Secretaria confirma 104 mortes por gripe no Paraná

O Paraná chegou a 104 mortes por gripe em 2019, de acordo com a Secretaria de Estado da Saúde (Sesa). Três mortes a mais do que o balanço anterior.

 

Conforme o boletim, divulgado nesta quarta dia 04, 53,85% das mortes foram de pessoas com mais de 60 anos.

 

As novas mortes confirmadas ocorreram em:


Curitiba: uma mulher de 93 anos;
São Mateus do Sul, no sul do estado: uma mulher de 82 anos;
Foz do Iguaçu, no oeste do estado: uma mulher de 78 anos.

 

Além da idade, considerada como fator de risco, as mulheres apresentavam outras doenças crônicas e não foram vacinadas.

 

Outros fatores apontados como risco para as complicações da Influenza são doenças cardiovasculares, pneumopatias, diabetes, doenças neurológicas, renais, hepáticas, hematológicas, obesidade e asma.

 

H1N1

 

De acordo com o boletim, o estado registrou 527 casos confirmados de Influenza. O vírus H1N1 é o subtipo em maior circulação, responsável por 446 casos. Apresentam mais ocorrências na:

 

Região Metropolitana de Curitiba, com 171 casos;
Foz do Iguaçu, no oeste, com 58;
Ponta Grossa, nos Campos Gerais, com 36;
Região de Maringá, no norte, com 25.

 

Prevenção

 

Os sintomas da gripe incluem febre alta acima de 38°, dor muscular, dor de garganta, dor de cabeça e tosse. Conforme a Sesa, medidas simples podem prevenir a contaminação, como:

 

Higienizar frequentemente as mãos;
Cobrir nariz e a boca com a dobra do braço quando espirrar ou tossir;
Não compartilhar objetos de uso pessoal;
Deixar os ambientes sempre ventilados;
Evitar tocar os olhos, nariz e boca;
Evitar aglomerações e ambientes fechados;
Adotar hábitos saudáveis como alimentação balanceada e ingestão de líquidos.

 

 

 

 

Hashtag:
Governo do estado envia à Alep projeto que acaba com licença-prêmio

Um projeto encaminhado nesta segunda dia 02, pelo governo do estado à Assembleia Legislativa prevê a extinção da licença especial do funcionalismo público, conhecida como licença-prêmio. Por lei, os servidores podem pedir afastamento de três meses a cada cinco anos trabalhados. Antes da extinção, a proposta é indenizar funcionários que têm direito à licença. Para os servidores estaduais, trata-se de mais uma “notícia-bomba” que o governo divulga, sem prévia negociação.

 

Segundo dirigentes do Fórum das Entidades Sindicais, a licença especial não é um benefício, mas um direito dos servidores concursados. De acordo com o Executivo, o objetivo do projeto, em médio e longo prazo, é zerar o passivo das licenças-prêmio, que chega a quase R$ 3 bilhões. A prioridade é indenizar aposentados e funcionários que já têm direito à aposentadoria, mas continuam na ativa. Depois, extinguir o benefício, seguindo o caminho de outros estados, como Rio Grande do Sul, Bahia e Distrito Federal, além da União.

 

A proposta é apresentada dois meses depois de um impasse entre servidores e o governo. Um acordo garantiu a suspensão de uma greve pelo reconhecimento da data-base. A extinção das licença-prêmio fazia parte de uma proposta original do Executivo, que foi modificada.

 

A coordenadora do Fórum das Entidades Sindicais, professora Marlei Fernandes de Carvalho, diz que mais uma vez o Executivo surpreendeu a categoria, ao descumprir o compromisso de manter a negociação aberta.

 

 

 

Governo autoriza contratação de 2 mil policiais e 400 bombeiros no Paraná

O governador Carlos Massa Ratinho Junior autorizou nesta quarta dia 04, os concursos públicos para contratação de 2,4 mil militares estaduais. São 2 mil policiais e 400 bombeiros. Além disso, o Estado vai selecionar 50 delegados, 300 investigadores e 50 papiloscopistas para a Polícia Civil. Também foram abertas 238 vagas para agentes de cadeia para complementar o quadro do Departamento Penitenciário (Depen).

 

Ratinho Junior ressaltou que segurança pública se faz com inteligência e tecnologia, mas principalmente com presença física e recursos humanos para atender todas as demandas da sociedade. “Nós estamos cortando em diversas áreas e passamos a investir no que é realmente essencial para melhorar a vida das pessoas. Segurança é prioridade número 1 e para isso precisamos de novos contingentes e equipamentos”, afirmou o governador.

 

Ele destacou que os índices de violência começam a reduzir quando segurança pública é feita com eficiência e integração. “Mais da metade das cidades do Paraná não registrou nenhum homicídio neste ano. Também passamos a prender mais, o que obriga a abertura de mais espaço no sistema prisional. O planejamento de contratações é nesse sentido, aliado a construção de novas casas de custódia para atender toda essa demanda”, pontuou.

 

O governador também citou que os novos contratados vão reforçar a segurança em pontos estratégicos do Estado. “Acima de tudo, esses concursos públicos vão trazer mais segurança para a população”, destacou. Ratinho Junior também ressaltou os investimentos que estão sendo feitos em viaturas e novos helicópteros.

 

 

 

Governo anuncia medidas para a rede estadual de educação

Prorrogação do mandato dos diretores por mais um ano, internet de 20 Mega para todas as escolas da Rede Estadual de Ensino do Paraná e verba extra para os centros de educação comprarem livros de literatura e material esportivo. As medidas foram anunciadas pelo governador Carlos Massa Ratinho Junior durante o II Encontro de Diretores, nesta terça dia 03, no Teatro Positivo, em Curitiba.

 

O governador reforçou que as ações são voltadas para melhorar o desempenho dos alunos. “Lançamos uma série de inovações que buscam ampliar a educação do nosso Estado”, destacou. “Este evento nos permite estar cada vez mais próximos dos diretores das escolas. São eles que dão o ritmo, seja naquilo que está sendo dado dentro da sala de aula ou mesmo na relação com os pais”, completou.

 

Ratinho Junior lembrou outras medidas já implantadas pelo Governo, como a Prova Paraná, aplicativos para acompanhar a frequência escolar e as notas dos estudantes, e o programa Escola Segura, que leva mais tranquilidade para alunos, professores da rede estadual e às famílias. “Tudo isso agrega, e muito, para que os alunos adquiram mais conhecimento e se tornem bons profissionais e bons cidadãos”, afirmou.

 

ELEIÇÃO – O Governo do Estado vai encaminhar para Assembleia Legislativa projeto de lei que prorroga o mandato de todos os diretores de escolas da Rede Estadual de Ensino por mais um ano. Com a aprovação, as eleições que seriam em novembro e dezembro deste ano só vão acontecer no fim de 2020. A medida havia sido defendida na semana passada durante reunião em Foz do Iguaçu com 1,1 mil diretores e 20 núcleos de Regionais de Educação.

 

“Estamos pedindo esse tempo a mais para que a comunidade possa conhecer o forte trabalho pedagógico que está sendo implantado pelos nossos diretores”, explicou o secretário de Estado da Educação Renato Feder.

 

INTERNET – Por determinação do governador, a Secretaria da Educação formalizou parceria com a Copel Telecom que permite ampliar para 20 Mega a velocidade da internet de todas as escolas atendidas pela fibra óptica da companhia. “Isso era uma demanda antiga e muito grande. Algumas escolas funcionavam com internet de 4 Mega. Uma conquista muito grande dos estudantes do Paraná”, ressaltou o secretário.

 

LIVROS – Outra ação que deve impactar na educação do Estado é a destinação de uma cota extra do Fundo Rotativo a todas as escolas do Paraná, que já receberam, em média, R$ 2 mil adicionais para a compra de livros e materiais esportivos nos últimos dias. O valor total do investimento soma R$ 4 milhões. “Impacta o sistema pedagógico e dá fôlego financeiro para que as escolas possam investir em material didático”, reforçou o governador.

 

FUNDO ROTATIVO - O fundo é oriundo de programas descentralizados de recursos financeiros desenvolvidos pela Secretaria da Educação ao longo dos anos. Essa solução possibilitou aos gestores maior autonomia no gerenciamento dos recursos, passando a ser um instrumento ágil, viabilizando com maior rapidez o repasse de verbas aos estabelecimentos de ensino da Rede Estadual, para a manutenção e outras despesas relacionadas com a atividade educacional.

 

EVENTO – De acordo com a Secretaria de Estado da Educação e do Esporte, o encontro busca promover o diálogo entre a pasta e os diretores da rede de ensino, apresentando um balanço das ações da secretaria desde o começo do ano, além da discussão de novas medidas. Aproximadamente 1,2 mil diretores participam do evento, que terá sequência nesta quarta-feira (04). “É uma conversa do que construímos até aqui e como vamos olhar até o fim do ano”, disse Feder.

 

HOMENAGEM - Professores e escolas que se destacaram no primeiro semestre, ampliando a frequência de alunos ou melhorando a nota dentro do Programa Prova Paraná, um dos indicadores da qualidade de ensino do Estado, foram homenageados nesta terça-feira (03) durante o II Encontro de Diretores.

 

A professora Jucimari Aparecida Merchiori Durau voltou para Balsa Nova, na Região Metropolitana de Curitiba, voltou com uma placa pelo sucesso do Colégio Ângelo Gequelin na última edição do Prova Paraná. “Somos o lado humano por trás do número. Uma vida toda dedicada à educação, mostrando para os alunos que é a educação que vai fazer a diferença na vida deles”, afirmou.

 

PRESENÇAS – Participaram do encontro o diretor-geral da Secretaria de Educação, Elisandro Frigo; o diretor de Tecnologia e Inovação, Ricardo Borges; o diretor de Planejamento e Educação Escolar, Valter Claro; o presidente da Copel Telecom, Wendell Oliveira; os deputados estaduais Hussein Bakri, líder do Governo na Assembleia Legislativa, e Mauro Moraes. (Com AEN)

 

 

 

Caminhoneiros anunciam greve, mas categoria está dividida

É agora. No dia em que o Supremo Tribunal Federal (STF) havia marcado o julgamento da constitucionalidade dos pisos mínimos de frete para os caminhoneiros (julgamento que acabou adiado a pedido da Advogacia Geral da União), a categoria promete iniciar uma grande paralisação no Paraná. Desde segunda dia 02, inclusive, caminhoneiros se manifestam nas proximidades do posto Costa Brava, na região de Quatro Barras.

 

De acordo com Plínio Dias, presidente do Sindicato dos Transportadores Autônomos de Cargas de Sao José dos Pinhais (Sinditac SJP), desde o início das mobilizações, no começo da semana, a adesão da categoria tem aumentado. “Se Deus quiser, amanhã teremos pessoas suficientes para mandar o pessoal pro pátio”, afirma.

 

Segundo ele, a paralisação terá início por volta das oito horas, com os caminhoneiros se concentrando no posto Costa Brava. “Vamos mandando (os outros caminhoneiros) encostarem no posto e aí vamos conscientizando. Já conversamos com a PRF, pessoal da Autopista (concessionária) e eles vão colocar cone, sinalizar.”

 

Até aqui, aponta Plínio, a repercussão da paralisação tem sido positiva entre a categoria, embora a divisão ainda seja grande, com parte dos caminhoneiros se posicionando contra a greve e pedindo a continuidade das negociações com o governo, e outra parte demandando a paralisação diante da falta de avanço nas tratativas.

 

“Está sendo bem interessante (a repercussão), várias pessoas de outras cidades fazendo vídeo, dando apoio”, diz Plínio, apontando que no Paraná, além da RMC, caminhoneiros de Ponta Grossa, Chopinzinho, Mangueirinha e Coronel Vivida também devem se manifestar.

 

Por outro lado, outras entidades representativas, como o Sindicam de Londrina e de São Paulo, já se declararam contrários á greve. A divisão evidencia a possibilidade de a paralisação acabar fracassando . Em Goiás, o sindicato até chegou a preparar uma estrutura para os protestos, mas não sabe se o movimento vai para frente. “Parece que não estão querendo parar”, disse Vanderley Caetano, presidente, á revista Carga Pesada. (Com Bem Paraná)

 

 

 

Hashtag:
A cada duas horas é registrado um incêndio em edificação no Paraná

Um barracão de materiais cirúrgicos no bairro Xaxim, em Curitiba, foi atingido na noite de segunda dia 02, por um incêndio e acabou dando muito trabalho ao Corpo de Bombeiros. A ocorrência, que teve início às 21 horas de segunda-feira, só foi controlada durante a tarde desta terça dia 03, após mais de 16 horas de combate às chamas. Nem mesmo a chuva que atingiu a cidade durante a madrugada ajudou, e durante o dia ainda foi possível visualizar a quilômetros de distância uma enorme coluna de fumaça.

 

Ocorrências são bastante frequentes no Paraná. Segundo informações do Sistema Digital de Dados Operacionais do Corpo de Bombeiros do Paramá (SYSBM-CCB), a cada duas horas é registrada uma ocorrência de incêndio em edificação no Estado, em média.

 

Apenas em 2019, até às 15 horas de ontem, já haviam sido notificados 3.038 casos desse tipo. Já em 2018, durante o ano inteiro, foram 4.517 episódios, o que dá um total de 7.555 registros em pouco mais de um ano e nove meses.

 

Segundo os bombeiros, no incêndio no Xaxim mais de 100 mil litros de água, 50 homens e 15 carros foram necessários para controlar o incêndio. Máquinas retroescavadeiras foram utilizadas, para facilitar aos militares encontrar os focos de incêndio em meio aos escombros e para evitar que a situação se agravasse ainda mais, atingindo outros imóveis do entorno.

 

O fogo atingiu o depósito na Rua Wilson Lois Koehler Júnior, esquina com a Rua Alcino Guanabara. Ao lado do terreno fica outro barracão, de pisos e paineis de madeira. (Com Bem Paraná)

 

 

 

 

 

Hashtag:
Caminhoneiros já têm data para ‘fechar’ estradas

Representantes da classe dos caminhoneiros já se reúnem em Ponta Grossa para uma nova paralisação. Na cidade, o ponto de encontro da categoria é no posto de combustíveis BR-Brasil, na BR-376, no sentido Ponta Grossa - Curitiba. De acordo com lideranças da categoria, a previsão é que a estrada seja “trancada”, evitando o trânsito de caminhões, já a partir desta quarta dia 04, às 8h.

 

O movimento é contra a suspensão do julgamento sobre a constitucionalidade da tabela que prevê pisos mínimos para o frete dos caminhoneiros autônomos por parte do presidente do STF (Supremo Tribunal Federal), ministro Dias Toffoli. A reportagem do portal aRede conversou com o Chiquito, um dos representantes da categoria, que garantiu o início das manifestações a partir desta quarta-feira (4).

 

“O que queremos é a efetivação da lei do piso mínimo e a fiscalização dessa lei, algo que foi prometido para a categoria. A partir de amanhã, vamos trancar a rodovia e os caminhões vão ser impedidos, só vai passar carga viva. Hoje estamos dando um aviso, a manifestação mesmo começa a partir de amanhã”, disse o caminhoneiro.

 

Os caminhoneiros cobram ainda que o chamado CIOT, o Código Identificador da Operação de Transportes, implementado pela Agência Nacional de Trânsito de Transporte Terrestre (ANTT).

 

 

Greve parou o Brasil em 2018

 

Nos meses de maio e junho de 2018, os caminhoneiros pararam o Brasil com uma greve em escala nacional. Interrompendo o fluxo de veículos transportados por caminhões e que não se tratavam de carga viva, o movimento causou amplo impacto social, causando a escassez de produtos básicos.

 

Diante da importância geográfica, Ponta Grossa foi uma das cidades mais atingidas do Paraná. No município, por exemplo, a oferta de combustíveis foi interrompida por falta de produtos e a comercialização de produtos perecíveis, como frutas, legumes e outros alimentos também foi prejudicada. (Com Portal A Rede)

 

 

 

Hashtag:
Editais de concursos da PM e da Polícia Civil do PR podem sair dia 05

Os concursos da Polícia Militar e da Polícia Civil do Paraná podem ter seus editais anunciados esta semana. Isso porque, segundo o setor de Comunicação do Governo do Estado, o governador Carlos Massa Ratinho Junior falará sobre Segurança Pública em um evento na próxima quinta dia 05.

 

Nas redes sociais, um convite para o evento, com o tema "Abertura de concurso Polícia Militar e Polícia Civil", está circulando. No entanto, de acordo com a Assessoria de Imprensa do Governo, não é possível confirmar se os concursos serão mesmo anunciados.

 

Ambos os concursos já foram mencionados pelo governador do Paraná. Em julho, durante uma coletiva de imprensa, Carlos Massa Ratinho Junior, anunciou que o governo realizará novos concursos públicos, gerando cerca de 6 mil novas vagas. Deste total, 2.560 seriam para a PM-PR e 400 para a Polícia Civil-PR.

 

Concurso PM-PR deverá ter vagas para soldados

 

O processo para o novo concurso da Polícia Militar do Paraná tramita há mais de um ano. A previsão inicial era para que o edital fosse autorizado em 2018. Em março deste ano, no entanto, o deputado estadual, Mauro Moraes, antecipou o anúncio do Governador com mais de 2.500 vagas para o concurso PM-PR.

