Laranjeiras do Sul

Laranjeiras - Laranjeirense dá volta ao mundo em 3 meses e conta sua experiência

Laranjeiras - Laranjeirense dá volta ao mundo em 3 meses e conta sua experiência

Você já pensou em trabalhar e conhecer vários países? O Laranjeirense Fernando Kanarski acabou de dar sua volta ao mundo.

 

O nômade digital depois de conhecer inúmeros países, retornou ao Brasil, em entrevista exclusiva a Educadora FM, ele relatou que ser um nômade digital requer muita dedicação, segundo ele o nomadismo digital tem ganho vários adeptos e de diferentes áreas profissionais, desde designers, programadores, marketeers, jornalistas, fotógrafos, coaches, entre outros, o que prova que qualquer profissão pode hoje ser facilmente adaptada ao mundo digital.

 

Os adeptos desta tendência garantem que, ao trabalharem remotamente e sendo localmente independentes, ganham mais autonomia, inspiração e criatividade, permanência sob diferentes legislações com às vezes a devida obtenção de visto de trabalho e a manutenção de relacionamentos com família e amigos a distância.

 

De acordo com Kanarski, a vida de um nômade digital também possui extrema flexibilidade, pois seu trabalho pode ser levado consigo em qualquer lugar desde que tenha internet e apesar dessa realidade ainda parecer ainda distante de muitas pessoas, o laranjeirense já rodou mais de 825.000 quilômetros em 48 países, como Nova Zelândia, Filipinas, Estados Unidos, Canadá, França, Arábia Saudita entre outros.

 

Fernando detalhou a sua experiência, como se planejou, além é claro dos pontos altos e perrengues durante essa volta ao mundo, para ele essa foi uma das mais difíceis viagens, tendo em vista o surto do coronavírus na Ásia, além do inverno rigoroso no Canadá, a guerra fiscal entre os Estados Unidos e Irã, a erupção de um vulcão na Europa, além de cartão clonado entre outras situações.

 

Após a volta ao mundo, Fernando continuará no Brasil por alguns meses, ele já tem programado viagens futuras para a África, ele está em isolamento em um apartamento em Curitiba, onde permanece trabalhando em quarentena. (Com e103)