Reserva do Iguaçu - Primeira ligação da Rede de Esgoto da Sanepar foi na Escola Pedro Siqueira

Nesta quinta dia 09, aconteceu a primeira ligação da nova rede de esgoto executada pela Sanepar em Reserva do Iguaçu.

 

Essa ligação é simbólica, mas representa muito para a Escola Pedro Siqueira, a escola sofre com a destinação dos dejetos de cozinha e banheiros desde a construção do novo prédio em 2003, pois as fossas que foram construídas e modificadas não conseguiriam suprir a demanda.Com a ligação, este problema histórico foi resolvido e os alunos  não vão mais sofrer com o mau cheiro e nem com a preocupação diária deste problema.

 

 

 

 

 

 

Reserva do Iguaçu - Prefeito Sebastião Campos assina Decreto contra aumento da tarifa da Sanepar

Foi homologadono último dia 15, um reajuste de 12,13% na tarifa de água e esgoto, serviço concedido pela Companhia de Saneamento do Paraná - Sanepar.Inconformados com o aumento aplicado pela Sanepar e que atinge diretamente o bolso dos consumidores, vários Prefeitos do Estado tomaram medidas administrativas editando leis ou decretos, recusando-se a aceitar esse aumento considerável da tarifa de água e esgoto.


Em Reserva do Iguaçu, o Prefeito Sebastião Campos requisitou a Procuradoria Jurídica da Prefeitura Municipal estudos acerca do caso, antes de adotar qualquer medida.

 

Segundo o Prefeito “Após reunião com a Procuradoria Geral do Município discutimos e analisamos todas as implicações de uma possível recusa do Município quanto ao aumento da tarifa da Sanepar. Após as análises, a nossa Procuradoria nos assegurou quanto a oposição a esse reajuste. Assim, editamos um Decreto Municipal determinando a suspenção do aumento da tarifa de 12,13 no município."

 

Para o Prefeito, o reajuste da tarifa de água está muito acima da inflação, pois penaliza e sobrecarrega o consumidor,retirando das famílias reservenses dinheiro que poderia circular no próprio comércio local. “Em Reserva do Iguaçu isso representaria muito, diante das dificuldades do comércio municipal”, declarou Sebastião.

 

Acionada para falar sobre o assunto, a Procuradora do Município, Dra. Zuleica Roveda, declarou que “Não há dúvida de que o aumento pretendido pela Sanepar é consideravelmente elevado. Falo isso não apenas como servidora pública, mas também como consumidora. Repassar a população um reajuste acima da capacidade de pagamento das pessoas e acima dos índices inflacionários é sacrificar ainda mais o consumidor. Quanto aos Município se oporem ao reajuste, penso que está bastante claro que cabeao ente municipal homologar o valor da tarifa, pois este atua como poder concedente da exploração do serviço de fornecimento de água e saneamento e, por conseguinte, válida é a recusa a aplicação do reajuste."


Entenda o caso:


A Agência Reguladora de Serviços Públicos Delegados de Infraestrutura do Paraná (Agepar) homologou, no último dia 15, um reajuste de 12,13% na tarifa de água e esgoto, pedido pela Companhia de Saneamento do Paraná - Sanepar. Vem sendo bastante debatido no Estado inteiro que o valor está bem acima do Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) de maio de 2018 a abril de 2019, que foi de 4,3%.

 

A data na qual o reajuste entrará em vigor depende da homologação da Agepar. Segundo a assessoria da Sanepar, o reajuste pode ser aplicado 30 dias após a respectiva homologação. O aumento vale para 346 dos 399 municípios atendidos pela Sanepar. Cabe lembrar que no ano passado, o reajuste repassado ao consumidor foi bem menor, ficando em 5,12%.


Claudio Stabile, presidente da Sanepar, juntamente com o Diretor-Presidente da Agepar, João Bresolin Araújo, foram à Assembleia Legislativa do Paraná terça-feira (23), para explicar aos deputados como foi calculado o reajuste na tarifa.


