Paraná

Paraná intensifica vacinação de idosos com mais de 60; veja distribuição por Regional

Paraná intensifica vacinação de idosos com mais de 60; veja distribuição por Regional

Mais 363.340 doses de vacinas contra o coronavírus foram distribuídas às 22 Regionais de Saúde do Paraná nesta sexta dia (16). A 13ª remessa recebida pelo Ministério da Saúde é composta por 138.090 doses da CoronaVac, produzida pelo Instituto Butantan/Sinovac, e 225.250 doses da Covishield, produzida pela Universidade de Oxford/AstraZeneca/Fiocruz.

 

As doses da Coronavac são subdivididas em três grupos de primeiras doses e dois de segundas doses. As primeiras doses são destinadas a pessoas de 60 a 64 anos (12.120 doses, equivalente a 1,86% dessa população), trabalhadores das forças de segurança e salvamento e Forças Armadas (2.510 doses, correspondente a 6% dos profissionais no Estado) e trabalhadores de saúde (8.910 doses, equivalente a 3% do grupo).

 

Já as doses de reforço devem completar a imunização de 6.320 trabalhadores da saúde e 108.230 pessoas de 65 a 69 anos. Parte das doses de Coronavac recebidas do Ministério da Saúde foram destinadas à reserva técnica e continuam armazenadas no Centro de Medicamentos do Paraná (Cemepar).

 

As doses da Covishield, por sua vez, são totalmente destinadas à primeira dose. São 222.215 doses para pessoas de 65 a 69 anos, o que deve cobrir cerca de 46% deste grupo no Estado. Também foram incluídas 3.035 doses para pessoas de 60 a 64 anos, 0,49% do total desta população.

 

As doses foram distribuídas por via terrestre para 11 regionais: Paranaguá, Metropolitana, Ponta Grossa, Irati, Guarapuava, União da Vitória, Pato Branco, Francisco Beltrão, Londrina, Telêmaco Borba e Ivaiporã. Por avião, foram enviadas para as demais regionais: Foz do Iguaçu, Cascavel, Campo Mourão, Umuarama, Cianorte, Paranavaí, Maringá, Apucarana, Cornélio Procópio, Jacarezinho e Toledo.

 

Beto Preto, secretário estadual de Saúde, destacou nesta sexta (16) a melhora nos indicadores da pandemia, mas reforçou que, além da vacinação, todo cuidado ainda é necessário. “Estamos vendo o resultado de 40 dias de restrições mais rígidas na diminuição de casos mais graves. É um pouco por conta da vacinação, um pouco pelas restrições dos decretos, um pouco pelos cuidados dos cidadãos, mas o vírus continua circulando. Segundo o balanço dos testes do IBMP [Instituto de Biologia Molecular do Paraná], continuamos com 30% de positividade em todos os testes realizados. Até 5%, a pandemia está controlada. Por isso, estamos em alerta todos os dias”, afirmou.

INFLUENZA – As Regionais também receberam imunizantes para o combate a outro vírus: o Influenza. São 292.800 doses da vacina da gripe, que funcionam com dose única, sem precisar de reforço. A primeira fase da vacinação, que vai até 10 de maio, inclui crianças de seis meses a cinco anos, trabalhadores de saúde, indígenas, gestantes e puérperas.

MEDICAMENTOS – Também foram enviadas 319 mil unidades de medicamentos referentes ao kit intubação, utilizados em pacientes com quadros graves de Covid-19.

 

VACINAÇÃO – Até esta sexta-feira (16), 1.358.411 paranaenses haviam recebido pelo menos a primeira dose dos imunizantes. O número corresponde a 29,31% da população inserida nos grupos prioritários da vacinação, e a 13% da população paranaense.

 

Das primeiras doses já distribuídas, 94,6% foram aplicadas. Das segundas doses, a taxa de aplicação está em 41,2% (411.697) – uma vez que requerem um intervalo de tempo entre as doses, sendo de 21 dias para a Coronavac e 12 semanas para a Covishield.

 

A expectativa da secretaria estadual da Saúde é de vacinar, até o fim de maio, todos os 4.635.123 paranaenses incluídos nos grupos prioritários.

CORUJÃO – A estratégia de vacinação contra a Covid-19 ganhou mais um incentivo nesta quinta-feira (15) com a estreia do Corujão da Vacinação: a extensão, até meia-noite, do horário de aplicação de doses pelos municípios. Doze municípios aderiram à campanha: Campina Grande do Sul, Colombo, Cornélio Procópio, Jacarezinho, Londrina, Maringá, Morretes, Paranaguá, Pinhais, Piraquara, Pontal do Paraná e Quatro Barras.

 

A ação se soma também à campanha de domingo a domingo, que estimula os municípios a aplicarem a vacina também aos finais de semana.

 

“Vacina no estoque não imuniza ninguém. Ela imuniza apenas se estiver aplicada no braço dos paranaenses”, afirmou Beto Preto. “Tanto o Corujão como a campanha de domingo a domingo são iniciativas que têm como premissa fazer chegar a informação de que precisamos vacinar. Os horários alternativos estimulam as pessoas a saírem de casa para isso. Hoje, muitos não estão comparecendo na data marcada para a segunda dose. Nós precisamos tomar a segunda dose no prazo correto para garantir a imunidade plena destas pessoas”. (Com AEN). 

Hashtag: