Proprietário de área é multado em 47 mil por destruição de mata nativa e de preservação em Corbélia

Policiais Ambientais do Paraná autuaram o proprietário de uma área na localidade de Corbélia na última sexta dia (29).

 

Conforme a equipe policial, em vistoria foi constatado destruição de 6,6 hectares de mata nativa, sendo 0,7 hectares em área de preservação permanente (nascente).

Os danos atingiram espécie como canela, angico, mamica de cadela, caraguatás e Araucária, esta última ameaçada de extinção.

(Fotos : Polícia Ambiental). 

Foram lavrados autos de infração ambiental, que totalizaram R$ 47 mil.

 

O Ministério Público do Paraná será comunicado do crime ambiental para providências cabíveis. (Com Polícia Ambiental). 

Hashtag:

A Polícia Ambiental do Paraná fez novas apreensões de armas de fogo, munições e armadilhas de caça na área sob jurisdição do Parque Nacional do Iguaçu, no município de São Miguel do Iguaçu/PR.

A ações aconteceram na última quarta dia 27.

(Foto Armadilhas: Polícia Ambiental). 

 As apreensões foram feitas durante averiguação de uma denúncia anônima de que criminosos estariam caçando animais silvestres. No local foram encontrados abandonados:

  • 02 espingardas cal .22;
  • 02 cartuchos cal .22;
  • 01 lanterna;
  • 01 apito usado para imitar sons de animais silvestres;
  • 02 locais de caça com ceva de milho e sal.

Os materiais apreendidos estavam abandonados e escondidos em um cano de PVC.

 

As apreensões foram encaminhadas para a Polícia Federal de Foz do Iguaçu.

 

Precisamos dar as mãos e lutar contra o abate de animais silvestres. Como? Denuncie no 181.

Hashtag:
No Paraná, dengue tem queda no número de notificações

A Secretaria de Estado da Saúde divulgou o Informe Dengue nº 40 nesta terça dia 02, com dados da doença. O período de monitoramento da dengue tem início em julho e pela curva epidêmica, a partir do mês atual, a tendência é de queda de casos.

 

Por esse motivo, desde o último boletim publicado, em 19 de maio, a periodicidade do documento voltará a ser quinzenal, como já ocorreu em anos anteriores.

 

O total de casos confirmados de dengue é de cerca de 199 mil, referente ao período epidemiológico iniciado em 28 de julho de 2019 até o sábado, 30 de maio. Foram incluídos 18.650 novos casos entre o último boletim e o divulgado nesta terça-feira (02), com uma diferença portanto de 15 dias desde a última publicação. Há casos em 343 municípios do Paraná, sendo que 237 estão em epidemia.

 

Após a notificação de cada caso, as equipes de vigilância epidemiológica dos municípios desenvolvem a investigação da situação.

 

Os casos novos entraram na contabilização de confirmações também das semanas anteriores. “Como investigamos caso a caso, é possível que um município tenha encerrado agora um caso de dois meses atrás e nos informado agora. Embora o número de registros positivos para a dengue seja alto, olhamos agora para os novos notificados e quantidade de situações em investigações para parâmetro do cenário”, explicou o secretário Beto Preto.

 

“Nossa tendência é de queda, o que já temos constatado, estudamos isso constantemente e percebemos que os casos estão reduzindo em volume. Mas não baixamos a guarda ainda, temos que avançar no que se refere à prevenção da dengue já pensando no próximo ano”, disse o secretário.

 

Entre os 332 mil casos notificados, mais de 73 mil já foram descartados, sendo considerados como resultado negativo para a dengue. As notificações de casos reduziram em relação ao último boletim. Há duas semanas, o Paraná tinha 64.315 em investigação e na data de hoje (02) o informe mostra 59.705 casos. A diferença, 4.610 ocorrências, refere-se a casos que foram encerrados com diagnósticos positivos ou negativos. (Com AEN)

 

 

 

Hashtag:
Paraná planeja a retomada com investimentos e segurança institucional

O governador Carlos Massa Ratinho Junior participou nesta terça dia 02, de um evento online promovido pela Câmara Americana do Comércio (Amcham Curitiba) e destacou a estruturação do Estado para o enfrentamento ao novo coronavírus e o planejamento para a recuperação econômica do Estado pós-pandemia.

 

O caminho para a retomada do crescimento passa por investimentos públicos e privados, ressaltou o governador, destacando que a segurança institucional do Estado e a força do agronegócio contribuem com a melhoria desse cenário. “Adotamos várias medidas para não parar o sistema econômico, ao mesmo tempo em que tomamos o cuidado com as recomendações dos órgãos de saúde”, disse ele.

 

A conversa foi conduzida pela CEO da Amcham, Deborah Vieitas, e acompanhada por cerca de 300 pessoas de 22 cidades e sete estados diferentes. “Nosso objetivo é estabelecer um diálogo construtivo entre os setores público e privado, para melhorar a competitividade e as exportações brasileiras”, afirmou Deborah.

 

O chefe da Casa Civil, Guto Silva; os secretários de Estado da Fazenda, Renê Garcia; do Planejamento e Projetos Estruturantes, Valdemar Bernardo Jorge; e da Agricultura e Abastecimento, Norberto Ortigara; e o diretor-presidente da Invest Paraná, Eduardo Bekin, também acompanharam a transmissão.

 

SAÚDE – Ratinho Junior explicou que o governo já vinha em um processo de descentralização da saúde, o que facilitou na implantação de leitos exclusivos para atender pacientes com a Covid-19 em todas as regiões. Esse planejamento incluiu parcerias com hospitais filantrópicos e particulares que atendem pelo SUS, além da estruturação da rede estadual de saúde.

 

“Disponibilizamos um volume grande de leitos de UTI para atender os pacientes de Covid-19. A taxa de ocupação hoje é de 48% desses leitos, mas temos um plano B para ampliar essa estrutura caso haja necessidade”, disse Ratinho Junior.

 

O Estado também antecipou as obras de três hospitais regionais, que seriam entregues no final do ano. Com a implantação de uma força-tarefa para concluir mais rapidamente a construção, os hospitais regionais de Ivaiporã (Vale do Ivaí) e Telêmaco Borba (Campos Gerais) começaram a funcionar nesta semana. O terceiro, em Guarapuava (Centro), deve entrar em funcionamento até o fim do mês.

 

EQUILÍBRIO - Paralelamente ao investimento na saúde, o Estado atuou para não parar a economia e ter a menor desaceleração possível. “Não chegamos a decretar a quarentena, apenas recomendamos a paralisação de alguns setores mais propícios à contaminação”, disse. “Alinhamos com os prefeitos para que cada município se ajustasse à sua realidade e, assim, conseguimos um equilíbrio para que o setor econômico não parasse totalmente”, explicou o governador.

 

Com isso, setores como o industrial, o agronegócio, construção civil e o sistema logístico do Estado continuaram em funcionamento. “O Porto de Paranaguá tem batido recordes de movimentação todos os meses. O sistema logístico do Estado foi preservado para garantir a exportação da produção histórica na agricultura”, disse.

 

RECUPERAÇÃO – Ratinho Junior salientou que a boa situação fiscal e a segurança jurídica do Estado são fundamentais para garantir a retomada da economia e a preservação dos empregos dos paranaenses. Esse planejamento engloba desde as micro e pequenas até as grandes empresas, tendo como guarda-chuva para o setor econômico o programa Recupera Paraná.

 

O programa de recuperação econômica inclui a ampliação de linhas de crédito ao setor produtivo, com a alavancagem de recursos disponibilizados pelo Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) e pela Fomento Paraná. O Estado também adotou a isenção do Imposto sobre Circulação de Mercadorias (ICMS) a 270 mil micros e pequenas empresas.

 

Outra estratégia é ampliar o incentivo aos chamados Arranjos Produtivos Locais, para alavancar o desenvolvimento tendo em vista as vocações regionais. “Também estamos finalizando o selo Made in Paraná, para fomentar a compra de produtos produzidos no Estado. Ao prestigiar as empresas paranaenses, também ajudamos na criação e manutenção dos empregos locais”, disse Ratinho Junior.

 

INVESTIMENTOS – Obras públicas, tanto no setor logístico como na infraestrutura dos municípios, também estão no horizonte para a retomada econômica. O Governo do Estado obteve um empréstimo junto ao Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) de R$ 600 milhões, que integram o pacote de ações para auxiliar as cidades paranaenses.

 

Há ainda mais R$ 1,6 bilhão em empréstimos já autorizados pela Assembleia Legislativa e que aguarda aval federal. Os recursos deste financiamento serão utilizados em obras de infraestrutura e logística, urbanização do Litoral e também nas áreas de segurança e agricultura.

 

“A reforma administrativa que adotamos desde o início da gestão, que diminuiu o número de secretarias e autarquias e trouxe mais agilidade à máquina pública, também nos colocou em uma situação privilegiada”, disse o governador. “Temos uma boa capacidade de endividamento, que nos dá tranquilidade para garantir investimentos e permite que o Estado cumpra seus compromissos.”

 

AMBIENTE PROPÍCIO - De acordo com o secretário estadual da Fazenda, Renê Garcia, a boa situação fiscal do Estado facilita na tomada de empréstimos e também cria um ambiente propício para investidores.

 

“O Paraná tem um diferencial competitivo com relação aos seus pares e as finanças organizadas”, disse. “Quando o empresário vem ao Estado ele tem não só vantagem do ponto de vista operacional e dos fatores de produção, como tem segurança institucional. Em nenhum momento o Estado vai atrapalhar ou agregar risco aos investidores”, salientou.

 

MOVIMENTO SOMA – A reunião virtual também marcou o primeiro mês de lançamento regional do Movimento SOMA (soma.amcham.com.br). Liderado pela Amcham, a ação conecta necessidades específicas do setor público com soluções e ofertas do setor privado, fazendo indicações em tempo real de itens prioritários para doação e compras governamentais.

 

Além disso, iniciativa possibilita a troca de ofertas entre empresários de todo o Brasil, divulgando oportunidade de produtos ou serviços para se adaptar à situação atual. No movimento SOMA, a Amcham Brasil representa 5 mil empresas, que juntas somam 33% do PIB brasileiro e 3 milhões de pessoas empregadas em empresas das 15 principais cidades brasileiras.

 

AMCHAM CURITIBA – A Amcham Curitiba faz parte de uma das maiores associações de empresas do Brasil, com 15 filiais em todo o país e mais de 5.200 empresas associadas. O objetivo da entidade é criar um ambiente favorável de negócios por meio de boas práticas de mercado, capacitação profissional e cidadania empresarial.

 

A instituição visa facilitar relações empresariais, gerar negócios, ser ponte no relacionamento governamental e internacional, além de prover conteúdos que amplifiquem o conhecimento de seus associados. A Amcham Curitiba completa, neste ano, 20 anos de atuação no Paraná e terá uma programação especial para seus associados. (Com AEN)

 

 

 

Hashtag:
Garrafas de cerveja para o sonho da casa própria

A casa que é construída de maneira não tão convencional aos poucos vai ganhando forma na Vila C em Foz do Iguaçu.

 

Paredes de vidros foram erguidas, mas até que toda a obra seja concluída serão necessárias mais de 15 mil garrafas de cerveja.

 

"Nós fomos contando e até agora já usamos cerca de 8.500 garrafas de 600 ml e long neck", conta Dóris Dias, futura moradora desse inusitado lar.

 

Ela recebeu de presente do pai parte do terreno e para realizar o sonho de ter a casa própria uniu materiais que guardado, pesquisas e junto do marido colocou mãos à obra.

 

"Não teríamos condições de pagar por uma de tijolos, de madeira ou mesmo contêiner. Então observei garrafas que utilizei para decoração do casamento e decidi que a casa seria de vidro", diz ela.

 

Ela e o esposo têm recebido vasilhames de bebidas de todos os tipos, mas a maior necessidade é pelas garrafas de cerveja e do formato long neck.

 

"Gostaríamos também de conseguir ajuda com materiais como cimento, cal, areia para usarmos na obra. Na parte de dentro ficam as bocas das garrafas e ainda estamos analisando como será o revestimento. A coberta será em zinco", planeja Dóris.

 

O projeto de 45 metros quadrados inclui sala e cozinha conjugadas, um quarto e banheiro. "Estamos investindo tudo o que podemos na obra e gostaríamos que até o fim do ano ela ficasse pronta", revela Dóris que no momento vive na casa dos pais.

