Reserva do Iguaçu - 1.027 famílias serão contempladas com o Programa Comida Boa

O projeto faz parte de um pacote de medidas sociais anunciadas pelo Governo do Paraná por causa da pandemia do novo coronavírus. O auxílio tem duração de três meses, com possibilidade de prorrogação, e é destinado a famílias em situação de vulnerabilidade social. Em Reserva do Iguaçu 1.027 famílias serão contempladas pelo programa, o Prefeito Sebastião Campos fez a entrega dos cartões à equipe da Secretaria de Assistência Social na manhã desta segunda dia 11.


Os beneficiados que possuem cadastro no CadÚnico, do Governo Federal, podem consultar a data de entrega e a situação cadastral no programa, pelo site http://www.cartaocomidaboa.pr.gov.br/form/beneficiarios.php ou ligando para o telefone 0800 200 4150.


Os beneficiários contemplados poderão adquirir o vale nos equipamentos da Assistência Social, CRAS, CREAS e Luz e Arte. Nestes locais também estarão disponíveis as listas com o nome das pessoas selecionadas.


A entrega será realizada nesta quarta, quinta e sexta-feira da seguinte forma:


• Os nomes com iniciais da letra A até o I serão entregues no CRAS;


• Os nomes com iniciais da letra J até o M serão entregues no CREAS;


• Os nomes com iniciais da letra N até o Z serão entregues no Luz e Arte.

 


Quem pode receber

 


• O programa limita a dois membros da mesma família o recebimento do vale e abre espaço para que a pessoa provedora de família monoparental, quando apenas um dos pais arca com as responsabilidades, possa requerer o recebimento de duas cotas do auxílio emergencial, independentemente do sexo, se cumprir os requisitos básicos do programa;


• É necessário ser maior de 18 anos;


• O beneficiário não pode ter emprego formal;


• Renda familiar mensal per capita não pode ser superior a meio salário mínimo ou deve ter renda familiar mensal total que não exceda três salários mínimos;


• Não pode ser titular de benefício previdenciário, seguro-desemprego ou programa de transferência de renda, ressalvados os beneficiários do programa Bolsa Família.


(Com Janaine Lima/Cras e Creas/Diário Reservense)

 

 

 

Reserva do Iguaçu - Secretaria de Saúde intensifica vacina da febre amarela

Devido aos recentes casos de bugios sendo encontrados mortos no interior do município de Reserva do Iguaçu, a secretaria de saúde juntamente com a vigilância sanitária está convocando a população que não se vacinou contra a febre amarela para que se dirijam até o Posto de Saúde Central para que regularizem tal situação.

 

A Febre Amarela é uma das doenças que podem ser transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti, assim como a Dengue, a Chikungunya e a Zika. Os macacos são vítimas da doença assim como os humanos, e o aparecimento de macacos mortos serve de alerta, pois significa que podem ter sido picados por mosquitos infectados e contraído a doença.

 

A Secretaria de Saúde do Estado do Paraná lembra que os macacos não transmitem o vírus, e são como os humanos, vítimas, e que indicam a circulação do vírus. A febre amarela é transmitida pelo mosquito contaminado com o vírus, que pica humanos e macacos. Ao encontrar um macaco morto, é recomendado que se comunique a Secretaria de Saúde do município para que seja iniciada a investigação.

 

Um carro da secretaria de saúde juntamente com a equipe vai passar no interior do município atendendo a população. Pessoas com mais de 65 anos podem recebem a vacina somente se estiver com um atestado medico. (Com Diário Reservense)

 

 

 

Reserva do Iguaçu - Decreto autoriza a realização de celebrações religiosas desde que cumpram recomendações

O Prefeito de Reserva do Iguaçu, Sebastião Campos, liberou os cultos e as missas com presença de público que estavam proibidas desde março por causa da pandemia do novo corona vírus. O anúncio foi feito em através de decreto publicado nesta sexta-feira. Ainda não há previsão para a volta das aulas e nem do transporte escolar no município.


As atividades religiosas em igrejas, templos e afins estão autorizadas a partir desta segunda-feira (27). O decreto municipal define as regras, que incluem distância de 2 metros entre os fiéis, ocupação limitada a 40% da capacidade, e a disponibilização de locais providos com água corrente, sabonete líquido, toalhas descartáveis e lixeiras com pedal, ou, álcool em gel antisséptico a 70%, a fim de que os participantes possam fazer a assepsia das mãos. Os frequentadores também terão que usar máscaras, crianças e pessoas do grupo de risco, como idosos, não poderão frequentar esses espaços.

 

O decreto destaca ainda que as entidades religiosas somente poderão retomar suas atividades mediante a assinatura do Termo de Responsabilidade e Compromisso, com o plano específico de contingência, seguindo as regras estabelecidas pela Vigilância Sanitária.

 

A publicação enfatiza também que as igrejas realizem agendas com horários que não conflitem entre saída e entrada dos fiéis no decorrer do dia, para evitar aglomeração de pessoas.

 

O líder da congregação religiosa será o responsável, para os fins civis, penais e administrativos, em caso de descumprimento do plano de contingência assinado. (Com Diário Reservense)