Laranjeiras do Sul

Laranjeiras - Município participa das ações de Combate ao Feminicídio

Laranjeiras - Município participa das ações de Combate ao Feminicídio

Em 27 municípios paranaenses esta segunda dia 22, foi dedicada a ações de combate ao feminicídio. A data, implantada no calendário do Estado através da Lei 19.873/2019, é de autoria da deputada estadual Cristina Silvestri. Laranjeiras do Sul é um dos municípios que integram a mobilização estadual.

 

Em Laranjeiras do Sul, as atividades foram organizadas pela Secretaria Municipal de Assistência Social e Segurança da Família, Centro de Referência Especializado de Assistência Social (CREAS) e Conselho Municipal dos Direitos da Mulher. As atividades envolvem a divulgação de serviços de auxílio para mulheres vítimas de violência, panfletagem com materiais de conscientização e rodas de debate.

 

FEMINICIDIO

 

No Paraná, indicadores mostram um aumento no número de feminicídios nos últimos anos. De acordo com balanço da Secretaria de Segurança Pública e da Administração Penitenciária do Estado (SESP-PR) em 2017, foram registrados 41 feminicídios. Já em 2018, ocorreram 61 casos.

 

Um outro levantamento mostra que foram instaurados pelo Ministério Público Estadual (MP-PR), de 2015 até março deste ano, 693 inquéritos policiais. Todos foram instaurados para investigar feminicídios. Destes, foram oferecidas 592 denúncias criminais ligadas a esse tipo de crime. Os dados são do Sistema Pro-MR, do MP-PR, levantados pelo Núcleo de Promoção de Igualdade de Gênero. Só em Curitiba, no mesmo período, foram 73 inquéritos abertos e 56 denúncias apresentadas.

 

CINCO TIPOS DE VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER


FÍSICA: Agressão física que pode ou não deixar marcas, como empurrões, chutes, tapas, socos, puxão de cabelos, arremesso de objetos com a intenção de machucar, sacudir ou segurar com força, cortar, queimar.

 

SEXUAL: Quando a vítima é obrigada a presenciar, manter ou participar de relação sexual ou contato físico não desejado, por meio de intimidação, ameaça ou uso da força. Também acontece quando ela é forçada ao matrimônio, à gravidez, ao aborto, à prostituição, a participar de pornografia ou é impedida de usar qualquer método para evitar a gravidez.

 

PSICOLÓGICA: Ação que causa dano emocional, diminuição da autoestima ou que impeça o direito de fazer as próprias escolhas. Atitudes como ameaçar, humilhar, perseguir, chantagear, constranger, controlar o que a mulher faz, não deixá-la sair, isolar sua família e amigos, procurar mensagens no celular ou e-mail.

 

PATRIMONIAL: Quando há retenção, furto, destruição de bens materiais ou objetos pessoais da vítima, como instrumentos de trabalho, documentos e roupas, controlar ou tirar dinheiro contra a sua vontade.

 

MORAL: Depreciar a imagem e a honra da vítima por meio de calúnia, difamação e injúria, como espalhar boatos e falsas acusações. Essa violência também pode ocorrer pela internet. Um exemplo é vazar fotos íntimas nas redes sociais como forma de vingança.