 

A casa é construída na Rua Curitiba, 148, Vila C em Foz do Iguaçu. O contato da Dóris é o (45) 99964-9786. (Com Catve)

 

 

 

Hashtag:
Porto de Paranaguá vai receber cargas postais dos Correios

O Porto de Paranaguá foi escolhido para receber a primeira grande movimentação de cargas postais vindas da China para os Correios. Entre e junho e julho serão desembarcados 34 contêineres. O modal marítimo surge como alternativa para a redução dos voos comerciais, afetados pela pandemia da Covid-19.

 

Nesta segunda-feira (01), o superintendente estadual dos Correios no Paraná, Paulo Cezar Kremer dos Santos, visitou o Terminal de Contêineres de Paranaguá (TCP) e se reuniu com o presidente da Portos do Paraná, Luiz Fernando Garcia.

 

O aumento nos valores do frete aéreo é um dos motivos para a escolha do modal marítimo. “A redução dos voos internacionais tem impacto direto nas importações, já que muitos produtos chegam do Exterior no compartimento de carga dos aviões de passageiros. O transporte marítimo se manteve durante a pandemia e é uma alternativa eficiente”, explica Garcia.

 

Dois contêineres chegaram já no sábado (30) e aguardam o desembaraço aduaneiro para seguir viagem até o Centro Internacional de Triagem da estatal, em Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba.

 

Segundo os Correios do Brasil, em nota, em decorrência de medidas para reduzir a disseminação da Covid-19, objetos postados na China estavam retidos naquele país, sem perspectiva de envio.

 

“Os correios brasileiro e chinês firmaram acordo para viabilizar o transporte de encomendas e documentos vindos da China por meio marítimo. A decisão atende solicitação da União Postal Universal (UPU) - agência especializada da ONU que coordena o sistema postal internacional - para flexibilizar os modais de encaminhamento e desburocratizar a entrada de cargas postais pelas alfândegas mundiais”, traz o texto oficial.

 

VISITA – O superintendente estadual dos Correios no Paraná, Paulo Cezar Kremer dos Santos, conheceu as instalações do TCP, acompanhado do gerente regional de Transporte e Tratamento, Paulo Santiago da Silva, e do gerente do Centro Internacional dos Correios, em Pinhais/PR, Jonas Paulo Kusminski.

 

“Essa primeira operação foi iniciada em função de toda a situação criada pela pandemia. Porém, é uma possibilidade que pode continuar. Vejo como uma boa oportunidade, principalmente pela questão do custo pela proximidade com o Centro Internacional de Triagem, em Pinhais”, destaca Kremer.

 

Segundo ele, o Centro, localizado na Região Metropolitana de Curitiba, tem 20 mil metros quadrados e é responsável pelo recebimento e desembaraço de grande parte das encomendas internacionais que chegam ao Brasil. “É o maior centro de distribuição internacional dos Correios, no Brasil", diz.

 

TERMINAL - No Terminal de Contêineres de Paranaguá (TCP), os representantes dos Correios foram recepcionados pelo diretor comercial, Thomas Lima, e pelo superintendente institucional, Luiz Narok.

 

A demanda para este primeiro lote veio do armador Cosco Shipping, solicitada pelo serviço postal chinês, China Post. “Esta operação abriu uma porta importante para que novas remessas de cargas postais sejam movimentadas via Paranaguá. Estamos preparados em estrutura e em número de linhas marítimas semanais. Podemos receber cargas postais não apenas da China, mas de todas as partes do mundo”, acrescenta Lima. (Com AEN)

 

 

 

Concurso Café Qualidade Paraná abre período de inscrições

A Câmara Setorial do Café do Paraná e a Secretaria de Estado da Agricultura e do Abastecimento divulgaram o novo regulamento do 18º Concurso Café Qualidade Paraná. O objetivo é valorizar e fortalecer a produção de cafés especiais, na busca de novas oportunidades de negócios para os produtores.

 

As inscrições são gratuitas e devem ser feitas nas unidades regionais do Instituto de Desenvolvimento Rural do Paraná Iapar-Emater (IDR-Paraná) até o dia 2 de outubro de 2020.

 

Mesmo com a pandemia do novo coronavirus, a Comissão Organizadora Estadual avaliou que é importante manter o concurso. “O agronegócio não para, e o concurso é um forte estimulo para continuar melhorando a qualidade da produção”, diz o gerente da Câmara Setorial do Café do Paraná, Francisco Barbosa Lima.

 

Para o secretário da Agricultura e do Abastecimento, Norberto Ortigara, o evento estimula a qualificação dos agricultores paranaenses. “É um meio de garantir aumento da renda aos cafeicultores e sustentabilidade à produção”.

 

CATEGORIAS - O concurso será realizado em duas categorias: Café Natural (via seca) e Café Cereja Descascado ou Despolpado (via úmida). A cerimônia de premiação dos vencedores está prevista para o início de novembro.

 

Os lotes serão avaliados por uma Comissão Julgadora, constituída pela Comissão Organizadora Estadual e composta por classificadores e degustadores de reconhecida competência no âmbito estadual e nacional.

 

O julgamento vai acontecer no Centro de Pesquisa em Qualidade do Café do IDR-Paraná em Londrina. Todos os detalhes do regulamento estão disponíveis no site www.cafequalidadeparana.com.br. Nos próximos dias, as informações sobre o cronograma também serão atualizadas.

 

Na última edição, os cafeicultores Valdeir Luiz de Souza, de Tomazina, e Edson Messias de Carvalho, de Joaquim Távora, foram os grandes vencedores nas categorias cereja descascado e natural, superando 120 lotes que participaram da disputa. Edson ganhou também um prêmio em reconhecimento à sustentabilidade de sua produção.

 

PREMIAÇÃO – Os lotes classificados até o 5º lugar de cada categoria terão garantia de compra pela Comissão Organizadora a preço da BM&F do dia anterior ao evento de encerramento, acrescido de, no mínimo, 50%.

 

SUSTENTABILIDADE – Outra categoria do concurso é a de Sustentabilidade. Os produtores que optarem em participar desta avaliação, precisam preencher uma planilha com informações detalhadas que incluem temas como a gestão da propriedade, rastreabilidade, gestão ambiental, planejamento ambiental, manejo e conservação do solo, manejo de pragas e doenças, armazenagem, qualificação, saúde e bem-estar dos trabalhadores.

 

PRODUÇÃO - Para a safra 2019/2020, a expectativa de produção de café no Paraná é de 56,3 mil toneladas em uma área de 36,1 mil hectares, concentrada principalmente no Norte do Estado, segundo o Departamento de Economia Rural (Deral) da Secretaria da Agricultura e do Abastecimento.

 

“Embora o café não esteja entre as culturas mais expressivas do Estado em termos de volume, os produtores têm investido cada vez mais em qualidade e em cafés especiais”, diz o economista do Deral e responsável pela Comissão Organizadora Estadual Paulo Franzini.

 

PARCERIA - Os parceiros desta edição são a Federação dos Trabalhadores Rurais Agricultores Familiares do Paraná (Fetaep), Sistema Federação da Agricultura do Paraná (Faep), Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE), Sebrae, Sistema Ocepar, Fortaleza Coffee, Cooperativa Intregrada, Grupo 2 Irmãos, Sicredi, Crea-PR, Bratac, Sociedade Rural do Paraná, Associação Brasileira da Indústria de Café (Abic), Probat, Agência Nacional de Assistência Técnica e Extensão Rural (Anater), Cocamar, Cocari e Copacol. (Com AEN)

 

 

 

Prefeitura de Foz do Iguaçu notifica servidores que receberam auxílio de R$ 600

A Prefeitura de Foz do Iguaçu informa que iniciou, na sexta dia 29, a notificação dos servidores que podem ter recebido indevidamente valores relativos ao auxílio emergencial, distribuído pelo Governo Federal devido à pandemia do novo coronavírus.



Conforme recomendação do Tribunal de Contas do Estado do Paraná (TCE-PR) e da Controladoria Geral da União, o Governo Federal disponibilizou um site para que os servidores façam a devolução dos valores, caso tenham recebido de forma ilícita.



De acordo com o TCE-PR, alguns servidores também podem ser vítimas de fraudes, e neste caso, eles poderão apresentar defesa justificando a situação e comprovando o não-recebimento dos valores para o Governo Federal. (Com Catve)