Paraná

Operação investiga quadrilha suspeita de exigir dinheiro por telefone para devolver carros roubados

Operação investiga quadrilha suspeita de exigir dinheiro por telefone para devolver carros roubados

A Polícia Civil, através da Delegacia de Furtos e Roubos de Curitiba, deflagrou, na manhã desta quinta-feira (14), a Operação Boi na Linha, que investiga uma quadrilha especializada em extorsão via telefone. De acordo com a polícia, os investigados ligavam para a vítima, que teve seu veículo furtado ou roubado, e pediam uma quantia em dinheiro para devolvê-lo.

 

A segunda fase da ação deve cumprir oito mandados de busca e apreensão e oito de prisão temporária. Até as 9h30, seis mandados de prisão temporária foram cumpridos.

 

Segundo a Polícia Civil, as prisões são realizadas em Curitiba, Rolândia, Londrina, Alvorada e Jaguapitã.

 

Os presos serão conduzidos e apresentados na Delegacia de Furtos e Roubos de Veículos em Curitiba ainda nesta quinta-feira. Os suspeitos serão interrogados na capital paranaense.

 

Conforme o delegado Eric Tutia Guedes, os suspeitos se associavam criminosamente para extorquir vítimas que tiveram os veículos furtados ou roubados. Nesta segunda fase da operação, os alvos são pessoas que emprestavam contas bancárias que eram repassadas para as vítimas depositarem os valores exigidos pela quadrilha.

 

Informações privilegiadas

 

As investigações duraram quatro meses. Segundo a Polícia Civil, os criminosos não estavam com os veículos roubados ou furtados, no entanto utilizavam redes sociais e outras informações privilegiadas para entrar em contato com as vítimas.

 

De acordo com o investigador Luiz Schimidt, o responsável pelo golpe, que é de Rolândia e está preso por tráfico de drogas, via mensagens postadas em redes sociais pedindo informações para tentar encontrar os carros que acabaram de ser roubados, e então ligava para as vítimas.

 

Da prisão e sem o veículo da vítima, o autor do golpe exigia o dinheiro e ameaçava que, caso o valor não fosse depositado, o carro seria danificado. Conforme a Polícia Civil, o valor do golpe variava entre R$ 500 e R$ 5 mil.

 

"Dez vítimas procuraram a Delegacia de Furtos e Roubos de Curitiba, informando que depositaram o dinheiro exigido, mas não tiveram o carro de volta. Ao investigarmos o caso, chegamos a essas pessoas que estão sendo presas hoje", explicou o investigador.

 

A Polícia Civil orienta que a pessoa que receber esse tipo de ligação procure a polícia para denunciar o caso.

 

"Os criminosos se aproveitam do pânico para extorquir as vítimas. Para evitar ser vítima desse tipo de golpe, evite divulgar telefone em redes sociais. O veículo que é furtado ou roubado tem um destino, o ladrão não ficará de posse dele. Caso receba ligação como essa, de forma alguma deposite os valores exigidos, procure a delegacia denunciando essa prática", enfatizou o investigador.

 

 

 

 

 

Hashtag: