Guaraniaçu

Guaraniaçu - Em Curitiba, Prefeito participa do Lançamento do Programa Revitis-PR

Guaraniaçu - Em Curitiba, Prefeito participa do Lançamento do Programa Revitis-PR

O Prefeito Osmário Portela, esteve na Capital do Estado nesta terça dia 26, e no período da manhã, participou da assinatura de um Convênio para a liberação de Recursos do Plano Paraná Mais Cidades, na ordem de R$ 134.800,00, recursos estes, mediados pelo Deputado Estadual Elio Rusch (DEM), destinados para aquisição de equipamentos agrícolas atendendo solicitação do grupo político local do DEM representado pelo ex-prefeito Luis Moraes de Jesus.

 

Já no período da tarde, o Prefeito acompanhou no Palácio do Iguaçu, o lançamento do Programa de Desenvolvimento e Revitalização da Viticultura Paranaense – Revitis-PR, destinado a estimular a produção de uvas no Paraná. Iniciativa inédita no Estado, o programa está apoiado em quatro eixos: incentivo para a produção, reorganização da comercialização, desenvolvimento do turismo e apoio à agroindústria.

 

O lançamento do Programa foi realizado pelo governador Carlos Massa Ratinho Junior e contou com a participação de várias autoridades.

 

O programa é uma parceria entre o Governo do Estado (por meio da Secretaria de Agricultura e do Abastecimento), suas autarquias, as universidades e a iniciativa privada, e prevê a autossuficiência da cadeia como resposta à falta de parreiras para atender a demanda da indústria local.

 

O Revitis vai integrar os atores da cadeia produtiva da uva, capacitar produtores e reestruturar a rede estadual da pesquisa para a viticultura, além da promover o turismo relacionado à cultura da uva e derivados. Haverá linhas de financiamento e acompanhamento técnico.

 

A viticultura e a vitivinicultura (produção para vinhos) têm potencial de aumentar o leque de alternativas para a geração de renda nas pequenas propriedades rurais, porque conseguem gerar mais oportunidades de emprego do que culturas extensivas.

 

No Paraná, falta uva para atender o aumento da demanda para a indústria instalada, cuja capacidade de processamento cresce todos os anos. Os produtores estaduais importam mais de 90% das uvas de mesa que utiliza para fazer sucos e vinhos coloniais e cerca de 84% das uvas para vinhos finos.

 

AÇÕES DO PROGRAMA - O Revitis será gerido em parceria pela Secretaria da Agricultura e Abastecimento, Emater, Instituto Agronômico do Paraná (Iapar), Associação de Vitivinicultores do Paraná (Vinopar), Senar (Serviço Nacional de Aprendizagem Rural), Universidade Federal do Paraná (UFPR), Assembleia Legislativa e secretarias da Fazenda, do Planejamento e Projetos Estruturantes e do Desenvolvimento Sustentável e do Turismo.

 

Ele prevê a criação de uma câmara técnica setorial de viticultura, que será responsável por deliberar sobre as políticas públicas de integração, agroindústria, turismo e relação com os produtores, e tem como um dos principais objetivos ampliar a participação de viticultores iniciantes no processo produtivo.

 

GENÉTICA E CRÉDITO - O programa prevê, ainda, um viveiro de mudas que será montado pelo Iapar para colocar material genético de procedência à disposição dos agricultores e linhas de crédito da Fomento Paraná e do Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE).

 

“O sistema paranaense de fomento vai lançar linhas para toda essa cadeia de uvas, seja para os agricultores, as cooperativas ou os comerciantes. Os juros serão subsidiados, logo, os valores serão mais baixos do que os bancos comerciais”, afirmou Heraldo Neves, diretor-presidente da Fomento Paraná.

 

SUCOS E VINHOS - A Associação de Vitivinicultores do Paraná (Vinopar) estima que a manipulação industrial tem potencial de crescimento de 57% para a fabricação de sucos e vinhos coloniais e de 342% para vinhos finos em cinco anos.

 

Segundo o Departamento de Economia Rural (Deral), da Secretaria da Agricultura e do Abastecimento, o cultivo de uva para fins comerciais está presente em 138 municípios paranaenses, com volume de produção de 65 mil toneladas da fruta, entre uva de mesa e uva rústica. Em 2018, o faturamento bruto dos produtores girou em torno de R$ 254 milhões. A fruticultura como um todo representa 2% do faturamento rural do Paraná (R$ 1,7 bilhão por ano).

 

PRESENÇAS – Estiveram presentes no lançamento do programa os secretários João Carlos Ortega, do Desenvolvimento Urbano e Obras Públicas, e Beto Preto, da Saúde; o presidente da Paraná Turismo, João Jacob Mehl; o diretor-presidente do Instituto de Terras, Cartografia e Geologia do Paraná (ITCG), Mozarte de Quadros; o diretor-presidente da Emater, Natalino Avance de Souza; o diretor-presidente da Adapar, Otamir Cesar Martins; os deputados estaduais Jonas Guimarães, Marcel Micheletto, Hussein Bakri (líder do Governo), Dr. Batista, Delegado Fernando, Evandro Araújo, Wilmar Reichembarch, Emerson Bacil, Luiz Claudio Romanelli, Luiz Fernando Guerra, Nelson Luersen e Cobra Repórter; a deputada federal Luiza Canziani; prefeitos, vereadores e produtores de diversas cidades do Paraná, além de representantes do G7 – que reúne entidades dos principais setores da economia do Estado.