Movimentação de cargas pela Ferroeste cresce 34%, com novo recorde

A movimentação de cargas pela Ferroeste (Estrada de Ferro Paraná Oeste S/A), que liga Cascavel a Guarapuava e transporta a produção agropecuária do Oeste paranaense para o Porto de Paranaguá, cresceu 34% nos primeiros dez meses de 2020, em relação ao mesmo período de 2019.  O volume de janeiro a outubro deste ano chegou a 1,2 milhão de toneladas transportadas e, mesmo sem contar novembro e dezembro, já é a maior quantidade registrada pela empresa em um ano.

 

Nesta terça dia (01), o governador Carlos Massa Ratinho Junior esteve na Ferroeste e entregou o primeiro pacote de revitalização e modernização das locomotivas e vagões empresa. Passam pelos trilhos da ferrovia grãos e frango refrigerado, que são enviados para exportação via Porto de Paranaguá, e fertilizantes e cimento ensacado, transportados até Cascavel. O trabalho apenas na movimentação de grãos (730 mil toneladas) atingiu patamar histórico, ajudando a potencializar as exportações de soja do Paraná, que atingiram US$ 4,4 bilhões até outubro, 31% de tudo o que saiu do Estado para outros países e 57% maior em relação a 2019.

 

Entre janeiro e outubro deste ano a Ferroeste registrou lucro operacional de R$ 1,2 milhão e faturamento bruto de R$ 19 milhões, segundo balanço da empresa.  Também houve redução dos custos operacionais em relação a 2019, em cerca de 35%, consequência de um trabalho de austeridade. O resultado consolida o bom desempenho que a empresa vem conquistando desde o ano passado, quando pela primeira vez a estatal, criada em 1996, fechou com lucro.

 

“Queríamos mostrar que um bom trabalho pode fazer a diferença na Ferroeste. Ela nunca havia dado lucro e a média era de prejuízo de R$ 7 milhões por ano. Agora começou a dar lucro, estamos em novo patamar”, disse o governador Carlos Massa Ratinho Junior. “Hoje a Ferroeste é referência em volume, logística, em apoio ao agronegócio, manchete na imprensa nacional”.

 

EFICIÊNCIA - Segundo o secretário estadual de Infraestrutura e Logística, Sandro Alex, a Ferroeste parou de custar ao bolso do paranaense. “A empresa é símbolo de eficiência e isso é comprovado com números. Ano passado ela teve lucro e entramos no segundo ano da mesma forma, além de conseguir inclui-la no Programa de Parcerias de Investimentos (PPI) do governo federal”, disse. “Temos que agradecer essa equipe. Se fosse fácil, estava feito. Temos o objetivo de conectar a ferrovia com o Centro-Oeste e transformar a logística do Estado para sempre”.

 

Para o diretor-presidente da Ferroeste, André Gonçalves, esses números foram alcançados com austeridade, gestão, parceria com o setor produtivo e o acordo com a Rumo Logística para ampliar a capacidade de escoamento da safra da região Oeste pelo ramal ferroviário. As duas empresas passaram a dividir os trilhos no começo deste ano – a Rumo, que opera o trecho entre Guarapuava e Paranaguá, passou a entrar com seus vagões na malha da Ferroeste, dobrando a capacidade de operação das empresas.

 

“Esse ano trabalhamos com a Rumo em uma operação contínua. Em termos de faturamento não é tão alto, mas o resultado é bom. O grande ganho é a melhoria do atendimento do setor produtivo. Queremos aumentar gradativamente essa performance enquanto a Nova Ferrovia não sai do papel”, destacou Gonçalves. “A solução do gargalo logístico está na ferrovia. Ficamos para trás. É hora de recuperar esse tempo perdido”.

 

DESESTATIZAÇÃO - A Ferroeste foi qualificada em meados deste ano no âmbito do Programa de Parcerias de Investimentos (CPPI) do governo federal, o que deve acelerar o seu processo de desestatização. O pedido foi feito pelo Governo do Estado e significa que a União vai ajudar o Paraná com apoio técnico regulatório necessário em diversas áreas, da modelagem e meio ambiente à atração de investidores.

 

A expectativa é colocar a Ferroeste em leilão na B3 até o final de 2021 já com o Estudo de Viabilidade Técnica, Econômica e Ambiental (EVTEA), o Estudo de Impacto Ambiental (EIA) e seu respectivo Relatório de Impacto Ambiental (RIMA) da ferrovia que liga Maracaju (MS) a Paranaguá concluídos. O modelo de concessão (total ou parcial) será discutido em um Comitê de Governança do Projeto, mas a ideia é que o setor produtivo assuma a companhia é o compromisso com a construção desses novos trilhos.

 

A nova ferrovia terá 1.371 quilômetros. O projeto inclui a construção de uma malha entre Maracaju e Cascavel (Oeste do Paraná), a revitalização do atual trecho ferroviário operado pela Ferroeste, entre Cascavel a Guarapuava; a construção de um novo traçado entre Guarapuava e Paranaguá e de um ramal multimodal entre Cascavel e Foz do Iguaçu. Como está em fase de elaboração, não há um valor definido para a obra.

“Os estudos de viabilidade econômica e ambiental estão em andamento, e a modelagem econômico-financeiro está em fase final de contratação. Com os três vamos chegar no leilão da B3 até o final do ano que vem”, disse o diretor-presidente da Ferroeste. Segundo ele, o trilho original será conhecido ainda no final deste ano.

 

Além disso também está sendo feito o valuation da companhia para levantamento dos ativos da empresa.

 

INVESTIMENTOS - Também há melhorias em andamento com recursos do Governo do Estado na Ferroeste. Eles englobam R$ 1 milhão na construção de um parque fotovoltaico para reduzir em 50% os gastos com energia elétrica, R$ 1 milhão para resolver os nove pontos críticos do trecho Guarapuava-Cascavel, diminuindo as restrições de velocidade e melhorando a eficiência do transporte; e R$ 3 milhões com apoio de Itaipu Binacional para a contratação dos Estudos de Viabilidade Técnica, Econômica e Ambiental (EVTEA) dos terminais de Cascavel (novo plano-diretor para modernização do terminal, preparando a estrutura para a ferrovia Maracaju-Paranaguá) e Foz do Iguaçu (análise de localização para complementar as obras em andamento no município, tirando os caminhões do Centro). (Com AEN). 

Hashtag:
Em 11 meses, portos do Paraná batem recorde histórico de cargas

Os portos do Paraná colecionam mais uma expressiva marca. Paranaguá e Antonina alcançaram nesta segunda-feira (30) o recorde de 53,382 milhões de toneladas de cargas movimentadas. O volume é o maior da história. O governador Carlos Massa Ratinho Junior participou em Paranaguá da contagem regressiva que consolidou o marco inédito e que foi comemorado com os trabalhadores portuários. A previsão é que apenas o mês de novembro feche com 4.459.487 de toneladas movimentadas.

 

“Um momento histórico, a maior movimentação em 85 anos do porto de Paranaguá. Quebramos um recorde que já havia sido batido no ano passado, com 53 milhões de toneladas. Mas em 2019, foi no último dia do ano e desta vez foi com um mês de antecedência”, afirmou. Ele ressaltou, também, que o recorde será ainda ampliado, já que falta um mês completo para fechar 2020.

 

Ratinho Junior destacou que a marca se torna ainda mais significativa em virtude dos percalços que marcaram 2020, especialmente a pandemia causada pelo novo coronavírus. A crise sanitária, reforçou ele, acabou por desencadear uma retenção na economia de todo mundo e, no Paraná, verificada com a diminuição da arrecadação.

 

“Trabalhamos muito com planejamento para que os portos paranaenses não fechassem um dia sequer por causa da pandemia. Tudo isso garantindo a segurança dos trabalhadores e de quem usa os nossos terminais. Nos tornamos referência para o País”. afirmou o governador. “Em um ano totalmente difícil, por isso temos muito a comemorar. É fruto de um excelente trabalho de equipe”, disse, enquanto vistoriava o Centro de Controle de Operações, que monitora as atividades portuárias.

 

SEIS RECORDES NO ANO - Diretor-presidente da Portos do Paraná, Luiz Fernando Garcia destacou que a conquista desta segunda-feira é a “cereja do bolo” de um ano bastante especial para os portos paranaenses. Ele lembrou que foram atingidos seis recordes no ano. Os melhores meses de março, abril, maio, setembro e outubro da história em movimentações.

 

Com 5.716.477 toneladas, maio se tornou também o melhor resultado mensal da história dos Portos. “É um resultado do Paraná, de toda a comunidade portuária. Sempre falamos aqui: o porto tem se ser cada vez mais competitivo e eficiente”, ressaltou Garcia.

 

“Apesar da pandemia, o ano foi de muito trabalho. As exportações de grãos e alimentos cresceram, com o câmbio favorável, e o tempo seco favoreceu os embarques”, completou. “Além disso a safra foi recorde do Paraná, uma união de fatores que aumenta a nossa responsabilidade em busca de novos recordes”, acrescentou.

 

EXPORTAÇÃO – Cerca de 65% da movimentação dos portos paranaenses, entre janeiro e outubro deste ano foram de produtos de exportação: 38,1 milhões de toneladas de cargas. O volume nesse sentido do comércio exterior é 13% maior que o registrado no mesmo período, em 2019 (28,2 milhões de toneladas). As importações somaram 17,1 milhões de toneladas. Cerca de 4% mais que no ano passado, com 16,4 milhões de toneladas.

 

GRÃOS – Mais de 66% das exportações e importações foram de granéis sólidos. Foram quase 32,5 milhões de toneladas de grãos, movimentadas entre de janeiro e outubro de 2020. No ano anterior, foram 29,6 milhões de toneladas (alta de 10%).

 

Nesse segmento, destaque para o aumento de 78% registrado no volume de açúcar embarcado. Já são 3,67 milhões de toneladas exportadas, ante 2 milhões em 2019. Somente no último mês, foram 566.617 toneladas, mais que o dobro do que o registrado em outubro do ano passado.

 

DESEMPENHO – Secretário de Estado da Infraestrutura e Logística, Sandro Alex reforçou que os resultados são frutos de uma administração independente, focada em entregar o melhor desempenho e fazer dos portos do Paraná os mais produtivos do País.

 

“Temos um quadro extremamente técnico que se dedica, diariamente, para manter a excelência nos serviços prestados nos portos de Paranaguá e Antonina. Mesmo com a pandemia, o Paraná não parou e seguiu avançando”, comentou o secretário. “É uma superação de todos, do povo paranaense. Temos sim o porto mais eficiente do País, reflexo da dedicação integral de toda uma equipe”, completou.

 

CAMINHÕES – Em 2020, de janeiro até o dia 27 de novembro, 422.774 caminhões passaram pelo porto de Paranaguá. O número é aproximadamente 12,7% maior que durante todo o ano de 2019, quando foram pouco mais de 375.899 veículos recebidos. Os caminhoneiros, que não pararam durante a pandemia de Covid-19, são responsáveis por 84% da movimentação de produtos que chegam ou saem pelo porto paranaense.

 

PRESENÇAS – Participaram do evento os prefeitos José Paulo Azim (Antonina) e Marcelo Roque (Paranaguá); os prefeitos eleitos Rudão Gimenes (Pontal do Paraná) e Lilian Ramos Narloch (Guaraqueçaba); os deputados estaduais Gilson de Souza e Nelson Justus; o capitão de Mar e Guerra, Rogério Antunes Machado; o delegado da Receita Federal em Paranaguá, Gerson Faucz; e os diretores do Porto André Pioli (Empresarial), Luiz Teixeira da Silva Júnior (Operações), Marcus Freitas (Jurídico), Luciano Costenaro (Administrativo Financeiro), Rogério Barzelay (Engenharia e Manutenção) e João Paulo Ribeiro Santana (Meio Ambiente).

 

Veja como foi a movimentação mês a mês dos Portos do Paraná em 2020


Janeiro – 3.446.288
Fevereiro – 3.863.794
Março – 5.235.158* (melhor março da história)
Abril - 5.528.124 * (melhor abril da história)
Maio – 5.716.477 ** (melhor maio e melhor resultado mensal da história)
Junho – 4.387.554
Julho – 5.118.798
Agosto – 5.376.451
Setembro – 5.261.752* (melhor setembro da história)
Outubro – 5.048.117* (melhor outubro da história)
Novembro – 4.459.487 - previsão
Total: 53.382.000
Quantidade de navios recebidos:
2020- 2.254
2019 - ano todo - 2.402
Quantidade de caminhões:
Até dia 27/11/2020 – 422.774
2019 (completo) – 375.899

 

Terminais paranaenses se destacam em premiação nacional

 

A empresa Portos do Paraná tem a melhor gestão pública do País. O reconhecimento foi feito pelo governo federal na premiação “Portos + Brasil”, entregue na terça-feira (24), pelo Ministério da Infraestrutura. Vencedora em duas das quatro categorias, a empresa pública paranaense liderou o ranking nacional nas práticas de mercado e em gestão.

 

Paraná alcançou a maior nota no Índice de Gestão das Autoridades Portuárias (IGAP): 98,5 pontos. O Estado foi o primeiro e o único a receber autonomia total na administração dos contratos de exploração dos portos organizados. A descentralização foi feita em agosto de 2019 e deu mais eficiência e celeridade aos processos envolvendo os terminais paranaenses.

 

A Portos do Paraná ainda ganhou na categoria Execução dos Investimentos Planejados, com índice de 81,8%. O conceito é importante para mensurar a proporção do orçamento de investimento disponível que foi efetivamente executada pela autoridade portuária.

 

“Esses troféus é o reconhecimento de que o Paraná é o Estado mais eficiente do País. Disputamos com portos importantes do País e ficamos com dois dos quatro principais prêmios. Para nós é motivo de muito orgulho”, ressaltou Ratinho Junior. “Somos a melhor gestão do País. É a comprovação da eficiência, de um trabalho fantástico feito em equipe", acrescentou o secretário de Estado da Infraestrutura e Logística, Sandro Alex.

 

INVESTIMENTOS – A empresa pública deve investir R$ 609 milhões em obras de infraestrutura terrestre e marítima nos próximos anos. Somente no programa de dragagem continuada serão R$ 403,3 milhões nos próximos cinco anos. Também estão em andamento o projeto executivo do novo Corredor de Exportação; a reforma do Píer de Inflamáveis (R$ 28,5 milhões); e a derrocagem da Pedra da Palangana (R$ 23,2 milhões), entre outros. (Com AEN)

 

 

 

Programa intensifica aprendizagem para alunos da rede estadual

Até 18 de dezembro, último dia do ano letivo 2020, acontece o programa Se Liga - É tempo de Aprender mais. O foco é a intensificação da aprendizagem dos estudantes da rede estadual. Os alunos que precisam de uma força extra para concluir o ano terão acompanhamento com professores, diretores e pedagogos para se aprofundarem nos conteúdos abordados nas aulas, que acontecem de forma remota desde março.

 

O Se Liga é destinado tanto aos alunos que têm dificuldades em conteúdos específicos quanto àqueles que apenas desejam melhorar as notas e o rendimento. “As escolas têm autonomia para organizar os seus horários de aula, decidir quais disciplinas e conteúdos precisam de aprofundamento e como as atividades vão acontecer. Podem ser aulões, aulas interdisciplinares, reforço no contraturno ou monitoria de alunos”, explica Roni Miranda Vieira, diretor de Educação da secretaria estadual. “Neste momento, são todos pela aprendizagem.”

 

A partir desta segunda-feira (30), a organização das aulas não presenciais tem duas frentes: retomar o que é essencial de conteúdos para o desenvolvimento de habilidades e competências e, também, o aprofundamento de conhecimentos para que os estudantes possam avançar no desenvolvimento escolar como um todo.

 

Serão três momentos. Acompanhamento pedagógico, elaboração e intensificação das estratégias em cada escola e o encaminhamento para o eventual conselho de classe final.

 

Durante o período do programa, professores e escolas terão à disposição exemplos de boas práticas desenvolvidas em outros anos. O material faz parte de uma série de vídeos no Canal do Professor, que pode servir de exemplo para as ações, com base no que fez sucesso em 2019 e 2020. A série possibilita que professores tenham contato com práticas e estratégias desenvolvidas por colegas de várias partes do Estado. Depoimentos de docentes também contam a experiência no programa.

 

As atividades serão planejadas de forma coletiva entre os educadores e podem ser propostas no formato de trabalhos em grupo, atividades orais, seminários, projetos, avaliações escritas, oficinas, entre outras possibilidades. Devem ser consideradas as diferentes formas de acesso dos estudantes às aulas não presenciais (aplicativo Aula Paraná, Google Classroom, TV aberta e atividades impressas).

 

“Ao longo do ano, a gente vai identificando o potencial de cada aluno. Esse programa é uma forma de rever conteúdos e dar uma nova oportunidade, uma nova chance para o aluno recuperar alguma nota, caso, naquele período em que foi avaliado, ele não tenha obtido êxito”, comenta Claudimira Gonçalves, diretora Colégio Estadual Santa Bárbara, em Bituruna, onde o programa foi um sucesso em 2019. (Com AEN)

 

 

 

Passagens de ônibus intermunicipais serão reajustadas nesta terça

As passagens de ônibus do transporte intermunicipal de passageiros serão reajustadas em 2,58% a partir da zero hora do dia 1º de dezembro.

 

A medida abrange as linhas intermunicipais metropolitanas e rodoviárias outorgadas pelo Departamento de Estradas de Rodagem do Paraná (DER/PR).

 

O reajuste anual está previsto no decreto n.º 1.821/2000, que regulamenta os serviços de transporte rodoviário intermunicipal de passageiros.

 

O índice do reajuste foi determinado pela Agência Reguladora de Serviços Públicos Delegados do Paraná (Agepar), por meio da Resolução nº 028/2020, e homologado pela Secretaria de Infraestrutura e Logística do Paraná, por meio da resolução nº 029/2020, publicada no diário oficial desta segunda-feira (30).

 

Mais informações sobre transporte intermunicipal estão disponíveis no portal do DER/PR. Acesse AQUI.

 

O último reajuste das passagens de ônibus ocorreu em 1º de setembro de 2019.

 

A decisão não afeta as linhas de ônibus outorgadas pela Coordenação da Região Metropolitana de Curitiba (Comec). (Com AEN). 

Hashtag:
Moradores de Cascavel que morreram na BR 277 são identificados

O casal que morreu em grave acidente na BR 277 em Palmeira foi identificado, na tarde de segunda dia (30).

 

Mara Silvana Michilini e João Ferreira de Souza Filho estavam um Fiesta que se envolveu em batida frontal com uma Van.

 

No carro do casal estava a filha de 24 anos e um adolescente de 17 anos. Eles sofreram ferimentos graves e foram encaminhados à unidade hospitalar em Irati.

 

Conforme levantado pela PRF (Polícia Rodoviária Federal), a Van seguia sentido Curitiba , deslizou na pista molhada, invadiu a contramão e bateu frontalmente com o Fiesta que seguia na 3ᵃ faixa sentido Cascavel.

 

O local trata-se de uma curva acentuada em rodovia com pista simples, com proibição de ultrapassagem e com velocidade máxima para veículos leves, de 100 km/h. Chovia no momento do acidente.

 

A Acesc foi acionada para fazer translado dos corpos da vítima à Cascavel.

Hashtag:
​Fomento Paraná fortalece apoio ao turismo e à inovação

Com a utilização de praticamente todos os recursos disponíveis no BNDES para o ano de 2020, nos próximos meses a Fomento Paraná vai direcionar todos os esforços na oferta de crédito para o segmento de turismo, com a linha Fomento Turismo, para projetos de inovação, com recursos da Finep, bem como nas tradicionais linhas de microcrédito.

 

De acordo com o diretor-presidente da instituição, Heraldo Neves, boa parte dos recursos do Fungetur disponibilizados pelo Ministério do Turismo já foi colocada no mercado e o Ministério se dispõe a liberar novos recursos, na medida em que os empreendedores contratem o crédito, que conta com taxas e condições bastante competitivas.

 

“Parte desse trabalho está sendo feita com a Caravana do Crédito Turismo, que estamos levando aos municípios do Litoral e da Costa Oeste, para colocar a linha Fomento Turismo à disposição dos empreendedores que estão se preparando para atender os veranistas durante a temporada”, afirma Neves.

 

INOVAR - Outro foco de atenção da Fomento Paraná são as linhas que contam com recursos da Financiadora de Estudos e Projetos – Finep, voltados à inovação. “Há uma série de novas linhas da Finep com condições muito atrativas que estamos implantando e vamos começar a oferecer aos empreendedores. Esperamos suprir a necessidade de recursos para que possam inovar e melhorar a competitividade em seus negócios”, diz o diretor-presidente.

 

MICROCRÉDITO - Ainda no esforço de dar suporte à manutenção e ampliação dos pequenos negócios, a instituição segue ofertando as linhas de microcrédito, que são as mais procuradas, com valores de até R$ 10 mil para empreendedores pessoa física e até R$ 20 mil para pessoa jurídica com faturamento bruto anual de até R$ 360 mil.

 

“O microcrédito é um recurso de grande alcance social. Ano a ano temos atendido a milhares de empreendedores que de outra forma não teriam aceso ao crédito e nem mesmo a serviços bancários”, afirma Renato Maçaneiro, diretor de Mercado.

 

FATO INÉDITO - Entre recursos repassados pelo BNDES, pelo Ministério do Turismo (Fungetur), Finep, recursos próprios ou do Fundo de Desenvolvimento Econômico (FDE), a Fomento Paraná contratou até a segunda quinzena de novembro em torno de R$ 300 milhões em operações de crédito, superando em mais de 200% o valor contratado em 2019, somente no setor privado.

 

“Fomos convocados pelo governador Carlos Massa Ratinho Junior a contribuir com o empresariado paranaense, especialmente os informais e os de micro e pequeno porte. Realizamos quase uma revolução em nossos sistemas e com isso superamos todas as metas de contratação, atendendo quase 30 mil empreendimentos apenas em 2020”, afirma o diretor-presidente, Heraldo Neves.

 

“São milhares de famílias que receberam apoio do Estado para manter seus negócios e a renda em um momento crítico e que ajudaram a manter a economia em movimento nas cidades.”

 

Considerando todas as operações já em fase final de aprovação, a Fomento Paraná atingiu em 2020, pela primeira vez na história, o limite de crédito disponibilizado pelo BNDES, maior banco de desenvolvimento do país e maior fonte de recursos de repasse para bancos e demais instituições financeiras no país.

 

SETOR PÚBLICO - Foi um ano muito produtivo também no financiamento aos municípios, informa Wellington Dalmaz, diretor de Operações do Setor Público. “Abrimos dois períodos para moratória, permitindo aos gestores deixar de pagar financiamentos de obras para usar os recursos em ações para prevenção e combate à Covid-19, e também contratamos mais R$ 265 milhões em novas obras que vão atender quase 100 municipalidades”, afirma Dalmaz, diretor de Operações do Setor Público. “Destacamos aqui a parceria com a Copel e o Green Building Council, que nos permitirá financiar a implantação de projetos de energia fotovoltaica em 246 prédios públicos, principalmente em escolas municipais. (Com AEN)

 

 

 

Folhas salariais de dezembro serão antecipadas no Estado

O governador Carlos Massa Ratinho Junior confirmou a antecipação do pagamento dos salários de dezembro dos servidores estaduais para o dia 23. A medida se soma ao depósito integral do décimo terceiro salário que vai ocorrer na próxima sexta-feira (4). Nesta segunda-feira (30) foi paga a folha de novembro.

 

Com o pagamento das três folhas, o Governo do Estado injetará R$ 5,1 bilhões na economia paranaense em apenas 24 dias. Cada folha do Estado equivale a R$ 1,7 bilhão e inclui 265 mil servidores ativos, pensionistas e aposentados.

 

Segundo Ratinho Junior a decisão de realizar os pagamentos de forma antecipada é uma forma de valorizar o servidor público e também uma contribuição do Estado para estimular a retomada das atividades comerciais e industriais no Paraná.

 

“Temos o compromisso com o funcionalismo de pagar os salários em dia. Em 2020, já pelo segundo ano consecutivo, conseguimos antecipar o pagamento do 13º e o salário de dezembro, que será depositado dois dias antes do Natal”, afirmou o governador. “É uma medida que ajuda os servidores a programarem suas compras, suas viagens e que potencializa ainda mais a nossa economia”.

 

O governador ressalta que houve um grande esforço para manter as contas do Estado em equilíbrio neste ano, em razão dos efeitos da pandemia. De acordo com a Secretaria de Estado da Fazenda ao longo do ano houve queda de arrecadação do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), principal fonte da Receita Estadual, e da necessidade de aportar recursos extras para programas e obras que continuam a ajudar a população no enfrentamento da pandemia provocada pelo novo coronavírus.

 

“Mesmo com esse cenário atípico mantivemos o controle das contas públicas, os investimentos e as reformas administrativas. O rigor no Orçamento é um diferencial do Estado do Paraná, um ativo que cuidamos com muita responsabilidade todos os dias”, destacou Ratinho Junior.

 

RELAÇÃO COM PIB – Segundo projeções da Secretaria da Fazenda, o pagamento integral e sem atrasos das folhas dos servidores tem reflexo direto no Produto Interno Bruto (PIB) do Paraná.

 

A falta de pagamento de uma delas, por exemplo, teria um impacto negativo de 0,35% a 0,5% no PIB no trimestre, por conta do efeito multiplicador. Esse mesmo efeito é observado de maneira positiva na folha de 13°.

 

Calendário de pagamentos

 

30 de novembro – salário de novembro

04 de dezembro – décimo terceiro salário integral

23 de dezembro – salário de dezembro (Com AEN)

 

 

 

Hashtag:
Chuva deve perdurar ao longo de toda a semana no Paraná, segundo Simepar

Depois de uma semana abafada e com temperaturas passando dos 30°C, as chuvas voltam ao Paraná nesta segundadia 30.

 

Uma nova frente fria avança pelo mar na altura do Sul do país. No Paraná o tempo segue bem abafado e são esperadas chuvas ao longo do dia.

 

Do período da tarde para a noite principalmente, na metade Sul do Estado será maior a concentração de nuvens e condições de algum temporal, inclusive em áreas mais a Leste. (Com Catve)

 

 

 

Paraná chega a 1 milhão de testes e amplia a capacidade

O Paraná ultrapassou nesta semana a marca de 1 milhão de testes RT-PCR para diagnosticar a Covid-19 e nesta sexta-feira (27) o Governo do Estado anuncia o aumento na capacidade de testagem. Agora, o volume diário de diagnósticos pode chegar a quase 9 mil por dia.

 

A ampliação se dá pela parceria da Secretaria de Estado da Saúde com o Instituto de Biologia Molecular (IBMP), que realizava até cinco mil testes e passa a fazer oito mil diagnósticos por dia. Além disso, o Laboratório Central do Estado (Lacen) complementa a estrutura de exames.

 

“A testagem é uma das nossas principais estratégias para o enfrentamento da Covid-19. Foi uma linha que determinamos logo no começo da pandemia e que nos organizamos para executar porque garante mais eficiência às ações de combate à pandemia”, afirma o governador Carlos Massa Ratinho Junior.

 

O secretário estadual da Saúde, Beto Preto, explica que a testagem garante o diagnóstico correto e o isolamento dos casos positivos e rastreio de contatos dos casos registrados em todo Estado. “Além do distanciamento social, a ampla testagem para o diagnóstico da Covid-19 é a maneira mais eficaz para frear a disseminação do vírus enquanto ainda não há remédio e vacina”, diz o secretário.

 

DOBRO – Para o diretor-geral da Secretaria da Saúde, Nestor Werner Junior, a marca de mais de 1 milhão de testes em uma população de 11 milhões de habitantes confirma o esforço do Governo do Estado para fazer um enfrentamento ágil e eficiente à doença. Ele observa que, na média, o Estado realizou praticamente o dobro da média de testes feitos no país, proporcionalmente à população.

 

No início da pandemia o Lacen - laboratório referência no Paraná para diagnósticos de todas as doenças que possam oferecer risco à saúde pública - possuía capacidade operacional instalada para realizar, por dia, 120 testes RT-PCR para a Covid-19. Hoje este número é de pelo menos 600 diagnósticos/dia.

 

Desde abril, o Paraná firmou parceria com IBMP, que começou com a capacidade instalada para a realização de mil testes por dia. Em junho este número foi ampliado para cinco mil/dia.

 

“Isso é de extrema importância, pois garante que o Estado consiga diagnosticar o maior número de pacientes doentes e agir com as medidas de contenção para a não propagação da doença”, diz o diretor-geral da Secretaria da Saúde.

 

FIOCRUZ/IBMP – O Instituto de Biologia Molecular do Paraná é uma instituição vinculada à Fundação Oswaldo Cruz, instalada no Parque Tecnológico da Saúde, junto ao Instituto de Tecnologia do Paraná (Tecpar). Por conta da Pandemia, estas três instituições viabilizaram um laboratório de ponta que reforça o processamento dos exames RT-PCR para identificação do novo coronavírus. (Com AEN)

 

 

 

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência e personalizar publicidade. Ao navegar em nosso site você concorda com nossa Política de Privacidade.