Quedas do Iguaçu

Quedas - Comissão investiga gastos excessivos na Prefeitura

Quedas - Comissão investiga gastos excessivos na Prefeitura

Denúncia formalizada por eleitor de Quedas do Iguaçu contra a prefeita Marlene Fátima Manica Revers foi levada à Câmara de Vereadores e em votação a maioria dos parlamentares aprovou o documento e a instauração de uma Comissão Processante, que dará início à investigação dos fatos, em sessão na noite desta segunda dia 06.

 

A denúncia por infração político administrativa foi motivada diante de gastos excessivos pelo poder público, que se comprovados, podem levar ao fim o mandato da prefeita.

 

"A Denunciada é Prefeita Municipal desde a data de 01/01/2016 e vem desempenhando uma gestão bastante perdulária no município de Quedas do Iguaçu, tornando-se corriqueiros gastos excessivos, notadamente com a justificativa de reuniões do "Conselho Municipal de Assistência Social", com a aquisição de quantias extremamente elevadas, por exemplo, de bolos, tortas, salgadinhos, canapés, doces", cita a denúncia.

 

Conforme o documento, ao longo dos anos de 2017 e 2018 o montante destinado à essa finalidade supera R$ 270 mil. O denunciante relata ainda que em alguns meses, a prefeitura chegou a pagar por cerca de 300 quilos de bolo e que o Conselho é formado por somente cinco integrantes.

 

A Comissão Processante terá o prazo de cinco dias para a entrega de documento à prefeita denunciada. "A Comissão foi estabelecida em princípio com o Regimento Interno da Câmara de Vereadores e procederemos com a investigação. A prefeita após ser comunicada terá o prazo de dez dias para se manifestar", afirma o presidente da Câmara de Vereadores, Eleandro da Silva.

 

Nove vereadores votaram a favor da investigação e quatro, contra. (Com Catve)