Paraná

Acidentes de trânsito voltam a crescer no Paraná neste começo de ano

Acidentes de trânsito voltam a crescer no Paraná neste começo de ano

O quinto mês do ano teve início e, com ele, também se iniciam as atividades do chamado “Maio Amarelo”, cujo intuito é reduzir o número de acidentes no trânsito e preservar a vida. No Paraná, contudo, há mais motivos para se preocupar do que para se celebrar neste momento. Segundo informações do Corpo de Bombeiros, o número de acidentes de trânsito voltou a subir no Estado e na Capital.

 

Desde o início do ano até ontem, segundo informações do Sistema Digital de Dados Operacionais do Corpo de Bombeiros (SYSBM-CCB), foram registrados 15.145 acidentes de trânsito em todo o Paraná, dos quais 2.870 em Curitiba. No mesmo período do ano passado, haviam sido 14.628 registros no estado (3,5% a menos que em 2019) e 2.748 na Capital (4,44% a menos do que neste ano).

 

Por outro lado, a boa notícia é que, apesar dos acidentes estarem ocorrendo com maior frequência, o número de mortes segue em tendência de queda. No Estado, foram 423 mortes neste ano ante 449 nos primeiros meses de 2018 (uma redução de 5,8%). Na Capital, foram 100 mortes neste ano e 118 no ano passado (queda de 15,3%).

 

Ainda assusta, porém, a frequência com que acidentes e mortes são registradas. No Paraná, foram 61.623 acidentes de janeiro de 2018 até o início de maio deste ano, com a média de uma ocorrência a cada 11 minutos. Curitiba responde por 19,12% do total. Já quanto aos óbitos, foram 1.811 mortes no trânsito paranaense no período analisado, o que dá a média de quase quatro mortes por dia (sendo que uma de cada quatro mortes, ou 25,8% do total, é registrada na Capital).

 

“Temos números de mortes (no trânsito) superiores a países que vivem em guerra. Precisamos tratar disso com responsabilidade de Estado”, disse ontem o vice-governador Darci Piana, no evento de lançamento do Maio Amarelo, cujo tema deste ano é “No trânsito, o sentido é a vida”, que busca apelar para o poder das crianças em influenciar o comportamento dos pais.

 

“A população precisa ter a consciência de que muito dinheiro que se gasta com acidentes de trânsito poderia ser usado de outras maneiras pela saúde”, afirmou o vice-governador. “Todos nós, motoristas, pedestres, ciclistas, precisamos fazer o nosso papel, pensar sempre na conscientização. É que ela venha com os nossos filhos e netos. Que o pai entenda quando o filho avisa que ele está correndo muito”, reforçou.

 

Ocorrências


Paraná
2019 15.145
2018 46.478 (14.628 até 02 de maio)
TOTAL 61.623

Curitiba
2019 2.870
2018 8.918 (2.748 até 02 de maio)
TOTAL 11.788

Mortos
Paraná
2019 423
2018 1.388 (449 até 02 de maio)
TOTAL 1.811

Curitiba
2019 100
2018 368 (118 até 02 de maio)
TOTAL 468

 

Palestras, blitzes educativas e fiscalização reforçada


No Paraná, a campanha do Maio Amarelo envolve o Comitê Trânsito Seguro, que reúne Detran-PR, Batalhão de Trânsito da Polícia Militar (BPTran), Polícia Rodoviária Estadual (BPRV), Políica Rodoviária Federal (PRF), secretarias municipais de trânsito e o Observatório Nacional de Segurança Viária.


No Estado, haverá palestras, blitzes educativas e fiscalização em todos os municípios. O cronograma prevê ainda atividades por áreas específicas – pedestres, ciclistas, motociclistas e motoristas. As ações se encerrarão com o 7º Fórum de Mobilidade Urbana, nos dias 30 e 31, no Parque Barigui, em Curitiba.


Amanhã uma tenda móvel com orientações teóricas com um instrutor e uma pista elaborada pela PRF e Setran será motanda no estacionamento da Havan na Linha Verde. O evento reúne lojistas e motoclubes no local. Na semana que vem um carro acidentado ficará exposto na Rua XV.

 

Maio Amarelo


O Maio Amarelo ocorre simultaneamente em 27 países e 423 cidades diferentes. O mês de conscientização foi lançado em 2014 a partir da “Década de Ações para segurança no Trânsito”, ação da Organização das Nações Unidas (ONU) sobre mortes no trânsito em todo o mundo. Em sua sexta edição, a campanha traz o tema “No trânsito é o sentido é a vida”, propondo o envolvimento direto da sociedae nas ações e uma reflexão sobre uma nova forma de encarar a mobilidade. (Com Bem Paraná)

 

 

 

 

Hashtag: