Laranjeiras do Sul

Laranjeiras - Casos de violência doméstica se multiplicam na cidade e região e chamam a atenção do Ministério Público

Laranjeiras - Casos de violência doméstica se multiplicam na cidade e região e chamam a atenção do Ministério Público

O número de vítimas de feminicídio bem como a violência domestica em Laranjeiras do Sul teve um aumento significativo, em relação ao ano de 2018, segundo o promotor Felipe Lira os casos atendido por ele passam de 60% em relação mesmo período do anterior, para o Ministério Público do Paraná, na comarca de Laranjeiras do Sul, que abrange mais cidades isso é extremamente preocupante, os processos de violências domesticas que tramitam pelo fórum passam dos 510 casos.

 

Uma das vítimas de violência domestica foi Roseli Cecatto, aos 43 anos, sofreu uma tentativa de feminicídio, Roseli comenta que de um jeito covarde, no dia 10 de abril de 2018 seu ex-companheiro entrou na sua casa, e com golpes de facas, além de rasgar a boca da mesma com a mão Claudinei tentou contra a sua vida.

 

Em 2009 um caso de feminicídio chocou também a cidade de Laranjeiras do Sul Adriana da Luz da Cruz (DRICA) era casada a 12 anos com irmão do ex-prefeito da cidade de Cantagalo, e foi morta dias antes de audiência de separação.

 

O corpo da vitima ficou desaparecido por mais de um ano. Quando o preso Luiz Carlos Fernandes 30 anos, confessou o crime e levou os policiais até o local, o corpo estava enterrado em uma mata na área rural do município.

 

Um fato que também chocou a nível nacional foi o da advogada guarapuavana Tatiane SPITNER que foi encontrada morta no dia 22 de julho de 2018, no apartamento onde morava com o marido. (Com e103)

 

 

 

 

 

 

 

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência e personalizar publicidade. Ao navegar em nosso site você concorda com nossa Política de Privacidade.