 

A previsão é que todas as oportunidades sejam para a carreira de soldado. Com o anúncio do governador, o concurso PM-PR terá sua banca organizadora escolhida por meio de uma dispensa de licitação.

 

Como o protocolo para a contratação da organizadora está em andamento, desde março, estima-se que assim que a autorização seja assinada, o edital seja publicado em seguida.

 

Concurso da PC-PR prevê vagas para delegados, investigadores e papiloscopistas

 

Em seu anúncio em julho, o governador Carlos Massa Ratinho Junior confirmou os cargos que serão oferecidos na nova seleção, sendo eles: delegado, papiloscopista e investigadores.

 

O número de vagas do concurso PC-PR por carreira, ainda não foi divulgado. Em julho, a Secretaria de Estado de Recursos Humanos esclareceu que o levantamento da necessidade por área ainda está em elaboração.

 

De acordo com o governador serão, pelo menos, 50 chances para delegados e 50 para papiloscopistas e investigadores. Porém, a abertura de concursos para outras áreas da corporação não está descartada.

 

Para investigador, por exemplo, existe um processo em tramitação para que 766 vagas sejam abertas. Para concorrer a essa função é preciso ter nível superior em qualquer área. Os ganhos iniciais são de R$5.478,49.

 

O cargo de papiloscopista também exige nível superior. O ingresso ocorre na 5ª classe com ganhos de R$5.752,41, após aprovação no concurso público.

 

Já o cargo de delegado da PC-PR tem como pré-requisito o bacharelado em Direito. A remuneração inicial é maior que R$ 13 mil. Os policiais ainda têm direito a diversos benefícios e gratificações.

 

 

 

Proposta de fusão de municípios pode afetar dez cidades do Sudoeste

Se o projeto de lei complementar 195/2019 entrar em vigor, ao menos dez municípios da região poderão se fundir entre si ou serem incorporados por cidades maiores. São os municípios com menos de cinco mil habitantes e que, segundo a proposta do senador Oriovisto Guimarães, têm custos mais elevados com a prestação de serviços à população.

 

A proposta, no entanto, é vista com ressalva pela Amsop (Associação dos Municípios do Sudoeste do Paraná). “Nós somos contra esse projeto de unificação porque hoje esses pequenos municípios têm receita própria e isso permite que os moradores tenham um acesso melhor e com mais qualidade à educação e saúde, por exemplo, do que se esses municípios não existissem e estivessem em um distrito de uma cidade maior”, defende o presidente da Amsop e prefeito de Saudade do Iguaçu, Mauro Cenci.

 

Outro ponto levantado por Cenci é que municípios maiores terão que absorver os menores e isso pode representar mais custos e redução de serviços à população das cidades extintas. A Amsop está discutindo a questão com prefeitos e pretende elaborar um documento para enviar ao Congresso Nacional, justificando a manutenção da atual divisão territorial.


Plebiscito


O projeto está tramitando no Senado e aguarda parecer da Comissão de Constituição e Justiça da casa. A proposta prevê que os municípios menores possam se fundir com outros pequenos e formar um novo município, ou ser absorvidos pelos maiores, mas antes precisam ter a unificação requerida à Assembleia Legislativa por ao menos 3% dos eleitores e referendado por plebiscito com a população envolvida.


Municípios com menos de 5 mil habitantes


Bela Vista da Caroba


Boa Esperança do Iguaçu


Bom Jesus do Sul


Bom Sucesso do Sul


Cruzeiro do Iguaçu


Flor da Serra do Sul


Manfrinópolis


Pinhal de São Bento


Salgado Filho


Sulina (Com Diário Reservense)

 

 

 

 

 

 

Policial militar é preso com carregamento de R$ 2 milhões em anabolizantes

A Polícia Civil do Paraná, em ação conjunta com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), prendeu na tarde deste domingo dia 1º um policial militar fardado, de 34 anos, transportando três caixas com diversos tipos de medicamentos anabolizantes e produtos terapêuticos sem autorização da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). O valor da apreensão pode chegar a R$ 2 milhões e a carga ilícita estaria vindo de Foz do Iguaçu.

 

A prisão aconteceu na BR 277, na região do bairro Santa Felicidade, em Curitiba. Após denúncias, as polícias interceptaram um Ford Fusion branco, com o porta-malas carregado de medicamentos sem procedência, alguns até mesmo desconhecidos da polícia. Entre as substâncias estavam vários tipos de esteroides anabolizantes, como derivados de testosterona, oxandrolona, e GH (hormônio do crescimento). Também havia medicamentos para emagrecimento, como sibutramina. Além de vários outros, geralmente utilizados com fins estéticos.

 

O policial foi encaminhado ao batalhão da Polícia Militar, onde segue preso e aguarda os procedimentos legais. (Com Bem Paraná)

 

 

 

Hashtag:
Caminhoneiros do Paraná prometem parar a partir desta segunda dia 02

Pouco mais de um ano e três meses depois da greve dos caminhoneiros de 2018, iniciada em 21 de maio e só encerrada no dia 30 do mesmo mês após intervenção do Exército Brasileiro e da Polícia Rodoviária Federal para desbloquear as rodovias, uma nova paralisação da categoria está marcada para ter início a partir de hoje, e não tem data para acabar.

 

Segundo o Sindicato dos Transportadores Autônomos de Cargas de Sao José Dos Pinhais (Sinditac SJP), a manifestação já estava marcada há tempos por conta do julgamento da constitucionalidade dos pisos mínimos para a categoria, que havia sido marcado para a próxima quarta-feira pelo Supremo Tribunal Federal (STF). A pedido do governo federal, que apelou ao ministro Luiz Fux por meio da Advocacia Geral da União (AGU), o julgamento acabou sendo adiado e não há previsão para que uma nova data seja marcada. O governo alega estar buscando uma alternativa ao tabelamento junto aos caminhoneiros.

 

Grande parte da categoria, contudo, optou por manter os protestos e dar início à paralisação. Segundo Plínio Dias, presidente do Sinditac SJP, isso se deve ao fato de a pauta dos caminhoneiros não se limitar à questão do tabelamento.

 

“Não está na pauta dos caminhoneiros só o julgamento do STF, mas a elaboração do piso, um piso justo, e também o CIOT (Código Identificador da Operação de Transportes, que regulamenta o pagamento do valor do frete referente à prestação dos serviços de transporte rodoviário de cargas) para todos. Isso que estamos reivindicando”, explica.

 

Na Região Metropolitana de Curitiba, o protesto começa ainda durante a manhã de hoje, com concentração no posto Costa Brava, na região de Quatro Barras. A ideia é convencer os motoristas a estacionarem nos postos de combustíveis a partir das 8 horas da manhã.

 

“Vamos começar o protesto a partir do dia 2 e não tem dia para acabar. No dia 2, 3, 4, 5, 6 e assim vai. Vamos parando a nível nacional”, explica Plínio. “Todas as regiões do Paraná estão se mobilizando. Pessoal está me ligando de Ponta Grossa, Irati, Sapopema. Todo mundo no mesmo pensamento”, garante.

 

O presidente do Sinditac SJP também apela para que os caminhoneiros e suas famílias ajudem a dar corpo às manifestações. “Vão para os pátios e ajudem a protestar”. Ao mesmo tempo, apela pela empatia da sociedade, para que compreenda a situação que está provocando a paralisação.

 

Efeito

 

‘Não queremos estragar o feriado’


A principal reclamação dos caminhoneiros é com relação à última tabela de fretamento, divulgada em junho em que, segundo a categoria, trazia valores muito baixos (acabou suspensa após protestos). “Eles podem julgar quando quiserem a consitucionalidade da lei e, para gente, quanto antes melhor. Só queremos ter paz na estrada. Espero que a sociedade entenda. A data do dia 4 foi o STF que marcou, não a gente. Não queremos estragar o feriado de ninguém”, diz em referência ao 7 de Setembro, a data da proclamação da independência do Brasil.

 

Ainda de acordo com o Sinditac SJP, o governo federal tem se mostrado muito aberto até aqui nas tratavivas e está atendendo a categoria, dialogando. “Mas a solução que é bom não chegou”, reclama Plínio. “Estamos à deriva, ninguém respeita as leis do caminhoneiro, não temos um diário oficial que legalize a multa (contra empresas que não respeitam o piso mínimo). Está um descaso total”.

 

Plínio também diz que desde a manifestação de 2018 pouca coisa mudou em favor da categoria. “De lá para cá não obtivemos quase nada do governo, só o do eixo levantado (isenção da cobrança de tarifa de pedágio).” Por fim, ele destaca também que ainda é cedo para avaliar qual será, de fato, a proporção da paralisação. Mas ao menos esse início, segundo ele, lembra o que foi visto há um ano e três meses. (Com Bem Paraná)

 

 

 

Hashtag: