Rio Bonito - Prefeito Ademir Fagundes agradece a parceria entre os municípios membros da Assiscop para reabertura da UTI

O Prefeito Ademir Fagundes (Gaúcho) comenta sobre o aporte financeiro que Rio Bonito do Iguaçu está repassando para auxiliar na abertura da UTI no Instituto São José em Laranjeiras do Sul, em parceria com os demais municípios membros da Assiscop e faz agradecimentos a todos os envolvidos.

 

Link do vídeo no Facebook:

 

https://www.facebook.com/riobonitodo.iguacupr/videos/835902263582100/

 

 

 

Rio Bonito - Município continua seguindo determinação de Decreto do Estado sobre reabertura de comércios

O Governo Municipal de Rio Bonito do Iguaçu informa a toda a população, em especial aos comerciantes, sobre o prazo de abertura do comércio. No momento não há uma data específica, pois estamos seguindo as determinações do Decreto Estadual 4388 de 30/03/2020, do governador Carlos Massa Ratinho Júnior, onde considera o funcionamento de atividades essenciais que não podem ser interrompidos as seguintes:

 

– captação, tratamento e distribuição de água;

– assistência médica e hospitalar;

– assistência veterinária;

– produção, distribuição e comercialização de medicamentos para uso humano e veterinário e produtos odonto-médico-hospitalares, inclusive na modalidade de entrega delivery e similares;

– produção, distribuição e comercialização de alimentos para uso humano e animal, inclusive na modalidade de entrega delivery e similares, ainda que localizados em rodovias;

– agropecuários para manter o abastecimento de insumos e alimentos necessários à manutenção da vida animal;

– funerários;

– transporte coletivo, inclusive serviços de táxi e transporte remunerado privado individual de passageiros;

– fretamento para transporte de funcionários de empresas e indústrias cuja atividade esteja autorizada ao funcionamento;

– transporte de profissionais dos serviços considerados essenciais à saúde e coleta de lixo;

– captação e tratamento de esgoto e lixo;

– telecomunicações;

– guarda, uso e controle de substâncias radioativas, equipamentos e materiais nucleares;

– processamento de dados ligados a serviços essenciais;

– imprensa;

– segurança privada;

– transporte e entrega de cargas em geral;

– serviço postal e o correio aéreo nacional;

– controle de tráfego aéreo e navegação aérea;

– serviços de pagamento, de crédito e de saque e aporte prestados pelas instituições supervisionadas pelo Banco Central, incluindo lotéricas;

– atividades médico-periciais relacionadas com a seguridade social;

– atividades médico-periciais relacionadas com a caracterização do impedimento físico, mental, intelectual ou sensorial da pessoa com deficiência, por meio da integração de equipes multiprofissionais e interdisciplinares, para fins de reconhecimento de direitos previstos no Estatuto da Pessoa com Deficiência;

– outras prestações médico-periciais da carreira de Perito Médico, indispensáveis ao atendimento das necessidades inadiáveis da comunidade;

– setores industrial e da construção civil, em geral;

– geração, transmissão e distribuição de energia elétrica, incluindo o fornecimento de suprimentos para o funcionamento e manutenção das centrais geradoras e dos sistemas de transmissão e distribuição de energia; além de produção, distribuição, transporte e comercialização de gás natural;

– iluminação pública;

– Produção, distribuição e comercialização de combustíveis, gás liquefeito de petróleo e demais derivados do petróleo, bem como a produção de petróleo;

– vigilância e certificações sanitárias e fitossanitárias;

– prevenção, controle e erradicação de pragas dos vegetais e de doença dos animais;

– inspeção de alimentos, produtos e derivados de origem animal e vegetal;

– vigilância agropecuária;

– produção e distribuição de numerário à população e manutenção da infraestrutura tecnológica necessária do Sistema Financeiro Nacional e do Sistema de Pagamentos Brasileiro;

– serviços de manutenção, assistência e comercialização de peças de veículo automotor terrestre, incluindo bicicletas;

- serviços de crédito e renegociação de crédito dos agentes financeiros integrantes do Sistema Paranaense de Fomento; fiscalização do trabalho;

– atividades de pesquisa, científicas, laboratoriais ou similares relacionadas com a pandemia do coronavírus;

– atividades de representação judicial e extrajudicial, assessoria e consultoria jurídicas exercidas pelas advocacias públicas, relacionadas à prestação regular e tempestiva dos serviços públicos;

– atividades religiosas de qualquer natureza, seguindo as orientações da Secretaria de Estado da Saúde e Ministério da Saúde;

– produção distribuição e comercialização de produtos de higiene pessoal e de ambientes;

– serviços de lavanderia hospitalar e industrial;

“Art. 10. Acresce a alínea “a”, ao inciso XXXVIII, do parágrafo único, do art. 2º, do Decreto nº 4.317, de 2020, com a seguinte redação:

a) As atividades descritas no inciso XXXVIII deverão ser realizadas por meio de aconselhamento individual, a fim de evitar aglomerações, recomendando-se a adoção de meios virtuais nos casos de reuniões coletivas.”


Até novo Decreto do Governo do Estado, o município estará continuando a adotar as mesmas medidas.

 

 

 

Rio Bonito - Secretaria de Agricultura conscientiza população sobre coleta seletiva do lixo

A Secretaria Municipal de Agropecuária e Meio Ambiente de Rio Bonito do Iguaçu vem buscando melhorar a situação da coleta seletiva realizada no município.


Para isso, precisamos da compreensão e colaboração de todos, assim pedimos encarecidamente que separem seus resíduos (lixo) em recicláveis e orgânicos/rejeitos e coloquem seus resíduos para coleta nos dias indicados no panfleto.


Informamos que os resíduos que forem colocados para a coleta sem estarem separados, não serão coletados.


Sabemos que na hora de separar os resíduos surgem muitas dúvidas, mas aí vão alguns esclarecimentos:


- Reciclável: vidro, plásticos, papéis, metais, garrafa pet, embalagens em geral (extrato de tomate; salgadinho; leite condensado; creme de leite; potes de margarina/ maionese; pacotes de carnes; panfletos; embalagens de presuntos, queijos; amaciantes; alvejantes; sabão em pó entre outros);


Obs: Todo vidro deve ser embalado antes de ser colocado para coleta, podem ser colocados em garrafas pet, caixas de leite, caixas de papelão em geral, preferencialmente identificados ou pelo menos separados dos outros resíduos pra que os responsáveis pela coleta possam identificar e evitar acidentes.


As embalagens de alimentos devem preferencialmente ser limpas antes de colocar para a coleta, a fim de garantir a saúde das pessoas que manipulam estes resíduos.


- Orgânico/rejeito: restos de comida em geral, cascas, folhagens, sujeiras de vassouras, erva, bora de café, papel higiênico, guardanapo usado, fraldas e outros.


Obs: Se possível utilizar os orgânicos em hortas e quintais.


A Secretaria Municipal de Agropecuária e Meio Ambiente agradece a compreensão de todos e pede que toda dúvida e crítica a respeito do assunto, seja efetuada na secretaria com os profissionais responsáveis.

 

 

 

Rio Bonito - Ministério Público do PR emite Recomendação Administrativa ao Município sobre aumento abusivos de itens comercializados para combate do Covid-19

O MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO PARANÁ, por seu Promotor de Justiça signatário, no uso de suas atribuições legais e com fundamento no artigo 127, caput, e artigo 129, incisos II e III, ambos da Constituição Federal; artigo 120, incisos II e III, da Constituição do Estado do Paraná; artigo 27, parágrafo único, inciso IV, da Lei n. 8.625/93 (Lei Orgânica Nacional do Ministério Público); e artigo 58, inciso VII, da Lei Complementar Estadual n. 85/99, e

 

CONSIDERANDO que o artigo 127 da Constituição Federal dispõe que “o Ministério Público é instituição permanente, essencial à função jurisdicional do Estado, incumbindo-lhe a defesa da ordem jurídica, do regime democrático e dos interesses sociais e individuais indisponíveis”;

 

CONSIDERANDO o estabelecido nos artigos 129, inciso II, da Constituição Federal, e no artigo 120, inciso II, da Constituição do Estado do Paraná, que atribuem ao Ministério Público a função institucional de “zelar pelo efetivo respeito dos Poderes Públicos e dos serviços de relevância pública aos direitos assegurados nesta Constituição, promovendo as medidas necessárias a sua garantia”;

 

CONSIDERANDO o artigo 2º, caput, da Lei Complementar n. 85, de 27 de dezembro de 1999, que antes de elencar funções atribuídas ao Ministério Público, reforça aquelas previstas na Constituição Federal e Estadual e na Lei Orgânica Nacional;

 

CONSIDERANDO que Lei Complementar n. 85, de 27 de dezembro de 1999, em seus artigos 67, § 1º, inciso III, e 68, inciso XIII, item 10, dispõe que ao Promotor de Justiça incumbe, respectivamente, “atender a qualquer do povo, ouvindo suas reclamações, informando, orientando e tomando as medidas de cunho administrativo ou judicial, ou encaminhando-as às autoridades ou órgãos competentes” e “efetuar articulação entre os órgãos do Ministério Público e entidades públicas e privadas com atuação na sua área”;

 

CONSIDERANDO que, nos termos do artigo 25 da Lei n. 8.625, de 12 de fevereiro de 1993, além das funções previstas nas Constituições Federal e Estadual, na Lei Orgânica e em outras leis, incumbe, ainda, ao Ministério Público “promover o inquérito civil e a ação civil pública, na forma da lei para a proteção, prevenção e reparação dos danos causados ao meio ambiente, ao consumidor, aos bens e direitos de valor artístico, estético, histórico, turístico e paisagístico, e a outros interesses difusos, coletivos e individuais indisponíveis e homogêneos”;

 

CONSIDERANDO o artigo 27, parágrafo único, inciso IV, da Lei Federal n. 8.625, de 12 de fevereiro de 1993, que faculta ao Ministério Público expedir recomendação administrativa aos órgãos da administração pública federal, estadual e municipal, requisitando ao destinatário sua divulgação adequada e imediata, assim como resposta por escrito;

 

CONSIDERANDO que, em 30.01.2020, a Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou que o surto da doença causada pelo Coronavírus (COVID-19) constitui Emergência de Saúde Pública de Importância Internacional (ESPII);

 

CONSIDERANDO que, em 11.03.2020, a Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou pandemia para o Coronavírus, ou seja, momento em que uma doença se espalha por diversos continentes com transmissão sustentada entre humanos;

 

CONSIDERANDO as notícias amplamente divulgadas na imprensa e redes sociais de que os fornecedores, aproveitando-se da expansão do Coronavírus (COVID-19) e, consequentemente, do aumento da procura para medidas de proteção, cuidados pessoais e alimentos, elevaram arbitrariamente os preços, inclusive em determinados casos a patamares exorbitantes, de gêneros alimentícios essenciais e materiais como álcool em gel 70%, máscaras e demais itens preventivos;

 

CONSIDERANDO a essencialidade dos diversos produtos dos quais se tornou sabido aumento da procura e rápida escassez no mercado;

 

CONSIDERANDO as orientações expedidas pela Organização Mundial de Saúde quando ao COVID-19, entre as quais estão destacadas a declaração de pandemia e medidas essenciais relativas à prevenção;

 

CONSIDERANDO a alta escalabilidade viral do COVID-19, exigente de infraestrutura hospitalar (pública ou privada) adequada, com leitos suficientes e compostos com aparelhos respiradores em quantidade superior à população em eventual contágio, o que está fora da realidade de qualquer centro médico deste Estado;

 

CONSIDERANDO que a Constituição Federal estabelece no inciso XXXII do seu artigo 5º que o Estado promoverá, na forma da lei, a defesa do consumidor;

 

CONSIDERANDO que a Lei n. 8.078/1990, que instituiu o Código de Proteção e Defesa do Consumidor, estabeleceu as normas de ordem pública e interesse social em atenção ao supracitado dispositivo constitucional;

 

CONSIDERANDO que é DIREITO DO CONSUMIDOR a vedação da modificação das cláusulas contratuais que estabeleçam prestações desproporcionais ou sua revisão em razão de fatos supervenientes que as tornem excessivamente onerosas (artigo 6º do Código de Defesa do Consumidor), bem como elevar, SEM JUSTA CAUSA, o preço de produtos e serviços, configurando prática abusiva (artigo 39, inciso X, do Código de Defesa do Consumidor);

CONSIDERANDO que o aumento significativo do preço em tempos de calamidade pública e escassez do bem não configura justa causa, mas sim insensibilidade com os mandamentos emanados da solidariedade social;

 

CONSIDERANDO que em situações de crise espera-se dos comerciantes um mínimo de solidariedade e esforços para não haver aumento dos preços, sendo justa e legítima a busca do lucro, mas não de forma abusiva, aproveitando de uma triste situação de calamidade pública;

 

CONSIDERANDO que a livre concorrência não autoriza o fornecedor fixar preço aleatório, sem critérios, sobretudo em momentos de crise, em que a população precisará ter acesso a produtos essenciais;

 

CONSIDERANDO que tais práticas caracterizam-se como infrações à Lei n. 8.078/1990 (Código de Defesa do Consumidor), podendo o fornecedor incorrer, conforme o caso, nas mais diversas sanções administrativas, sem prejuízo das de natureza civil, penal e das definidas em normas específicas, como o artigo 56 do Código de Defesa do Consumidor;

 

CONSIDERANDO que a fixação artificial de preços ou de quantidades vendidas ou produzidas é crime contra a relação de consumo (Lei Federal n. 8.137/90);

 

CONSIDERANDO que é crime contra a economia popular provocar a alta ou baixa de preços de mercadorias por meio de notícias falsas, operações fictícias ou qualquer outro artifício (artigo 3º, inciso VI, da Lei Federal n. 1.521/51);

 

CONSIDERANDO, no mesmo sentido, a disposição contida no artigo 36, inciso III, da Lei n. 12.259/2011 que a conduta dos comerciantes poderá afrontar a ordem econômica, de acordo com o seu artigo 36, constituindo infração da ordem econômica, independentemente de culpa, os atos sob qualquer forma manifestados, que tenham por objeto ou possam produzir os seguintes efeitos, ainda que não sejam alcançados: I – limitar, falsear ou de qualquer forma prejudicar a livre concorrência ou a livre iniciativa; II – dominar mercado relevante de bens ou serviços; III – aumentar arbitrariamente os lucros; e IV – exercer de forma abusiva posição dominante; expede a presente

 

RECOMENDAÇÃO ADMINISTRATIVA aos COMERCIANTES DO MUNICÍPIO DE RIO BONITO DO IGUAÇU, especialmente às REDES DE FARMÁCIAS, DROGARIAS, SUPERMERCADOS E QUAISQUER OUTROS FORNECEDORES que exponham à venda produtos voltados ao combate do novo CORONAVÍRUS (COVID-19), a fim de que:

 

Abstenham-se, sem motivada e justa causa, de elevar o preço dos produtos comercializados, mantendo-se a venda com precificação justa e não excessiva, evitando-se, assim, aumento injustificado de valor para além do praticado antes da expansão do COVID-19, sob pena de responsabilização cível e criminal, nos termos acima delineados, devendo informar esta Promotoria de Justiça no prazo de 05 (cinco) dias, acerca das justificativas do aumento já praticado desde a data da emissão deste documento;


Caso já tenham elevado os preços de forma inadequada, que corrijam tal situação, voltando a cobrar pelos produtos os valores normais cobrados anteriormente à iminência do COVID-19, salvo justificativa idônea.


Adverte-se que o Ministério Público tomará as medidas judiciais cabíveis para assegurar o fiel cumprimento da presente Recomendação, sem prejuízo da apuração de eventual responsabilidade daqueles cuja ação ou omissão resultar na violação dos direitos dos consumidores (artigos 82, inciso I, do Código de Defesa do Consumidor, e artigo 1º, inciso II, e 5º, inciso I, ambos da Lei n. 7.347/85), inclusive criminais.

 

Divulgue-se essa recomendação ministerial para orientação e conhecimento do público, mediante, dentre outras modalidades, de remessa de cópia às estações de rádios locais, sítios de notícias locais, páginas oficiais e redes sociais.

 

Remeta-se cópia desta Recomendação, por meio eletrônico, à Prefeitura de Rio Bonito do Iguaçu, ao PROCON de Rio Bonito do Iguaçu, à Delegacia de Polícia Civil, ao Presidente da Subseção da OAB, ao Comando local da Polícia Militar e à Associação Comercial e Empresarial de Rio Bonito do Iguaçu, para que dê ciência aos estabelecimentos comerciais municipais.

 

Fica estabelecido o prazo de 05 (cinco) dias para manifestação das autoridades destinatárias quanto às medidas adotadas para cumprir esta Recomendação Administrativa, a partir do seu recebimento.

 

Laranjeiras do Sul-PR, 25 de março de 2020.

 

Alexandre Galati Santos

Pereira Promotor Substituto

 

 

 

Rio Bonito - Saúde está tomando providências com os EPIs para os funcionários no enfrentamento ao Covid-19

A Secretaria de Saúde de Rio Bonito do Iguaçu providenciou Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) para os funcionários que estão na linha de frente no enfrentamento ao Coronavírus (Covid-19).

 

Todos os médicos, equipe de enfermagem, motoristas, equipe de triagem, vacina, farmácia e demais servidores estão protegidos para o transporte e atendimento de casos suspeitos.

 

Os kits são compostos por máscaras, óculos, macacão impermeável, proteção para os pés e demais itens de proteção onde os funcionários poderão atender a população com segurança.

 

De acordo com a secretária de Saúde, Elenice Silmara de Oliveira (Neguinha), neste momento de enfretamento da pandemia, todo cuidado é necessário para preservar a vida da população riobonitense.

 

Sobre os atendimentos na Unidade Central de Saúde, durante o período de quarentena do Coronavírus, está sendo feito nos seguintes acessos:

 

No acesso de cima da Rua Dr. Carmosino Vieira Branco:

 

- Atendimentos de vacinas, agendamento de TFD (Transporte Fora do Domicílio), NASF (Núcleo de Atendimento Saúde da Família) e Odontologia – das 7h30 às 11h30 e das 13h30 às 17h.

 

Tenda no acesso debaixo onde ficavam estacionados as ambulâncias na Rua Dr. Carmosino Vieira Branco:

 

– Triagem e demais atendimentos na parte externa - evitando aglomeração de pessoas.

 

Acesso na porta de vidro ao lado da garagem da Saúde:

 

- Atendimentos de farmácia e renovação de receitas.

 

Atendimento com médicos na Unidade de Saúde das 7h às 19h.

 

Outros departamentos da Saúde – das 7h30 às 11h30 e das 13h30 às 17h.

 

 

 

Rio Bonito - Decreto estabelece serviços essenciais, horários de funcionamento e fluxo de pessoas devido ao Coronavírus

DECRETO Nº 037/2020

DATA: 24/03/2020

 

SÚMULA: Dispõe sobre determinações e recomendações ao desenvolvimento das atividades consideradas essenciais que não podem ser interrompidas e dá outras providências.

 

O PREFEITO MUNICIPAL DE RIO BONITO DO IGUAÇU, ESTADO DO PARANÁ, NO USO DE SUAS ATRIBUIÇÕES LEGAIS, E

 

CONSIDERANDO O DECRETO Nº 4.317/2020, E AUTORIA DO GOVERNO DO ESTADO DO PARANÁ, O QUAL DESDE JÁ ESTÁ MUNICIPALIDADE ADERE INTEGRALMENTE, RESOLVE

 

D E C R E T A R:

 

Art. 1º Estabelece, no âmbito da Administração Pública do Município de Rio Bonito do Iguaçu, as determinações e recomendações ao desenvolvimento das atividades consideradas essenciais, que não podem ser interrompidas.

 

Art 2º Em relação aos Supermercados, mercados e mercearias, que desenvolvem a produção, distribuição e comercialização de alimentos para o uso humano, ficam estabelecidas as seguintes regras para o seu funcionamento:

 

I – O horário de funcionamento se limitará das 08:00 horas às 18:00 horas, de segunda a sábado, sendo que domingo todos os estabelecimentos permanecerão fechados;

 

II – Nos supermercados, será permitida a permanência de no máximo 20 (vinte) consumidores por vez, pelo prazo máximo de 20 (vinte) minutos cada um, somente podendo adentrar novo consumidor no estabelecimento após a saída de um consumidor que estava dentro do Supermercado;

 

III - Nos mercados e nas mercearias, será permitida a permanência de no máximo 10 (dez) consumidores por vez, pelo prazo máximo de 20 (vinte) minutos cada um, somente podendo adentrar novo consumidor no estabelecimento após a saída de um consumidor que estava dentro do mercado ou mercearia;

 

IV – O controle do fluxo de pessoas previstos no inciso anterior será de responsabilidade dos proprietários do estabelecimento comercial, sujeito à fiscalização do poder público; e

 

V – Recomenda-se a disponibilização de álcool em gel na entrada dos estabelecimentos, com funcionário realizando a entrega para utilização imediata dos consumidores que adentrarem ao recinto.

 

Art. 3º Em relação às panificadoras e padarias, que desenvolvem a produção, distribuição e comercialização de alimentos para o uso humano, ficam estabelecidas as seguintes regras para o seu funcionamento:

 

I – O horário de funcionamento se limitará das 06:00 horas às 20:00 horas, de segunda a sábado, sendo que domingo todos os estabelecimentos permanecerão fechados;

 

II – Será permitida a permanência de até 10 (dez) consumidores por vez, dentro do estabelecimento, pelo prazo máximo de 20 (vinte) minutos cada um, somente podendo adentrar novo consumidor no estabelecimento após a saída de um consumidor que estava dentro do recinto;

 

III – Excluem-se do controle de fluxo de consumidores descrito no inciso anterior as áreas existentes nas panificadoras e padarias destinadas ao consumo de alimentos dentro do estabelecimento, que para todos os fins se assemelham a restaurantes, nos quais deverá ser respeitado o espaço mínimo de 02m (dois metros) de distância entre as mesas e/ou cadeiras e banquetas;

 

IV – O controle do fluxo de pessoas previstos no inciso II será de responsabilidade dos proprietários do estabelecimento comercial, sujeito à fiscalização do poder público; e

 

V – Recomenda-se a disponibilização de álcool em gel na entrada dos estabelecimentos, com funcionário realizando a entrega para utilização imediata dos consumidores que adentrarem ao recinto.

 

Art. 4º As lojas de conveniência existentes em postos de combustíveis terão limitação de consumidores a 02 (duas) pessoas por vez, excluindo-se desse controle de fluxo de consumidores as áreas existentes nas lojas de conveniência destinadas ao consumo de alimentos dentro do estabelecimento, que para todos os fins se assemelham a restaurantes, nos quais deverá ser respeitado o espaço mínimo de 02m (dois metros) de distância entre as mesas e/ou cadeiras e banquetas.

 

Art. 5º As farmácias e drogarias, independentemente do horário de funcionamento, restringirão o fluxo de consumidores a 02 (duas) pessoas por vez, dentro do estabelecimento.

 

Art. 6º O horário de funcionamento para atendimento aos produtores rurais na sede da Prefeitura Municipal se limitará das 10:00 horas às 12:00 horas, de segunda a sexta, restringindo ao atendimento de uma pessoa por vez dentro da Prefeitura, somente podendo adentrar novo agricultor/cidadão na Prefeitura (setor de notas de produtor) após a saída de um produtor/cidadão que estava dentro da Prefeitura sendo atendido.

 

Art. 7º Este Decreto entra em vigor nesta data, revogadas disposições em contrário.

 

 

 

Rio Bonito - Município decreta toque de recolher devido a pandemia de Coronavírus a partir desta terça-feira, 24

DECRETO Nº 038/2020
DATA: 24/03/2020

 

SÚMULA: Dispõe sobre toque de recolher diariamente no Município de Rio Bonito do Iguaçu e da outras providências.

 

O PREFEITO MUNICIPAL DE RIO BONITO DO IGUAÇU, ESTADO DO PARANÁ, NO USO DE SUAS ATRIBUIÇÕES LEGAIS, RESOLVE,

 

D E C R E T A R:

 

Art. 1º Fica determinado o toque de recolher diariamente a partir das 20hs até às 6hs do dia seguinte, enquanto perdurar as medidas estabelecidas no Decreto nº 034/2020 de 17/03/2020 e Decreto nº 036/2020 de 20/03/2020.

 

§ 1º Fica alheio à proibição quem estiver circulando para acessar ou prestar serviços na área da saúde, segurança, serviços públicos e serviços essenciais, estes, desde que comprovada a necessidade ou urgência.

 

§ 2º Os serviços de segurança privada e os plantões em serviços essenciais, não estão sujeitos ao toque de recolher.

 

Art. 2º Quem descumprir o toque de recolher pode ser indiciado por crimes contra a Saúde Pública, como causar epidemia ou infringir medida sanitária preventiva, e de desobediência, além de multa de R$ 300,00 (trezentos reais), multiplicada por 02 (dois) a cada reincidência.

 

Art. 3º A partir do dia 24 de março de 2020 (terça-feira) ficam suspensas as atividades da Rodoviária de Rio Bonito do Iguaçu.

 

Art. 4º Este decreto entra em vigor na data de sua publicação produzindo efeitos a partir de sua assinatura.

 

Gabinete do Prefeito Municipal de Rio Bonito do Iguaçu-PR., em 24 de março de 2020.

 

 

 

 

Rio Bonito - Saúde irá aplicar vacinas da Influenza na residências dos idosos

Nós da Secretaria de Saúde de Rio Bonito do Iguaçu temos um recado super importante a você idoso do nosso município. A Campanha Nacional da Influenza teve início nesta segunda-feira, 23 de Março, e você estão no grupo prioritário de vacinação nesta primeira etapa.

 

A primeira fase da campanha (faixa dos idosos) irá até o próximo dia 15 de Abril.

 

A vacinação esse ano em função da pandemia do Coronavírus vai acontecer de uma forma diferente. Ao invés de vocês virem até a Unidade de Saúde, NÓS VAMOS ATÉ VOCÊS!

 

Por esse motivo, FIQUEM EM SUAS CASAS. Uma equipe vai até a sua residência para fazer a vacina. Não se preocupem, todos os idosos serão vacinados!

 

 

 

Rio Bonito - Prefeitura bloqueia acessos à cidade a proliferação do Coronavírus

Devido a pandemia de Coronavírus (Covid-19), o Governo Municipal está bloqueando todos os acessos à cidade, ficando livre somente o trevo da Avenida Dom Pedro II, onde terá equipes monitorando e fiscalizando a entrada e saída de pessoas e veículos. Quem é de outras cidades ou viajou para outros municípios, irá receber uma NOTIFICAÇÃO DE ISOLAMENTO.

 

Na verdade se trata de uma barreira sanitária aonde somente será repassado orientações para as pessoas que chegam de outros lugares e serão coletados seus dados.

 

A Secretaria de Saúde mais uma vez solicita que todos fiquem em casa devido à alta contaminação do vírus prevista para as próximas duas semanas, de acordo com o Ministério da Saúde.

 

 

 

Rio Bonito - Secretaria de Saúde alerta população sobre os riscos do Coronavírus

A Comissão de Epidemiologia de Rio bonito do Iguaçu está recebendo denúncias de que há fazendas, sítios e alagado que estão recebendo pessoas refugiadas de Santa Catarina, Curitiba, São Paulo, Rio de Janeiro, Bahia e outros lugares que possuem casos do Coronavírus.

 

As pessoas que acolheram em suas propriedades estes refugiados, sabem do risco que podem estar causando para si e para a população de Rio Bonito do Iguaçu.

 

A situação é muito preocupante, tendo em vista que o coronavírus é altamente contagioso e leva até 14 dias para apresentar os sintomas, sendo este intervalo denominado de período de incubação. De tal forma que muitas pessoas podem estar contaminadas pelo coronavírus, mas ainda não sabem e podem contaminar outras pessoas.

 

A comissão em nota pede que “devido a inúmeras solicitações de fiscalização de propriedades particulares, em que está sendo aglomerado pessoas de outros Estado e municípios, que aqueles que receberão seus familiares e amigos, bem como estes refugiados, que permaneçam em seu isolamento social, obrigatoriamente por 14 dias, pois havendo a necessidade de cuidar da saúde como um todo, não vamos ter o efetivo para fiscalizar. Então, precisamos que estas pessoas se conscientizem e fiquem em isolamento. Entendemos que muitos vieram para esse cuidar, mas pedimos fiquem em seus domicílios e em seus respectivos abrigos e não saiam para a cidade, pois este não é um momento de férias nem de fazer churrasco aglomerando pessoas.”

 

Você que é do interior saiba que neste momento não é falta de educação recusar visitas, mas é zelo e amor pela tua família e empatia com os grupos de risco. Nossas cidades interioranas tem muitos idosos e menos recursos para tratá-los, caso contraiam o COVID-19.

 

Sejam conscientes. A ordem é clara: FIQUEM EM CASA! CADA UM NA SUA CASA!