Paraná receberá mais 124 mil vacinas contra a Covid-19, todas para segunda dose

O Ministério da Saúde divulgou nesta quarta-feira (6) a 57ª pauta de distribuição, que deve contemplar o Paraná com mais 124.020 vacinas contra a Covid-19. Os imunizantes da Pfizer/BioNTech devem ser destinados integralmente para a segunda dose (D2). As vacinas devem chegar no Aeroporto Internacional Afonso Pena, em São José dos Pinhais, às 19h10 desta quinta-feira (7), no voo LA 4721.

 

As doses devem completar o esquema vacinal iniciado com os lotes de 50.310 doses, enviadas aos municípios no dia 11 de agosto, e o de 73.710 doses, distribuídas em 13 de agosto. Seguindo a orientação do Ministério da Saúde, o intervalo recomendado entre as doses da Pfizer é de oito semanas.

 

Logo que chegarem ao Estado, os imunizantes serão encaminhados para o Centro de Medicamentos do Paraná (Cemepar), em Curitiba, onde serão conferidos e armazenados até que sejam descentralizados para as 22 Regionais de Saúde.

 

Segundo os dados do Vacinômetro Nacional, o Paraná registra 13.762.509 vacinas contra a Covid-19 aplicadas, sendo 8.215.866 primeiras doses (D1) e 5.480.273 segundas (D2) e doses únicas (DU). Até agora, o Estado atingiu 97,93% da população adulta, estimada em 8.720.953 pessoas com a D1 ou DU. O balanço mostra que 62,84% deste público completou o esquema vacinal com a D2 ou DU. (Com AEN)

 

 

 

Cientistas das universidades estaduais do Paraná são destaque em ranking da América Latina

As universidades estaduais do Paraná possuem 231 cientistas relacionados no AD Scientific Index Ranking 2021, publicação que classifica em lista os 10 mil pesquisadores mais influentes da América Latina. O ranking analisa o desempenho científico e o valor agregado da produção individual dos profissionais, com base nas citações da plataforma Google Scholar.

 

A Universidade Estadual de Maringá (UEM) aparece na 18ª colocação com 102 cientistas na lista, seguida pela Universidade Estadual de Londrina (UEL) em 23ª com 82. A Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG) está em 57ª com 22; a Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste) em 79ª, com 16; a Universidade Estadual do Centro-Oeste (Unicentro) em 134ª, com 8 pesquisadores; e a Universidade Estadual do Norte do Paraná (Uenp) em 445ª, com um pesquisador citado.

 

A Universidade Federal do Paraná (UFPR) foi a instituição paranaense mais bem colocada no ranking, com 120 pesquisadores. O Brasil é o País com maior número de cientistas da América Latina, com 7.656, e o Paraná se destaca como o terceiro maior sistema de ensino superior, atrás apenas do sistema federal e de São Paulo.

 

“Essa classificação comprova a qualidade do nosso sistema estadual de ciência, tecnologia e ensino superior. Temos pesquisadores de ponta em diferentes áreas que buscam soluções para as necessidades do Estado e do Brasil”, destaca o superintendente de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Aldo Bona.

 

Para o presidente da Fundação Araucária, Ramiro Wahrhaftig, o raking traduz um quadro muito próximo da realidade. “O principal mérito é o certamente dos nossos pesquisadores que, independente das dificuldades, mantêm resiliência e produzem ciência de alta qualidade. Cabe a nós gestores estaduais de ciência e tecnologia ajudá-los a transbordar este conhecimento para a comunidade na forma de criação de riqueza e bem-estar", destaca.

 

RECONHECIMENTO – Segundo vice-reitor da UEL, Décio Sabbatini Barbosa, o reconhecimento deve aos professores e pesquisadores e à abnegação de agentes universitários e alunos. “E isso é motivo de um grande orgulho para todos nós da comunidade universitária”, avaliou Sabbatini Barbosa.

 

Ele explica que o Google Scholar ou Google Acadêmico, critério utilizado no levantamento, é um buscador de informações científicas que permite que a produção científica possa ser comparada pelos demais pesquisadores de várias áreas, o que representa um filtro criterioso.

 

O professor voluntário no Programa de Pós-Graduação em Ecologia de Ambientes Aquáticos Continentais (PEA) da UEM, Angelo Antonio Agostinho, é um dos 75 brasileiros no Top 10 mil mundial da AD.

 

“Para mim, representa um ânimo novo para continuar trabalhando, já que ainda temos muito a fazer, porque na área em que trabalho, a ecologia de áreas alagadas, especificamente sobre peixes, ainda há muito para ser investigado e muitas lacunas para serem preenchidas”, afirmou.

 

Outro destaque da UEM foi o reitor e zootecnista com doutorado em Agronomia, Júlio César Damasceno. Ele aparece entre os melhores cientistas da América Latina. “A UEM se consolida como uma universidade de pesquisa, com reconhecimento internacional. Nossa universidade tem produzido ciência, formando recursos humanos e publicando artigos em boas revistas científicas”, disse.

 

O professor do Centro de Ciências Biológicas da Uenp, Fábio Seiva, que também aparece na lista, falou sobre a valorização institucional para o desenvolvimento científico. “Esse resultado mostra o esforço não só meu, mas também da universidade em manter a ciência viva. Essa importância que a Uenp dá para a pesquisa, com todos os entraves, com todas as dificuldades que a gente tem, é essencial”, disse.

 

“Conseguirmos destacar a nossa universidade numa lista dessa é muito importante, sobretudo pelo pouco tempo, os 15 anos que temos consolidado como universidade”, acrescentou.

 

Fábio pesquisa modelos de câncer, diabetes, obesidade e suas alterações bioquímicas e moleculares, buscando o entendimento de possíveis terapias. Atualmente, desenvolve projetos de pesquisa sobre Carcinoma Hepatocelular e Melatonina; Ações de Promoção à Saúde e Prevenção de Doenças Crônicas e Não Transmissíveis entre Universitários; e a Melatonina e seus efeitos em Tumores Hormônio Responsivos.

 

CLASSIFICAÇÃO – O AD Scientific Index Ranking 2021 fornece tanto a pontuação dos últimos cinco anos, como as pontuações totais dos índices h (determina o número de vezes que um artigo é citado) e i10 (leva em conta estudos científicos que receberam 10 ou mais citações), além do número total dos últimos cinco anos de citações. (Com AEN)

 

 

 

Mega-Sena sorteia nesta quarta-feira prêmio acumulado em R$ 35 milhões

A Mega-Sena sorteia nesta quarta-feira (5) um prêmio acumulado em R$ 35 milhões. As seis dezenas do concurso 2.416 serão sorteadas, a partir das 20h (horário de Brasília), no Espaço Loterias Caixa, localizado no Terminal Rodoviário Tietê, na cidade de São Paulo.

 

De acordo com a Caixa, caso apenas um apostador ganhe o prêmio principal e aplique todo o valor na poupança, receberá no primeiro mês cerca de R$ 126 mil de rendimento.

 

As apostas podem ser feitas até as 19h (horário de Brasília) nas casas lotéricas credenciadas pela Caixa, em todo o país ou pela internet.

 

A aposta simples, com seis dezenas marcadas, custa R$ 4,50. (Com Agência Brasil)

 

 

 

Em dois meses de abertura, programa RenovaPR chega ao projeto número 1000

Em dois meses de abertura para a realização de projetos, o Programa Paraná Energia Rural Renovável (RenovaPR) chegou, nesta terça-feira (05), ao processo número 1000. O programa está aberto aos produtores interessados tanto na instalação de unidades solar fotovoltaica quanto de biodigestores, que transformam a biomassa em energia.

 

Os projetos são recebidos nos escritórios municipais do Instituto de Desenvolvimento Rural do Paraná–Iapar–Emater (IDR-Paraná). Os mil acatados no órgão estadual representam investimentos no valor de R$ 169,1 milhões. Do total, 460 projetos já estão em instituições financeiras, somando R$ 78,8 milhões.

 

“Nós temos possibilidade concreta de gerar muita energia no meio rural paranaense seja por placa fotovoltaica seja por biodigestor, nós temos fonte inesgotável de produção renovável e sustentável de energia no Paraná”, disse o secretário de Estado da Agricultura e do Abastecimento, Norberto Ortigara. “Por isso decidimos estimular a geração no próprio sítio e percebemos, com muita satisfação, que a resposta está sendo bem positiva”.

 

Para acelerar o processo de atendimento ao agricultor, o IDR-Paraná lançou editais de chamada pública para interessados em prestar serviços para energia solar e biogás em ambientes rurais. Aproximadamente 400 empresas já estão homologadas para atender produtores rurais em projetos nos dois sistemas.

 

Os produtores interessados precisam se dirigir à unidade municipal do IDR-Paraná mais próxima de sua propriedade. É ali que ele manifesta interesse em aderir ao programa e opta, entre os homologados, quem melhor atende seus objetivos.

 

Caso pretenda aproveitar os benefícios do Banco do Agricultor Paranaense, o produtor deve procurar também o agente financeiro credenciado a esse programa.

 

O Banco do Agricultor prevê que, em projetos contratados até 31 de dezembro de 2022, o Estado vai assumir integralmente o pagamento das taxas de juros. São passíveis do benefício valores financiados de até R$ 500 mil para energia solar fotovoltaica e de até R$ 1,5 milhão em biodigestor.

 

Nesse processo, a Fomento Paraná, responsável pela gestão administrativa e financeira do Fundo de Desenvolvimento Econômico (FDE), tem papel fundamental como garantidor da compensação assumida pelo Estado.

 

Diamante do Sul é exemplo de como a sericicultura ajuda produtor rural
PROGRAMA – O Governo do Paraná busca a constituição de políticas públicas que ajudem os produtores rurais de distintas cadeias produtivas na viabilidade e competitividade de seus negócios. Com o RenovaPR, o objetivo é oferecer condições para agricultores/empresas promoverem a autoprodução de energia, própria e renovável, com possibilidade de reduzir custos de produção e ampliar suas atividades.

 

Ao mesmo tempo, eles podem tratar dejetos animais e resíduos agrícolas e agroindustriais, promovendo a correta destinação e a adequação ambiental das suas atividades. Dessa forma, contribuem na orientação do agro paranaense em direção à sustentabilidade e aos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Organização das Nações Unidas (ONU). (Com AEN)

 

 

 

Capacitação online discute atendimento às vítimas de violência sexual

Segue até esta quinta-feira (07/10) a Capacitação Estadual de Atenção às Pessoas em Situação de Violência Sexual, que tem por objetivo instrumentalizar profissionais de saúde e da segurança pública que prestam assistência a vítimas deste tipo de crime, além de levar conhecimento técnico sobre o assunto ao público em geral interessado no tema. O evento é online, gratuito e as vagas são limitadas.

 

A programação acontece das 9h às 12h, com palestras e espaços para diálogo através de um link para acompanhamento ao vivo, que será disponibilizado aos inscritos.

 

O curso é parte do Projeto de Educação Médica Continuada, desenvolvido em parceria entre a Secretaria de Estado da Saúde (Sesa), a Secretaria da Segurança Pública (Sesp), por meio do Instituto Médico Legal (IML), e o Conselho Regional de Medicina do Estado do Paraná (CRM-PR).

 

Em Palmas, PCPR prende homem por importunação sexual horas após o crime
Diversos temas serão aprofundados por profissionais especializados nas áreas que relacionadas à violência sexual e na atenção voltada às vítimas, com o intuito de instrumentalizar os profissionais, buscando minimizar os impactos desse tipo de violência na sociedade.

 

“Um policial que atende uma vítima, tanto quanto um agente da saúde, precisa ter uma noção do funcionamento do protocolo de atendimento, saber coletar informações sobre a vítima e sobre o crime, se o caso ocorreu em menos de 72 horas, qual é o hospital de referência e outros tópicos vitais. O evento permite com que esses dois grupos tenham contato e conhecimento para fazer as orientações adequadas em sua região”, explicou o diretor do Instituto Médico Legal do Paraná, André Ribeiro Langowski.

 

De acordo com a diretora de Atenção e Vigilância em Saúde da Sesa, Maria Goretti, o evento tem grande relevância para a saúde e a segurança das pessoas envolvidas neste contexto. “Apesar de ainda termos muito a se fazer, já temos conseguido fortalecer os pontos de atenção, além de continuar sensibilizando e capacitando nossas equipes para que, de fato, elas possam atender as necessidades das pessoas que procuram os serviços de saúde ou segurança pública em casos de violência sexual”.

 

Departamento Penitenciário teve setembro dedicado à saúde mental
No primeiro dia do curso, nesta terça-feira (05), logo após a abertura, foi abordado o Panorama da Atenção e Vigilância das Violências no Paraná, seguido de uma mesa redonda que discutiu a atuação dos profissionais da rede de atenção às vítimas e, também, o trabalho no primeiro contato dos agentes de segurança, a fim de acolher e encaminhá-las aos locais adequados.

 

Nesta quarta (06), o evento inicia com dois tópicos que sustentarão as discussões: atenção à saúde das pessoas inseridas no contexto da violência sexual e, em seguida, a atuação do IML, a exemplo da coleta de vestígios e dos exames forenses, além da assistência farmacêutica e odontológica.

 

No último dia (07), haverá mesa redonda sobre os aspectos legais e jurídicos pertinentes a esse tipo de crime, a comunicação de violência nos serviços de saúde (direitos e deveres), a relação com os casos de gravidez, entre outros temas.

 

COMO PARTICIPAR – Para registrar-se é necessário acessar AQUI e fazer a inscrição. Os participantes poderão receber um certificado, caso cumpra os pré-requisitos necessários. (Com AEN)

 

 

 

Com parcela para reforço dos trabalhadores da saúde, Paraná recebe mais 344 mil vacinas

Chegaram ao Paraná nesta terça-feira (5) mais 344.210 doses de vacinas contra a Covid-19 enviadas pelo Ministério da Saúde. A primeira parte, com 182.750 imunizantes da AstraZeneca/Fiocruz, desembarcou no Aeroporto Afonso Pena, em São José dos Pinhais, às 10 horas. O restante do lote, composto por 161.460 doses da Pfizer/BioNTech, chegou às 13 horas.

 

Os imunizantes já estão no Centro de Medicamentos do Paraná (Cemepar). A Secretaria estadual da Saúde enviará eles para as regionais de todo o Estado nos próximos dias.

 

As 182.750 doses da AstraZeneca/Fiocruz são destinadas para segunda dose (D2). Das 161.460 da Pfizer/BioNTech, 141.570 são para D2 e 19.890 para dose de reforço (DR) de trabalhadores da saúde que tenham completado o esquema vacinal até 15 de abril.

 

O Paraná já aplicou 13.652.911 vacinas contra a Covid-19, sendo 8.175.772 D1; 323.575 doses únicas; e 5.097.857 segunda doses.

 

Segundo balanço da Secretaria estadual da Saúde, 97,46% da população adulta já recebeu a D1 ou DU e 62,17% deste público está imunizado com as duas doses ou dose única. Além disso, o Estado também registra a aplicação de 13.623 doses adicionais (DA) e 42.943 doses de reforço. (Com AEN)