Pinhão

Pinhão - Prefeitura dará reajuste de 4,31% para servidores públicos

Pinhão - Prefeitura dará reajuste de 4,31% para servidores públicos

O prefeito Odir Gotardo anunciou que a Prefeitura de Pinhão poderá conceder reajuste salarial de 4,31% aos servidores públicos municipais. A proposta foi aceita pelo sindicato e será encaminhada em projeto de lei para a Câmara Municipal até o dia 14 de fevereiro.

 

A reunião que definiu o valor do reajuste salarial para os servidores aconteceu na manhã desta quinta-feira, 06 de fevereiro de 2020, e contou a participação dos representantes do SIFUMPI – Sindicato dos Funcionários Públicos Municipais Pinhão, dos Secretários de Administração Adilson Santarem e de Finanças Saulo Mendes, do controlador interno Antonio Kirschibaner, do vice-prefeito Beraldo Amaral e do prefeito Odir Gotardo.

 

Inicialmente o Secretário de Administração Adilson Santarem apresentou as projeções financeiras do município e falou dos esforços da administração para adequar a estrutura administrativa ao patamar da receita que vem sendo reduzida nos últimos anos. “Essa receita está atrelada a fatores externos e não depende da intervenção do governo municipal”. Segundo Adilson, devido a projeções elaboradas com o departamento de pessoal, se o reajuste for concedido neste momento o município perderia a certidão liberatória e sofreria outras sanções. “Queremos muito, mas não temos condições de conceder o reajuste neste momento”.

 

Na sequencia o prefeito Odir Gotardo apresentou a proposta da administração, a qual foi debatida entre os presentes até chagar a um consenso. O valor acordado de 4,31%, que representa o índice de inflação calculada pelo IPCA – Índice de Preços ao Consumidor, será pago no mês de maio, porem retroativo a janeiro. A efetivação do pagamento dos avanços e progressões também deverá acontecer na mesma data com retroativo ao período aquisitivo. Caso haja projeções de melhora na arrecadação, as mesmas serão pagas na data aquisitiva.

 

O prefeito Odir Gotardo destacou que governo entende que os avanços, progressões e o reajuste são direitos adquiridos, porém, caso o município perca a certidão liberatória no primeiro quadrimestre, por ser ultimo ano do mandato, suspende-se os repasses imediatamente, prejudicando a população em geral, diferentemente dos outros exercícios onde havia prazos maiores. “Reconheço o valor do funcionalismo público, mas não podemos comprometer a sustentabilidade financeira do Município”.