Por que os exercícios aeróbicos são bons para o coração?

Praticar esportes é indicado para qualquer pessoa.

 

Mais importante ainda para os cardiopatas. Para isso, é essencial consultar um médico e saber quais as limitações de cada paciente e quais exercícios eles podem fazer.

 

Os exercícios aeróbicos, por exemplo, são recomendados especialmente para os pacientes com problemas cardíacos. Pois eles ajudam na elevação da capacidade cardiorrespiratória.



Para o fisiologista do esporte do HCor (Hospital do Coração), Diego Leite de Barros, as caminhadas são as mais indicadas, pois requerem apenas um calçado confortável - de preferência com algum sistema de amortecimento - e roupas leves. “Se o paciente for liberado pelo seu médico, ele também pode participar de corridas, tanto ao ar livre quanto na esteira. Andar de bicicleta ou optar pelo exercício na bicicleta ergométrica é igualmente recomendado”, aconselha Diego Barros.

 

 

O ideal é que, aliado aos esportes que fortalecem a parte cardiorrespiratória, o paciente também faça musculação, pois isso complementa os benefícios do aeróbico. "A associação de exercícios aeróbicos com exercícios de força irão ampliar a força muscular do organismo, bem como a potência do coração”, esclarece o fisiologista.

 

Já para as pessoas sem grandes limitações, o ideal é fazer exercícios aeróbicos cinco dias por semana durante 30 minutos ou 25 minutos de atividade cardiorrespiratória, três dias na semana, associado ao fortalecimento muscular dois dias na semana. Para aqueles que querem reduzir a pressão arterial e o colesterol, a indicação é 40 minutos de atividade aeróbica moderada e intensa três ou quatro dias por semana.

 

Fortaleça o seu coração e fuja do sedentarismo!

 

Nosso corpo foi planejado para se movimentar. Mas hoje, vários problemas de saúde decorrem do sedentarismo. “Começar a praticar exercícios aeróbicos é a primeira recomendação. Mas para quem precisa começar com moderação, uma indicação é o treinamento aeróbico monitorado. Nele, os batimentos cardíacos são observados durante as atividades”, explica Diego.

 

Correr, dançar, subir escadas ou pedalar pode evitar doenças graves. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), o sedentarismo é um fator de risco de aproximadamente 30% dos casos de cardiopatia isquêmica - doença que provoca a redução do fluxo de sangue por conta de um estreitamento nas artérias coronárias -, o que eleva o risco de ocorrer um infarto.



As práticas regulares de exercícios aumentam a resistência do coração, que se adapta aos exercícios e “se acostuma” a bombear mais sangue para o corpo. “Além disso, durante os exercícios, o consumo de oxigênio é maior. Portanto mais gordura é queimada, o que diminui a probabilidade de doenças cardiovasculares associadas como hipertensão arterial e obesidade”, diz.

 

 

 

4 passos para o controle da oleosidade na pele

Se existe uma característica predominante na pele dos brasileiros, estamos falando de oleosidade.

 

Tanto pele oleosa quanto a pele mista são bastante comuns e estima-se que as duas juntas representam o tipo de pele de 80% da população brasileira.



“A pele oleosa é aquela com tendência a ter acne, então tem poros bastante dilatados, tem brilho em excesso e um aspecto mais congestionado. O paciente também sente que forma cravos com muita facilidade. Já a pele mista, na verdade, é uma combinação de áreas mais ressecadas e áreas mais oleosas: ela tem a zona T mais oleosa (testa, nariz e queixo), porque é onde se apresentam as glândulas sebáceas. Em contrapartida, as outras áreas são mais ressecadas”, explica Mika Yamaguchi, farmacêutica, especialista em dermo e nutricosméticos e diretora científica da Biotec Dermocosméticos.

 

Tratar esse tipo de pele requer muita atenção para evitar excessos. “O ideal é sempre o paciente procurar a ajuda de um dermatologista, que vai orientar a melhor forma de controlar essa oleosidade. Além disso, se o paciente tiver espinhas, o médico poderá prescrever tratamentos específicos, além de indicar o uso de substâncias como FC Oral, que são os fosfolipídeos de caviar e que tem atividade extremamente anti-inflamatória, ajudando contra acne”, afirma a especialista.

 

 

Veja quatro cuidados para o controle da oleosidade:

 

1. Higienização

 

Lavar o rosto com água em temperatura ambiente para fria, duas vezes ao dia, com sabonete de controle da oleosidade à base de Acneol SR, que conta com uma composição exclusiva de ácido salicílico, zinco, silício e enxofre. “Com isso, há uma ação antiacne e seborreguladora, além de estimular a renovação celular e acelerar o processo de cicatrização da pele”, afirma Mika.

 

2. Esfoliação

Utilizar, de duas a três vezes por semana, esfoliante, de preferência com ativos naturais como a seda do arroz Rice Exfoliator, para promover renovação epitelial e desincrustação de rolhas de queratina, proteína morta, e sebo presentes no orifício dos poros. Aplicar na pele molhada, após lavar com o sabonete, massagear com movimentos circulares e deixar ficar por dois a três minutos e enxaguar.Hidratação: Aplicar pela manhã hidratante em sérum, em veículo aquoso ou à base de ácido hialurônico Hyaxel, no rosto e pescoço, para promover hidratação e revitalização, evitando a produção de gordura como efeito rebote da pele desidratada. “Além disso, o ativo Miniporyl, que é o extrato de trevo vermelho, pode ser usado para reduzir o tamanho dos poros e diminuir a oleosidade”, afirma Mika.

 

3. Proteção

 

Utilizar fotoproteção associada pela manhã com FPS em texturas matificante, secas ou fluidas ou oil free com FPS sempre acima de 15.

 

4. Tratamentos noturnos

 

Tratamentos antes de dormir também são importantes. Usar, após a higienização com sabonete e esfoliante ou apenas o sabonete, produtos à base de Lanablue, que ajuda na renovação celular, além de outros medicamentos tópicos secativos prescritos pelo dermatologista.

 

 

 

3 alimentos que combatem a hipertensão

Os indivíduos que sofrem desta condição, também conhecida por hipertensão, estão mais suscetíveis a sofrerem de doenças cardíacas e de enfartos.

 

Daí ser tão importante manter a pressão arterial dentro dos níveis considerados saudáveis. E a melhor forma de fazer é através de pequenas alterações na dieta e no estilo de vida.



Ingerir muito sal é uma das principais causas da hipertensão, assim como o consumo de cafeína e de tabaco. Adicionalmente, a prática regular de exercício físico regular contribui beneficamente para aliviar os sintomas da pressão arterial.

 

Mais ainda, existem alguns alimentos que podem ser adicionados à dieta para combater a patologia.

 

1. Mirtilos

 

Estes pequenos alimentos estão repletos dos compostos denominados de antocianinas, que ajudam a baixar a pressão. Estudos sugerem ainda que os mirtilos combatem a diabetes, reduzem o risco de doenças cardíacas e de câncer.

 

2. Vegetais

 

Os vegetais contêm uma alta concentração de potássio, que por sua vez reduz os índices de pressão.

 

3. Peixe

 

O peixe é uma excelente fonte de proteína magra. Peixes gordos, tais como a cavala, sardinha ou salmão têm um alto teor de ômega-3 – ácidos graxos que reduzem a pressão arterial, os níveis de inflamação no organismo e baixam os triglicerídeos.

 

 

 

3 motivos para começar já a usar óleo de abacate na pele

Hidratar a pele com óleos é uma prática milenar que parece estar voltando à moda e os naturais são sempre a melhor opção.

 

Nessa onda, o abacate pode ser um excelente aliado. Rico em gorduras boas, o abacate também é apontado como uma excelente fruta promotora da saciedade, rica em antioxidantes, contribui para a saúde cerebral, reduz os danos nos rins e fígado entre muitos outros.



Todos estes benefícios são garantidos quando se come o abacate, mas há vantagens também para a pele. Um estudo realizado no México em 2017 mostrou que o óleo de abacate ajuda no combate aos radicais livres associados ao envelhecimento da pele. Além disso, são capazes de hidratar a pele profundamente. Apontamos três vantagens para a pele.

 

 

1. Facilidade de penetração na pele: é graças ao ácido graxo que a penetração na pele é facilitada. O óleo de abacate conta com mais de 60% do referido ácido do que o óleo de coco.

 

2. Pele mais brilhante… e de forma natural! No óleo de abacate existe clorofila, que ajuda no aspecto brilhante à pele, mesmo as mais sensíveis.

 

3. É local e natural: Se procura produtos de beleza naturais e que lhe ajudem a reduzir a sua pegada de dióxido de carbono no planeta, o óleo de abacate é uma boa opção. Além de serem muitos os produtos ecológicos existentes com este óleo, a produção da fruta é mais sustentável do que a produção de cocos.

 

 

 

Hashtag: |
Conheça os sintomas que anunciam o enfarto

As doenças cardiovasculares ainda são a maior causa de mortes no mundo e embora este número esteja diminuindo em decorrência dos novos tratamentos, os índices ainda são preocupantes.

 

No Brasil, esse tipo de doença é responsável por cerca de 30% dos óbitos, sendo o infarto o problema mais comum.



“Dentre os que sofrem mais risco de um infarto estão os homem com mais de 45 anos e as mulheres após entrarem na menopausa. Além disso, vale destacar que pessoas que têm histórico familiar de problemas cardiovasculares, bem como as que apresentam hipertensão, colesterol elevado, diabetes e obesidade, além das que fumam, bebem exageradamente, são muito estressadas e sedentárias têm maior predisposição a infartar”, alerta o cirurgião cardiovascular, Dr. Marcelo Sobral.

 

 

Segundo o especialista, contrariando o mito de que é impossível detectar o infarto a tempo de evitar um mal súbito, os sinais de um ataque cardíaco ou mesmo de um infarto agudo do miocárdio podem aparecer até 30 dias antes do evento cardíaco. E, na maioria dos casos, os pacientes apresentaram sintomas recorrentes durante as 24 horas anteriores ao ataque.

 

“O principal sintoma é a dor no peito, seguido de dispneia, uma alteração do ritmo respiratório que causa falta de ar, identificado principalmente entre as mulheres. É comum, até um mês antes de infartar, que a pessoa tenha náuseas, azia e queimações abdominais, fadiga excessiva, insônia, tontura e até desmaios. Além disso, nas 24 horas anteriores, os pacientes costumam ter palpitações, alteração na pressão, formigamentos nas extremidades, fraqueza e suor frio. Por isso, ao perceber a recorrência de alguns destes sintomas simultaneamente, é importante procurar um médico para evitar uma fatalidade”, conclui Sobral.

 

 

 

Hashtag: |
Descubra como queimar 600 calorias sem sair de casa

Um novo estudo realizado na Grã-Bretanha para os consumidores Good Housekeeping Institute aponta que duas horas de limpeza doméstica queimam em média cerca de 600 calorias.



Tarefas domésticas intensas, tais como limpar os vidros das janelas e esfregar as superfícies do banheiro podem unir o útil ao agradável: deixar a casa limpa e queimar as calorias extras.

 

A pesquisa concluiu que limpar os vidros é a tarefa mais difícil, e que em apenas 20 minutos é possível queimar 115 calorias.

 

 

Já esfregar o banheiro queima em média cerca de 100 calorias, enquanto que limpar o pó por 40 minutos equivale à perda de 200 calorias.

 

Ao limpar a casa pode queimar o dobro de calorias que queimaria numa corrida de cinco quilômetros. Se as limpezas não são o seu forte, então saiba que pode ainda gastar 600 calorias numa visita de 30 minutos à sauna.