Pão de queijo low carb: receita de frigideira é fácil

É difícil resistir à iguaria mineira que chamamos de pão de queijo. No entanto, uma única porção desse quitute pode pesar na consciência e no estômago de quem deseja emagrecer ou simplesmente manter uma alimentação saudável.


Por esse motivo, o Minha Vida traz a receita de pão de queijo low carb da nutricionista Ana Paula Gava. Veja a seguir os ingredientes, como fazer e os benefícios do petisco para a saúde.

 

Ingredientes

1 ovo
½ colher de sopa de goma de mandioca hidratada
1 colher de sopa de queijo parmesão ralado na hora
1 colher de sopa de chia
Azeite
2 fatias de queijo minas meia cura

 

Modo de preparo

 

Coloque o ovo, a goma de mandioca, o queijo parmesão e a chia numa vasilha e bata todos os ingredientes até que adquiram uma consistência de massa.

 

Em seguida, utilize uma frigideira para levar a mistura ao fogão, acrescentando apenas um pouco de azeite para não grudar. Vire para dourar do outro lado. Por último, dobre a massa ao meio e acrescente as fatias de queijo minas. Sirva.

 

Benefícios do pão de queijo low carb

 

A receita de pão de queijo low carb utiliza queijos curados (o parmesão e o queijo minas), que são mais fermentados e possuem baixa quantidade de lactose (transformada em carboidrato no organismo).

 

Além disso, esses queijos curados têm alta concentração de ácidos graxos de cadeia curta, que são as chamadas "gorduras boas", que fazem bem para o intestino e para o colesterol, melhorando a resposta do corpo à insulina.

 

A presença de chia na receita também promove maior saciedade no estômago, diminui o índice glicêmico da refeição e ajuda a regular o intestino, uma vez que é rica em fibras, elemento importante para o trânsito intestinal.

Hashtag:
Consumidor já pode fazer consulta ao cadastro positivo; saiba como

Criado oficialmente em 2011 e regulamentado apenas no ano passado, o cadastro positivo começou a ser consultado neste fim de semana. O cadastro reúne informações de operações financeiras e obrigações de pagamento de pessoas físicas ou jurídicas, que possibilita a visualização de todo o comportamento e o histórico do pagador. Nesta primeira fase, no entanto, apenas as informações bancárias dos consumidores foram liberadas.

 

Essa “lista de bons pagadores” traz uma nota (ou “score”) do consumidor, que é calculada com base nas operações de crédito em geral, como empréstimos bancários, financiamentos imobiliários e cartão de crédito, além de pagamentos de serviços continuados, como luz, água e telefone.


A promessa é que os consumidores com melhores notas vão ter acesso a melhores opções de juro e crédito e também prazos de pagamento mais longos.


“Essa medida representa um enorme avanço em comparação ao sistema anterior, que só considerava os aspectos negativos”, afirma Lola de Oliveira, diretora de Serviços ao Consumidor da Boa Vista SCPC.

 

A expectativa é que a medida também ajude endividados a regularizarem suas contas. De acordo com dados divulgados pela Associação Nacional dos Bureaus de Crédito (ANBC), a estimativa é que 45% dos endividados consigam se estabilizar financeiramente por meio do programa. “A ideia é que o consumidor que passou por um problema financeiro pontual consiga recuperar sua reputação no mercado por meio do seu histórico de bom pagador”, diz Vilásio Pereira, gerente de Cadastro Positivo do SPC Brasil.

 

Clique aqui para ter acesso ao Cadastro

 

Os cadastros, que foram abertos automaticamente, já podem ser consultados pelos consumidores nas páginas ou praças de atendimento dos quatro birôs autorizados pelo Banco Central (BC) a atuar como gestores: Serasa, Boa Vista SCPC, SPC Brasil e Quod Já estão com os dados registrados no sistema todos aqueles que receberam uma notificação por meio de carta, e-mail ou SMS.

 

Para consultar sua nota, o consumidor precisa informar nome completo, CPF, e-mail e número de telefone. Em alguns casos, será preciso enviar uma fotografia em formato selfie com fotos dos documentos. A validação do cadastro será feita por e-mail ou SMS.

 

As informações podem ser consultadas pelo varejo, bancos e demais instituições financeiras. Todo cidadão que contratar uma operação de crédito ou tiver conta de serviço continuado estará automaticamente incluído no cadastro positivo. Quem quiser sair do sistema, precisará fazer a solicitação a um dos gestores. A exclusão dos dados dos sistemas ocorrerá em até dois dias.

 

A expectativa do Banco Central é que, com o cadastro positivo, a avaliação do risco de crédito seja aprimorada, com queda das taxas de juros cobradas dos bons pagadores e redução dos índices de inadimplência.

 

‘Desbancarizados’

 

Nesta primeira etapa, estão sendo analisadas apenas as informações bancárias dos consumidores – que têm sido enviadas desde 11 de novembro do ano passado. “Esperamos que as empresas de serviço continuado (luz, água, telefonia e gás) enviem seus dados ainda no primeiro semestre de 2020”, diz Pereira.

 

A inclusão dos dados dessas empresas deve permitir uma adesão de pessoas ainda maior, acredita Lola. “O cadastro positivo será mais inclusivo, pois inclui todas aquelas pessoas que são consideradas invisíveis pelo mercado e eliminar a assimetria de informações.”


Tanto que uma das metas do programa é atingir os 45 milhões de “desbancarizados” (sem nenhuma relação com os bancos) no País, segundo dados do Instituto Locomotiva de 2019.

 

Outro ponto positivo, segundo Pereira, é que a abertura de dados deve estimular a concorrência. “Uma de nossas intenções é descentralizar informações que antes ficavam apenas sob o controle das instituições bancárias e permitir que elas cheguem com mais facilidade às fintechs, por exemplo. Isso deve melhorar as condições e as ofertas de crédito no mercado”, afirma ele. (Com Estadão Conteúdo)

 

 

Hashtag:
Carne processada: o que é, malefícios e relação com o câncer

Bacon, toucinho, salsichas, salame, linguiças, presuntos, nuggets de frango, pepperoni, carnes enlatadas, os molhos à base de carne. Todos esses alimentos fazem parte do rol das carnes processadas. Mas o que são elas e quais os efeitos na nossa saúde?


O que é carne processada

 

Carne processada é aquela que foi modificada para melhorar o sabor ou prolongar sua vida útil. Ela passa por um processo que inclui fermentação, defumação, adição de sal, além de conservantes.

 

Causa câncer?

 

De acordo com o relatório da Agência Internacional para a Pesquisa do Câncer (IARC), publicado no periódico científico The Lancet, a ingestão de cerca de 50 gramas de carne processada por dia aumenta em 18% a chance de se desenvolver o câncer colorretal. Esse tipo de tumor é aquele que afeta o intestino grosso e/ou reto, podendo comprometer outros órgãos também.

 

Esses dados confirmam descobertas anteriores da Organização Mundial de Saúde (OMS), que já havia colocado as carnes processadas na lista de alimentos considerados como cancerígenos.

 

Por isso, a atenção deve ser, de fato, dobrada por conta dos efeitos negativos à saúde. Entretanto, para um indivíduo, o risco de ter a doença por causa do consumo desse tipo de alimento vai depender de alguns fatores, como:

 

A quantidade em que ele é consumido
Frequência de consumo
Estilo de vida (se fuma, bebe, se é sedentário).
Carne vermelha faz mal?
Ressalto que o consumo da carne vermelha em geral, quando bem escolhida, é benéfico para o nosso organismo. Isso porque ela contém todos os aminoácidos essenciais para o corpo humano.

 

Além disso, é rica em ferro, zinco e vitaminas do complexo B, principalmente a vitamina B12. Vale lembrar que se ela for preparada grelhada ou assada, é melhor ainda para a saúde.

 

O tipo de corte também é importante e a opção deve ser sempre pelos cortes magros, que tem aquela parte da gordura menos aparente.

 

Como médico nutrólogo, eu recomendo que todos tenham um estilo de vida saudável, que tenham uma alimentação saudável e, para isso, as carnes não precisam, necessariamente, ficar de fora do nosso dia a dia.

 

Malefícios da carne processada

 

Carne processada é responsável por uma em cada 30 mortes

Consumo de carne processada aumenta risco de câncer de pâncreas

Carnes processadas aumentam o risco de câncer de mama (Com Bem Paraná)

 

 

 

 

Hashtag: |
WhatsApp deixará de funcionar em alguns aparelhos. Saiba quais

O WhatsApp avisou nesta segunda dia 09, que o aplicativo de mensagens mais popular do Brasil e do mundo vai deixar de funcionar em alguns modelos de aparelhos e sistemas operacionais.

 

Ou seja, se o seu celular estiver na lista que mostraremos abaixo, prepare-se, pois vai ser preciso investir em um novo.

 

De acordo com o comunicado do WhatsApp, o aplicativo não vai mais rodar no Windows Phone a partir de 1º de janeiro de 2020. Além dele, os aparelhos que rodam os sistemas iguais ou inferiores ao iOS 8 e Android 2.3.7 também passam a ser incompatíveis com o mensageiro em 1º de fevereiro, mas antes disso algumas funções já devem deixar de funcionar.

 

 

 

Hashtag:
Geladeira pode representar até metade da conta de luz

Não é só o aparelho de ar-condicionado que trabalha mais nos meses de calor. Os refrigeradores também exigem cuidado para que seu uso nos meses de calor não pese na conta de luz. O consumo mensal dos equipamentos avaliados pelo Inmetro no Programa Brasileiro de Etiquetagem chega a 85 kWh (quilowatt-hora), o que representa 51% do consumo médio residencial paranaense.



Para evitar surpresas na conta de luz, a atenção ao consumo de energia deve começar na hora da compra e se estender por todo o tempo de uso dos aparelhos. De acordo com o superintendente comercial da Copel, João Acyr Bonat Junior, o consumidor precisa avaliar o custo-benefício do conforto que procura. “Por exemplo, a capacidade da geladeira e a tecnologia aplicada em sua fabricação influenciam no consumo. Geladeiras maiores, frost-free, ou com o congelador na parte inferior normalmente consomem mais energia. Por outro lado, a tecnologia inverter reduz o consumo do aparelho”, explica.



Mesmo entre aparelhos avaliados como “nível A” pelo Inmetro –que correspondem de 70 a 98% da amostra total nesta categoria -, há variações significativas de consumo, que podem ser consultadas antes da aquisição na tabela disponível no site do Inmetro, ou estimadas pelo simulador de consumo disponibilizado na página da Copel. Isso acontece por causa da diferença de potência. Enquanto geladeiras mais comuns têm potência média de 45 a 150 watts, as duplex têm potência, em geral, de 250W.



A forma de uso do aparelho também influencia no resultado da conta. O refrigerador deve ser instalado em local bem ventilado, afastado das fontes de calor, como o fogão ou a luz do sol. Para que a placa na parte de trás do refrigerador possa expelir o calor, é recomendado deixar um mínimo de três centímetros livres nos lados, e oito centímetros livres nos fundos.



Regular a temperatura de acordo com a estação do ano e abrir a porta só quando necessário também são recomendações que precisam ser observadas. “Toda vez que a porta é aberta, o ar quente entra e o motor precisa trabalhar mais para retornar à faixa dos 3° C a 5° C na geladeira, -15° C no congelador, bem diferente da nossa temperatura ambiente”, alerta Acyr. Pelo mesmo motivo, colocar alimentos ainda quentes dentro da geladeira e deixar fresta na porta por causa da borracha já ressecada são situações que aumentam o consumo de energia.



OBJETIVOS DO DESENVOLVIMENTO – O consumo consciente de energia elétrica não é apenas importantes para manter o orçamento familiar sob controle, mas também contribui para o cumprimento dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS), melhorando o uso dos recursos naturais do planeta.



Saiba mais sobre os ODS e em www.copel.com/sustentabilidade.

 

 

 

 

Hashtag:
Whatsapp é principal fonte de informação do brasileiro, diz pesquisa

Uma pesquisa realizada pela Câmara dos Deputados e pelo Senado mostrou o Whatsapp como principal fonte de informação dos entrevistados: 79% disseram receber notícias sempre pela rede social.

 

O ambiente possui mais de 136 milhões de usuários no Brasil, sendo a plataforma mais popular juntamente com o Facebook.

 

Depois do Whatsapp, outras fontes foram citadas, misturando redes sociais e veículos tradicionais na lista dos locais onde os brasileiros buscam se atualizar. Apareceram canais de televisão (50%), a plataforma de vídeos Youtube (49%), o Facebook (44%), sites de notícias (38%), a rede social Instagram (30%) e emissoras de rádio (22%). O jornal impresso também foi citado por 8% dos participantes da sondagem e o Twitter, por 7%.

 

No caso da televisão, o percentual foi maior entre os mais velhos: 67% dos consultados com mais de 60 anos disseram se informar sempre por esse meio, contra 40% na faixa entre 16 a 29 anos.

 

Já o Youtube apareceu como mais popular entre os mais jovens. Os que afirmaram ver vídeos sempre na plataforma chegaram a 55% na faixa de 16 a 29 anos, contra 31% entre os com 60 anos ou mais.

 

No caso do Instagram, a diferença é ainda maior. Entre os jovens, 41% relataram buscar informações sempre na rede social. Já na faixa dos 60 anos ou mais, o índice caiu para apenas 9%.

 

A pesquisa também avaliou os hábitos dos entrevistados nas redes sociais. O tipo de ação mais comum foi a curtida de publicações, ato realizado sempre por 41% dos participantes da sondagem. Em seguida, vieram compartilhamento de posts (20%), publicar conteúdos (19%) e comentar mensagens de outros (15%).

 

Método

 

A pesquisa ouviu 2.400 pessoas com acesso à internet em todos os estados e no Distrito Federal. As entrevistas foram realizadas por telefone no mês de outubro.

 

A amostra foi composta de modo a buscar reproduzir as proporções da população, como as de gênero, raça, região, renda e escolaridade. Segundo os autores, o nível de confiança é de 95%, com margem de erro de dois para mais ou para menos. (Com Agência Brasil)

 

 

 

Hashtag:
O que ocorre no cérebro do bebê ao reconhecer a mãe? Exame revela

Imagens de uma ressonância magnética feita no Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT), nos Estados Unidos, em 2015, viralizaram recentemente. Isso porque o exame capturou o que acontece no cérebro de um bebê no momento exato em que ele reconhece sua mãe.


A ressonância foi feita com a neurocientista Rebecca Saxe, e seu filho quando tinha dois meses.

 

Na imagem, foi possível ver que o beijo no bebê causou uma explosão de ocitocina, o hormônio do amor. O carinho também liberou vasopressina, que liga as mães com bebês, e serotonina, o hormônio do prazer, que ajuda a regular o humor.

 

Cérebro dos bebês

 

O que parecia ser apenas uma imagem encantadora era parte de um estudo maior. "No meu laboratório, no MIT, usamos a ressonância magnética para observar o fluxo sanguíneo no cérebro das crianças. Lemos as histórias e observamos como a atividade cerebral muda em relação ao ambiente. Ao fazer isso, estamos investigando como as crianças reagem sobre os pensamentos de outras pessoas", explica Rebecca em seu artigo.

 


Para essa pesquisa, os cientistas examinaram 17 bebês de 4 a 6 meses por 26 horas e descobriram que o córtex visual, parte do cérebro que processa todas as informações visuais, enfrenta o mesmo processo que os adultos. Isso sugere que essas funções cerebrais se formam durante os primeiros meses de vida.

 


Para escanear as reações cerebrais dos bebês, os pesquisadores mostravam a eles vídeos de crianças sorrindo ou cenas ao ar livre. As descobertas revelaram que muitas regiões do cérebro dos bebês mostravam a mesma preferência por cenas ou rostos, assim como no do adulto.

 

Importância do carinho para o cérebro dos bebês

 

Segundo uma pesquisa realizada pelo National Children's Hospital, crianças que recebem abraços e colo têm uma melhor resposta neurais a estímulos externos do que crianças que têm poucas interações afetivas com os seus pais.

 

Quando você abraça e demonstra carinho por seu filho, você o ajuda a ter mais confiança em si mesmo. Além disso, ao expressar afeto ao pequeno, você o faz sentir amado e acolhido, o que traz inúmeros benefícios para sua saúde física e emocional. (Com Minha Vida)

 

 

 

Hashtag:
Leo sobre fim da dupla com Victor: “Tinha enchido o saco”

Leo falou a respeito do fim da dupla com o irmão, Victor Chaves. Em entrevista ao “The Noite”, na última quarta dia 20, o sertanejo assumiu que a relação artística deles já estava desgastada.

 

“Claro que faz falta a segunda voz e o violão dele. Mas já tinha enchido o saco, principalmente ele. Foram 27 anos”, confessou o famoso no papo com o apresentador e comediante Danilo Gentili.

 

Apesar disso, o artista revelou que ainda é associado ao antigo parceiro de palco: “Depois que você vem de uma marca como Victor e Leo você tenta ser só Leo e não consegue. Pedem para tirar foto comigo e perguntam dele”. (Com MSN)

 

 

 

 

Hashtag:
O que comer e o que evitar durante a fase de amamentação

A fase de amamentação é um momento muito importante para mãe e para o bebê. Segundo a nutricionista Mariana Costa, “a alimentação durante essa fase já é fator primordial no que diz respeito aos hábitos alimentares da criança”. Você sabia que desde a fase do aleitamento o bebê já pode sentir os sabores e aromas dos alimentos consumidos pela mãe?

 

É fundamental que a mulher cuide da alimentação, buscando sempre consumir receitas saudáveis e equilibradas, além de beber muita água, pois isso vai ajudar o corpo a produzir leite materno com os nutrientes que o bebê precisa. Confira a seguir o que comer e o que evitar durante a fase da amamentação:

 

De acordo com a nutricionista Mariana Costa, a dieta da mulher deve ser variada e rica em frutas, legumes, verduras e cereais. Deve-se dar preferência a alimentos in natura e evitar os processados e os ultraprocessados. Além disso, é necessário beber bastante água. Confira a seguir exemplos de bons alimentos:

 

Sucos de frutas naturais

 

O leite materno é composto em 80% por água, por isso é muito importante que a mulher esteja muito ligada à sua rotina de hidratação, sempre tomando bastante água. Tomar suco de frutas é uma boa forma de repor líquidos de maneira saudável e saborosa. Invista em frutas ricas em água como melancia e melão, por exemplo, mas cuidado com o excesso, pois você pode acabar ingerindo muitas calorias de uma só vez.

 

Água de coco


Na fase de amamentação, a água de coco é uma forma de repor os líquidos para estimular a produção de leite materno, além de trazer muitos benefícios e nutrientes como sódio e potássio, que ajudam a equilibrar os líquidos do corpo.


Sopa de legumes


É essencial que a mãe lactante cuide bem de sua alimentação, consumindo sempre muitos vegetais. Sopas de legumes são formas incríveis de consumir nutrientes de maneira prática, com bastante líquido, o que ajuda o corpo a metabolizar o leite materno com mais facilidade.

 

Alimentos integrais


Alimentos ricos em fibras, como os cereais integrais, são fontes de bons carboidratos que vão garantir energia para a mãe e, através disso, colaboram para a produção de leite. Além disso, esses alimentos estimulam o funcionamento do intestino e melhoram a digestão.

 

Alimentos ricos em ferro

 

Alimentos ricos em ferro como carnes magras, feijões e folhas verdes são essenciais para quem está amamentando, pois o ferro estimula a produção de hemoglobinas, que baixam significativamente depois do parto. Além disso, esses alimentos são importantes para saúde do bebê, pois o ferro é o nutriente que previne a anemia infantil.

 

Alimentos que devem ser evitados durante a amamentação

 

Álcool


Mulheres em fase de amamentação não devem consumir álcool, uma vez que o álcool é rapidamente metabolizado e absorvido pelo leite materno, fazendo com que o leite tenha a mesma concentração de álcool que foi ingerida pela mãe. A partir disso, o bebê também consome essa substância, mas não pode metabolizá-la. Além disso, o álcool desidrata a mãe, atrapalhando a produção de leite.

 

Alimentos ricos em cafeína

 

Alimentos ricos em cafeína como café, chá-verde e preto, refrigerantes de cola e energéticos devem ser evitados pois a cafeína é um estimulante que pode atrapalhar o sono do bebê, deixando-o mais irritado. A recomendação é tomar no máximo 2 xícaras de café por dia ou tomar café descafeinado.

 

Alimentos ultraprocessados

 

Alimentos industrializados e ultraprocessados como enlatados, embutidos, refrigerantes, biscoitos e sorvetes devem ser evitados. Como são alimentos pobres de nutrientes, cheios de açúcares e gorduras saturadas, atrapalham a produção de leite.

 

Com dúvidas sobre como alimentar-se durante a amamentação? Procure um nutricionista e não esqueça de fazer acompanhamento médico. (Com MSN/TudoGostoso)

 

 

 

 

 

 

Hashtag:
Utensílios de plástico na comida quente são tóxicos; entenda

Os cuidados com a saúde para uma alimentação saudável na cozinha não terminam na escolha dos alimentos. Sabe quando esquentamos a comida em vasilhas de resina ou utilizamos aquela espátula de plástico velha para mexer algo na panela? Isso pode estar fazendo mal à sua saúde sem você saber.

 

Isso porque os utensílios que usamos - como aqueles feitos de plástico, podem conter resina de melamina e formaldeídos, e serem liberados quando aquecidos. Em determinada quantidade, essas substâncias são tóxicas se ingeridas pelo corpo. E exatamente quando estão dentro do microondas ou em panelas quentes, podem ultrapassar os limites recomendados pelo "Federal Institute for Risk Assessment".

 

Plástico no microondas e em temperaturas altas

 

Em temperaturas até 70ºC, o plástico libera a melamina numa quantidade ainda considerada segura para o corpo. No entanto, acima disso e durante um período de tempo longo, o valor pode ser mais alto e então prejudicar a saúde.

 

Vale lembrar que o limite de melamina na comida é de 30 mg/kg, de acordo com Regulamentação da União Europeia. E, para evitar essa quantidade, a temperatura da panela não é a única coisa a se manter atento.

 


Segundo o BfR, a degradação desse material plástico pode ser ainda maior com alimentos que contém algum ácido, principalmente frutas e vegetais. Por conta disso, a camada externa do plástico fica mais frágil e a liberação da melamina se torna mais rápida.

 

Melamina: por que faz mal?


De acordo com American Journal of Nephrology, existem efeitos colaterais da ingestão e inalação de melamina, que pode ocorrer, inclusive, durante o cozimento de alimentos.

 

Ela pode levar a problemas respiratórios, no aparelho digestivo também complicações renais. Isso acontece porque a substância pode causar irritação e até atrapalhar o funcionamento de órgãos.Veja os sintomas:

 

Ingestão

diarréia
náuseas
vômitos

 

Inalação


irritação ocular
irritação do trato respiratório (Com Minha Vida)

 

 

Hashtag:
Existe um tipo de vinho que é mais saudável; veja

Diferente do que muitos imaginam, o vinho pode ser uma bebida que oferece diversos benefícios à saúde mesmo sendo uma bebida alcoólica. Porém, existe um tipo de vinho que pode ser mais saudável que os demais.

 

Essa variação acontece entre o vinho suave e o vinho seco, sendo este último o mais saudável. Segundo a nutricionista Maria Cláudia Santos, ele é mais saudável porque o vinho seco é preparado com uvas nobres. Entre as espécies mais comuns ela destaca: Cabernet Sauvignon, Merlot e Chardonnay.

 

"Na fabricação do vinho seco não há o acréscimo de açúcar durante o preparo. Dessa forma, o sabor levemente adocicado é conferido pelo açúcar da própria fruta, cerca de 3 gramas por litro", explica a nutricionista.

 

Por outro lado, o vinho suave é feito com uvas comuns, como a Niágara e a Concord. Ambas passam pelo processo de adição de açúcar na sua fabricação, com teores superiores a 20 gramas por litro.

 


Como escolher o vinho

 

Então, a sugestão da nutricionista é priorizar o consumo dos vinhos secos. A sugestão é ainda maior para pessoas que sofrem de diabetes, pois estas precisam gerenciar o consumo de açúcar.

 


Nesses casos, o nutrólogo José Marcelo Natividade recomenda que os pacientes com diabetes, mesmo optando pelo vinho seco, fiquem atentos aos níveis de açúcar das opções entre essa categoria. De acordo com ele, as melhores opções são: Tempranillo, Tannat e Tinto de Riojas.

 

Benefícios do Vinho

 

Vinho reduz ansiedade, é antidepressivo e não é pelo álcool

Substância encontrada no vinho pode ajudar a emagrecer

Vinho pode ser eficaz contra o câncer de próstata  (Com Minha Vida)

 

 

 

Hashtag:
Torta de abóbora com frango: faça com apenas 3 ingredientes

A nutricionista Carol sapucaia publicou em seu Instagram uma receita super fácil de fazer, com poucos ingredientes que serve como uma refeição completa. Veja como fazer a torta de abóbora com frango:

 

Ingredientes

 

200g de abóbora amassada
100g de frango desfiado temperado
1 ovo

 

Como fazer

 

Para preparar: amasse a abóbora com um garfo, misturei com o ovo e depois com o frango. Coloque em um refratário e asse por 30 minutos. (Com Minha Vida)

 

 

 

Hashtag: