Reserva do Iguaçu - Estações Ecológicas geram investimentos no município

O município de Reserva do Iguaçu possui hoje uma área de proteção ambiental de 1.862 hectares, sendo a maior área municipal contínua de proteção ambiental do país.

 

AQUISIÇÃO DA ÁREA

 

No último ano da administração anterior, 2016, foi enviado pelo executivo um protocolo de intenções para criação e aquisição da área de preservação ambiental ao legislativo da época. Como o legislativo considerou o valor muito alto, orçada em R$ 18 milhões, e devido a falhas encontradas nas questões técnicas do Protocolo de Intenções foi vetado pela Câmara.

 

EQUIPE TÉCNICA

 

Sabendo da importância para o município, o atual prefeito, Sebastião Campos,(MDB), junto com a secretária Suzana Andria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável compôs uma equipe técnica que foi formada pelo secretário de Administração e Desenvolvimento Econômico Carlos Alessandro Machado, secretário de Educação e Esportes, João Fernandes Nunes Félix,pela contadora da prefeitura Sibeli Almeida e pela presidente do Conselho de Meio Ambiente Marta Gorete da Silva, que fizeram novos estudos e um novo Protocolo de Intenções, conversaram com o proprietário da área e conseguiram fechar por R$ 11.994.423 pela mesma área,economizando para o município R$ 6 milhões.

Levando em conta o endividamento do município, esse compraria uma parte da área em 2017 e em 2018 o restante, e assim foi feito, hoje a área está escriturada. “Para que tudo acontecesse com transparência, o legislativo fez uma audiência pública, na qual a população aprovou a proposta da área ambiental, esclarecidas as dúvidas os vereadores aprovaram a lei que criava a área de preservação, mostrando o quanto se preocupam com o município”, destacou Suzana.

 

AS ESTAÇÕES

 

Dentro dessa área de preservação o município criou duas Estações Ecológicas, a Francisco Paschoeto e a Corredor das Águas e por cada uma delas recebe por ano de ICMS Ecológico em torno de R$ 800 mil, totalizando um milhão e seiscentos mil reais, que no Protocolo de Intenções já define como deve ser gasto: 40% vai para pagamento da área, 20% para manutenção e investimento na educação ambiental e meio ambiente,25% deve ser investido na educação e 15% na saúde.

 

O prefeito ressalta que a importância das estações vai muito além do fator econômico, “O ICMS ecológico faz hoje uma diferença significativa nas finanças do município, porém,ter uma área de preservação municipal significa respeitar e investir nas novas gerações”.

 

FAUNA E FLORA

 

Suzana explicou que para realizar o levantamento de fauna e flora da área de preservação eles fizeram convênios com a Unicentro, com a UFTPR Universidade Federal Tecnológica do Paraná, campus de Campo Morão, e também está na parceria a UNESPAR Universidade Estadual do Paraná de União da Vitória, já foi realizado um inventário que mostra quanto a fauna e flora são ricas.

 

O geógrafo Wellington Barbosa da Silva, professor da Unicentro que coordena o trabalho de pesquisa nas duas Estações Ecológicas, conta que foram feitos levantamentos do meio físico, de mastofauna, ou seja, de mamíferos, avifauna e mapeamento da unidade. “O que é importante destacar é que foram encontrados animais que estão em risco de extinção, ela é um refúgio para esses animais”.

 

O biólogo Sérgio Bazilio e sua equipe até o momento levantaram 23 espécies de mamíferos de médio e grande porte. Destes, 12 estão em algum status de ameaça em âmbito estadual, nacional ou internacional.

 

A bióloga Claudia Golec relata que em relação às aves já foram encontradas 151, que esse é um resultado preliminar,há presença de 14 espécies sob algum grau de ameaça de extinção.

 

O professor Marcelo G. Caxambu, que realiza o levantamento da flora, conta que já foram encontradas mais de 250 espécies,há muito mais, existem espécies como a araucária que a nível nacional é considerada uma planta vulnerável bem com as imbuias, também foram encontradas plantinhas de pequeno porte mas tão importantes quando as outras que estão em condição de raridades como uma orquidácea.

 

Wellington destaca a importância das Estações Ecológicas, “É preciso que as pessoas compreendam que é preciso preservar, que aquele mato tem um porquê de estar ali, que esses espaços de preservação garantem o equilíbrio e a saúde do município, além disso, é uma fonte de renda, pois ter no município uma área de preservação de mata leva ao recebimento do ICM ecológico, a nossa relação com a natureza tem que ser de sustentabilidade e racional”.

 

AÇÕES

 

Suzana explicou que além das pesquisas, eles, em parceria com a secretaria municipal de Educação,que tem à frente o professor Arnaldo estão organizando um projeto de Educação Ambiental, eque será trabalhado com todas as crianças do município, “Estamos iniciando pela escola de Santa Luzia pois lá estudam as crianças que moram no entorno da área de preservação”.

 

O técnico florestal, Emerson Adolfo Kuster, está iniciando os trabalhos com as famílias que moram no entorno das Estações, tanto no sentido de mostrar sua importância como de desenvolver atividades de geração de renda e sustentabilidade familiar.

 

Suzana apontou que foram instaladas câmeras nas estações tanto para observar os animais como para segurança, e que o trabalho nas Estações é realizado por muitas mãos.

 

“Estamos sempre contando com a parceria das demais secretarias e claro, dos funcionários da nossa secretaria e dos que estão lá nas estações trabalhando direto, tudo acontece graças a essa união de forças”. (Com Jornal Fatos)

 

 

 

 

 

 

Reserva do Iguaçu - Dia do Desafio acontece nesta quarta dia 29

Nesta quarta dia 29 de maio, ocorre mais uma edição da maior campanha mundial de incentivo à prática de atividades físico-esportivas, o Dia do Desafio. O objetivo é motivar a população para a prática de exercícios físicos, favorecendo a saúde física e mental.

 


De acordo com o diretor de Esportes, Bruno Rodrigo, nesta data, comunidades de diferentes cidades do Brasil e de toda a America lática, se reúnem para disputar amistosamente competições e desafios, que estimulam o corpo.As atividades começam por volta das 8h,a equipe do Departamento de esportes percorrerá a cidade durante todo o dia, passando por todas as escolas e alguns estabelecimentos comerciais.

 


A competição amigável entre cidades do mesmo porte tem o objetivo de mobilizar a maior porcentagem de participantes, tendo como base de cálculo o número oficial de habitantes do município. Esse anos disputamos com uma cidade da Venezuela. (Com Diário Reservense)

 

 

 

 

 

Reserva do Iguaçu - Departamento de Esportes divulga comunicado

O Diretor do Departamento de Esportes de Reserva do Iguaçu,Bruno Rodrigo, no uso das atribuições legais vem através deste veículo de comunicação comunicar a todos que a rodada de amanhã pela Taça Edson Damásio está cancelada.

 

Um oficio da Paróquia Nossa Senhora de Belém foi encaminhado ao Departamento de Esportes pedindo o cancelamento. O motivo para este pedido é que na noite deste sábado vai acontecer a noite da sopa no pavilhão paroquial.

 

O convite é para que todos os munícipes venham prestigiar e saborear sopas de vários sabores. Os jogos que seriam amanhã vão acontecer no dia 25/05/2019. (Com Diário Reservense)

 

 

 

 

Reserva do Iguaçu - Aluno tem habilidades valorizadas na Sala de Recursos do Colégio Izabel Fonseca Siqueira

A atividade desenvolvida na Sala de Recursos Multifuncional, do Colégio Estadual Profª Izabel F. Siqueira, sobre evolução da dança, valorizou as habilidades do aluno Luan Martins.

 

O principal objetivo da atividade, foi valorizar a potencialidade do aluno e, desenvolver a atenção, a criatividade e a comunicação através da arte, associado às habilidades que o aluno apresenta em produções artísticas ligada a dança/ritmo e desenhos.A realização deste trabalho envolveu leitura, produção textual, ilustração e reaproveitamento de materiais recicláveis (caixa de papelão e jornal). (Com Diário Reservense)

 

 

 

 

 

 

Reserva do Iguaçu - Primeira ligação da Rede de Esgoto da Sanepar foi na Escola Pedro Siqueira

Nesta quinta dia 09, aconteceu a primeira ligação da nova rede de esgoto executada pela Sanepar em Reserva do Iguaçu.

 

Essa ligação é simbólica, mas representa muito para a Escola Pedro Siqueira, a escola sofre com a destinação dos dejetos de cozinha e banheiros desde a construção do novo prédio em 2003, pois as fossas que foram construídas e modificadas não conseguiriam suprir a demanda.Com a ligação, este problema histórico foi resolvido e os alunos  não vão mais sofrer com o mau cheiro e nem com a preocupação diária deste problema.

 

 

 

 

 

 

Reserva do Iguaçu - Prefeito Sebastião Campos assina Decreto contra aumento da tarifa da Sanepar

Foi homologadono último dia 15, um reajuste de 12,13% na tarifa de água e esgoto, serviço concedido pela Companhia de Saneamento do Paraná - Sanepar.Inconformados com o aumento aplicado pela Sanepar e que atinge diretamente o bolso dos consumidores, vários Prefeitos do Estado tomaram medidas administrativas editando leis ou decretos, recusando-se a aceitar esse aumento considerável da tarifa de água e esgoto.


Em Reserva do Iguaçu, o Prefeito Sebastião Campos requisitou a Procuradoria Jurídica da Prefeitura Municipal estudos acerca do caso, antes de adotar qualquer medida.

 

Segundo o Prefeito “Após reunião com a Procuradoria Geral do Município discutimos e analisamos todas as implicações de uma possível recusa do Município quanto ao aumento da tarifa da Sanepar. Após as análises, a nossa Procuradoria nos assegurou quanto a oposição a esse reajuste. Assim, editamos um Decreto Municipal determinando a suspenção do aumento da tarifa de 12,13 no município."

 

Para o Prefeito, o reajuste da tarifa de água está muito acima da inflação, pois penaliza e sobrecarrega o consumidor,retirando das famílias reservenses dinheiro que poderia circular no próprio comércio local. “Em Reserva do Iguaçu isso representaria muito, diante das dificuldades do comércio municipal”, declarou Sebastião.

 

Acionada para falar sobre o assunto, a Procuradora do Município, Dra. Zuleica Roveda, declarou que “Não há dúvida de que o aumento pretendido pela Sanepar é consideravelmente elevado. Falo isso não apenas como servidora pública, mas também como consumidora. Repassar a população um reajuste acima da capacidade de pagamento das pessoas e acima dos índices inflacionários é sacrificar ainda mais o consumidor. Quanto aos Município se oporem ao reajuste, penso que está bastante claro que cabeao ente municipal homologar o valor da tarifa, pois este atua como poder concedente da exploração do serviço de fornecimento de água e saneamento e, por conseguinte, válida é a recusa a aplicação do reajuste."


Entenda o caso:


A Agência Reguladora de Serviços Públicos Delegados de Infraestrutura do Paraná (Agepar) homologou, no último dia 15, um reajuste de 12,13% na tarifa de água e esgoto, pedido pela Companhia de Saneamento do Paraná - Sanepar. Vem sendo bastante debatido no Estado inteiro que o valor está bem acima do Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) de maio de 2018 a abril de 2019, que foi de 4,3%.

 

A data na qual o reajuste entrará em vigor depende da homologação da Agepar. Segundo a assessoria da Sanepar, o reajuste pode ser aplicado 30 dias após a respectiva homologação. O aumento vale para 346 dos 399 municípios atendidos pela Sanepar. Cabe lembrar que no ano passado, o reajuste repassado ao consumidor foi bem menor, ficando em 5,12%.


Claudio Stabile, presidente da Sanepar, juntamente com o Diretor-Presidente da Agepar, João Bresolin Araújo, foram à Assembleia Legislativa do Paraná terça-feira (23), para explicar aos deputados como foi calculado o reajuste na tarifa.


O aumento que a Sanepar quer repassar aos consumidores, apesar de representar mais do que três vezes a inflação do período - que, medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), ficou em 3,75% -, era para que o reajuste fosse ainda maior. No requerimento encaminhado à Agepar, a Sanepar requisitou um aumento de aumento de 22,73%.


A situação está sendo discutida inclusive no âmbito judicial. Aguardamos por um desfecho justo do assunto, no qual o consumidor não seja ainda mais sacrificado com o aumento da tarifa. (Com Diário Reservense)