O aumento que a Sanepar quer repassar aos consumidores, apesar de representar mais do que três vezes a inflação do período - que, medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), ficou em 3,75% -, era para que o reajuste fosse ainda maior. No requerimento encaminhado à Agepar, a Sanepar requisitou um aumento de aumento de 22,73%.


A situação está sendo discutida inclusive no âmbito judicial. Aguardamos por um desfecho justo do assunto, no qual o consumidor não seja ainda mais sacrificado com o aumento da tarifa. (Com Diário Reservense)

 

 

 

 

 

Reserva do Iguaçu - Documento obtido no Incra isenta o município de devolver quase R$ 750 mil de convênio

O município de Reserva do Iguaçu não vai mais precisar devolver quase R$ 750 mil à Funasa (Fundação Nacional de Saúde) por conta da falta de documentações referentes a um convênio de um poço artesiano, na comunidade de São Sebastião.

 

O documento que faltava para a regularização do convênio era o CCIR (Certificado de Cadastro do Imóvel Rural) e foi obtido no Incra (Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária) nesta quinta dia 25.

 

“O município possui diversos convênios junto à Funasa, na área de saneamento básico. Por questões de ausência de prestação de contas da gestão antecedente, o município foi instado a devolver integralmente o valor dos recursos recebidos no convênio, mesmo as obras tendo sido realizadas e estando em plena utilização pela população, como poços artesianos nas comunidades do interior de Nossa Senhora de Fátima e São Sebastião, construção de banheiros em pequenas propriedades rurais e esgotamento sanitário na sede”, explicou o secretário municipal de Administração e Desenvolvimento Econômico, Alessandro Machado.

 

Numa ação conjunta, que contou com o apoio do deputado Artagão Júnior, o CCIR foi emitido e vai evitar a devolução de R$ 733.412,08. “São recursos que o município não dispõe. Se tivesse que devolver, poderia gerar um colapso imensurável nas contas públicas”, ressaltou o prefeito.

 

Conforme o prefeito, desde 2017 Reserva do Iguaçu vem realizando todas as correções determinadas pela Funasa, a fim de evitar a devolução de mais de R$ 3,2 milhões.

 

Com o CCIR , o município agora consegue novo prazo para apresentação da nova matrícula da área e posterior averbação em cartório. Consequentemente, conseguirá atender às determinações da Funasa, e, principalmente, evitar a devolução dos recursos.

 

“A falta desta prestação de contas, inclusive, impediu o município de acessar novos recursos junto à Funasa, o que trouxe um grande prejuízo para toda a população”, explicou o prefeito.

 

 

 

 

 

Reserva do Iguaçu - Secretaria de Obras e Assistência Social já está auxiliando as famílias que tiveram as casas destelhadas

A equipe da defesa civil municipal, secretaria de obras e assistência social já está auxiliando as famílias reservenses que tiveram suas casas destelhadas pelo forte vendaval ocorrido no inicio da noite deste sábado.

 

Várias pessoas estão abrigadas no Peti. Doações de lona, cobertores, colchões e telhas também podem ser deixadas na instituição.

 

Os moradores que estão sem lona podem solicitar com a equipe da defesa civil através dos seguintes telefones.

 

Cleverson Mendes - 42 984158260
Fernandão - 42 984092594

 

 

 

Reserva do Iguaçu - Citroen Aircross já está na Escola Nova Esperança

Na tarde desta quarta dia 10, o Prefeito Sebastião Campos realizou a entrega de um veículo 0 km para APAE de Reserva do Iguaçu, uma conquista através de emenda parlamentar do deputado Hermes Frangão Parcianello.

 

A tarde foi marcada por muitas emoções, conquistas e muito exemplo de superação ao ver os nossos queridos alunos apresentarem a dança folclórica que os deixou em 1° lugar no festival em Guarapuava, se classificando e representando nosso município em Cascavel.

 

Este instrumento de trabalho é de muita importância para APAE, que vem a tempos sofrendo por falta de veículos para melhor atender os alunos. Parabéns a toda equipe de Administração. (Com Diário Reservense)