxaria o gatilho da predisposição. É um novo palco para manifestação dos problemas”, diz Cristiano Nabuco, do grupo de dependências tecnológicas do Instituto de Psiquiatria da Universidade de São Paulo (USP). “Hoje, com as redes sociais, temos 5 mil amigos; nosso cérebro entende que estamos sempre muito atrás de muitas outras pessoas.”


Twitter e Instagram planejam mudanças

 

Em meio a uma maior preocupação sobre saúde mental em tempos de internet, o Instagram anunciou neste mês o fim da contagem de curtida em fotos e visualizações de vídeos. A iniciativa é um teste no Brasil. “Não queremos que as pessoas sintam que estão em uma competição”, informou. Um levantamento de 2017 da Sociedade Real para Saúde Pública (RSPH), do Reino Unido, reconheceu a rede como a pior para a saúde mental de jovens.

 

Depois de perceber que estava em uma “paranoia” no Instagram, o estudante Maurício Oliveira, de 20 anos, suspendeu o acesso por um tempo. Antes, buscou até “compra de likes” para melhorar a performance. “Costumava publicar em horários com pico de acesso e, quando mais novo, cheguei a apagar quando via que não teve engajamento. Gerava a ansiedade.”

 

Testes como o do Instagram também estão no horizonte de outras empresas. Em sua plataforma de experiências lançada neste ano, o Twitter estuda recurso de esconder botões de likes e retuítes. O controle do tempo gasto nas plataformas já é possível por meio de ferramentas no Facebook e Instagram.

 

Contra o bullying, outro fator para desequilíbrio emocional dos jovens, o Instagram anunciou, ainda, recurso de alerta de ofensas. No Brasil, as agressões virtuais ganharam contornos trágicos há duas semanas, quando a influenciadora Alinne Araújo, de 24 anos, suicidou-se depois que o noivo terminou o relacionamento, na véspera do casamento. Ao publicar a decisão de casar-se consigo mesma em uma de suas contas, usada justamente para relatar a luta contra a depressão, Alinne recebeu uma chuva de críticas.

 

Para Rodrigo Martins Leite, coordenador dos ambulatórios do Instituto de Psiquiatria da USP, o caso revela um paradoxo: mesmo super conectados, talvez os jovens estejam mais sozinhos do que nunca. “No início, tinha-se a ideia de que as redes seriam potencializadoras de relações sociais concretas, mas estamos nos estranhando”, diz.

 

Para se blindar de sensações desagradáveis, o chamado “unfollow terapêutico” virou recomendação médica. E, segundo Leite, buscar contato presencial com pessoas – no lugar de arrobas – continua sendo a melhor saída contra a sensação de isolamento.


Isolamento pode ser indício a pais


1. Mediação. Redes sociais não são nocivas por si só e podem ser úteis para estudos e relacionamentos, mas dependem de mediação. Para Anna Lucia King, doutora em Saúde Mental pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), pais devem ficar atentos ao comportamento dos filhos, como tempo de conexão e teor de conteúdos vistos e publicados.

 

2. Tempo de tela. É importante garantir que o uso da internet não se sobreponha a momentos de interação presencial com a família e amigos e às atividades físicas. O horário de sono também deve ser preservado.

 

3. Sinais. Não é simples perceber depressão em crianças. “Dificilmente elas vão falar”, diz Rodrigo Leite, psiquiatra da USP. Isolamento, mudança brusca de humor e troca repentina de amigos podem ligar o sinal amarelo.

 

4. Apoio. Se for detectado um sofrimento ligado à internet, deve-se buscar ajuda profissional. Em alguns casos, pode ser recomendado deixar de seguir perfis considerados nocivos ou mesmo se afastar de algumas plataformas por um tempo.

 

‘Na verdade, você está preso’


Depoimento de Paula Silva, de 18 anos, estudante:

 

“Não acho que minha depressão veio da internet, mas a internet colabora. Fico em uma bolha, posso conviver com pessoas que pensam como eu, posso criar um modelo de uma vida que não é real e perder o foco do que acontece. Uma das redes que não uso mais é o Instagram. É impossível ver a foto de alguém com um corpo bonito e não se sentir inferiorizada. Você sente que não tem uma vida boa o suficiente. Eu não precisava de mais de três minutos para sentir que precisava mudar tudo em mim. Minhas fotos tinham de ser em um ângulo perfeito, com luz perfeita, sem nada que alguém pudesse usar para criticar. Cheguei ao ponto de demorar horas para postar. Você tem a sensação de liberdade, de que pode falar o que quiser, mas na verdade está preso.” (Com Jornal O Estado de S. Paulo)

 

 

 

Hashtag:
Bolo de milho de frigideira: rápido e fácil

Nada melhor do que poder preparar uma receita que seja rápido e ao mesmo tempo deliciosa, certo? A receita de bolo de milho de frigideira, ensinada pela nutricionista Clarice Cruz, será uma excelente opção para o seu café da tarde. Confira:

 


Ingredientes


100 gramas de milho
100 ml de leite de coco caseiro
½ xícara de flocão de milho
? xícara de açúcar demerara (ou xilitol)
3 colheres (sopa) de óleo de coco
2 colheres cheias (sopa) de coco ralado
½ colher (sopa) de fermento

 

No liquidificador bata o milho com leite de coco, acrescente o flocão de milho, açúcar e óleo de coco. Adicione o coco ralado e bata mais um pouco. Acrescente o fermento e mexa com uma colher.

 

Coloque a massa na mini frigideira untada (14cm de diâmetro), tampe e leve ao fogo bem baixo por 8 minutos, quando a massa estiver firme. Vire o lado da frigideira e deixe mais 5 minutos. Finalize com um pouco de coco ralado. (Com Minha Vida)

 

 

 

 

Hashtag: |
O que causa queda de cabelo? Veja 7 razões para isso

Pode até não parecer, mas ao contrário do que muitos pensam, é perfeitamente normal que os cabelos caiam. Porém, essa questão pode se tornar um problema quando a quantidade de fio que cai é maior que o habitual e se há pontos do couro cabeludo à mostra. Por isso, é bem importante entender o que causa queda de cabelo de fato para evitá-la.

 

De acordo com a dermatologista e tricologista Kédima Nassif, que é membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), é comum que cada pessoa perca cerca de 60 a 100 fios de cabelo por dia. Para identificar se a quantidade de cabelo que solta do seu couro cabeludo é normal, a profissional ensina um truque:

 

“Uma dica para saber se seu cabelo está caindo mais do que deveria é o teste de tração. Para realizá-lo basta unir seus cabelos em uma pequena mecha de cerca de 60 e puxar, deslizando suas mãos até as pontas dos fios. Se neste processo saírem mais de seis fios é sinal que você deveria buscar um tricologista”, completa. Mas, afinal, o que causa queda de cabelo ?

 

A especialista pontuou as principais causas da queda capilar. Confira:

 

1. Genética


“Existe a chance de você ser geneticamente predisposto a sofrer com afinamento e queda de cabelo, o que significa que ocorrerá uma redução progressiva do volume dos cabelos com o passar do tempo. Nestes casos o que acontece é que os folículos, devido a sensibilidade aos hormônios masculinos adquirida geneticamente, passam a diminuir de forma gradual, assim produzindo fios menores e mais finos a cada ciclo de crescimento dos cabelos.”

 

2. Desequilíbrio hormonal


Desequilíbrios hormonais podem afetar causar alterações em todo o organismo, inclusive nos cabelos. Isso por que os hormônios possuem um papel fundamental na regulação do ciclo de crescimento capilar. “Enquanto os estrogênios, hormônios femininos, ajudam a manter os cabelos crescendo, os andrógenos, hormônios masculinos, podem encurtar esse ciclo de crescimento, fazendo com que os fios cheguem a fase de queda mais rapidamente."

 

Dessa forma, a médica explica que excesso de hormônios andrógenos pode causar a perda dos cabelos. Este problema também está relacionado a genética, já que o desequilíbrio hormonal afeta muito mais os cabelos de pessoas que tem predisposição a sensibilidade folicular do que daqueles que não possuem tal predisposição.

 

3. Deficiência de ferro


De acordo com a Dra. Kédima, uma das principais e mais comuns causas da queda de cabelo em mulheres é a deficiência de ferro no sangue, visto que o nutriente é fundamental para a produção de proteína para as células capilares.

 

4. Deficiência de vitamina B12


“A deficiência de vitamina B12 está diretamente relacionada a queda capilar, pois o nutriente é fundamental para garantir a saúde dos glóbulos vermelhos do sangue, responsáveis por carregar o oxigênio para nutrir diferentes tecidos do corpo, incluindo os folículos capilares."

 

5. Hipotireoidismo e hipertireoidismo


A glândula tireoide ajuda a regular o metabolismo do corpo, controlando a produção de proteínas e o uso de oxigênio pelos tecidos. “Logo, qualquer desequilibro nesta glândula pode afetar os folículos capilar. Além disso, o hipotireoidismo pode levar a um quadro anêmico do paciente, o que, devido a deficiência de ferro, também pode afetar o cabelo”, afirma.

 

6. Estresse


Quando estamos estressados, há um aumento dos níveis de cortisol, o que pode causar queda capilar. Além disso, o estresse pode promover o aparecimento de outros problemas no couro cabeludo, como caspa, o que também possui um impacto negativo nos cabelos.

 

7. Idade


É importante ter em mente que conforme você envelhece, seus cabelos também envelhecem , tornando-se naturalmente mais finos e, consequentemente, acabam caindo. “Quando a mulher entra na menopausa, por exemplo, começam a ocorrer mudanças no organismo que também afetam os cabelos. Sendo assim, a queda de cabelo torna-se mais prevalente após este período”, completa a dermatologista.

 

Para saber o que causa queda de cabelo, consulte um médico


O mais importante para entender o que causa queda de cabelo é observar e, depois, procurar um especialista para exames


De acordo com a médica, é importante ressaltar ainda que a queda de cabelo não ocorre de forma repentina, pois os fios crescem em ciclos, podendo então levar até três meses para que o cabelo comece a cair por causa dos motivos citados acima.

 

“Sendo assim, é importante que ao notar queda excessiva dos fios você não se desespere. O ideal é acompanhar este processo e consultar um tricologista sempre que houver a suspeita de uma queda aumentada”, diz Kédima.

 

De acordo com ela, o especialista poderá realizar uma avaliação e diagnóstico para saber o que causa queda de cabelo , e então indicar o melhor tratamento para o seu caso, seja ele por suplementos, aplicação de laser ou LED ou tratamentos em clínica, como microagulhamento. (Com Delas - iG) 

 

 

 

Hashtag: