Paraná

Equipe do Huop apresenta trabalhos em Paris e Hong Kong

Equipe do Huop apresenta trabalhos em Paris e Hong Kong

O Hospital Universitário do Oeste do Paraná (HUOP) foi representado no maior congresso de terapia intensiva do mundo. O 31° Congresso Europeu Lives aconteceu em outubro e um dos médicos da UTI, Amaury Cezar Jorge, foi até Paris para apresentar três trabalhos desenvolvidos pela equipe multiprofissional da UTI adulto do HUOP.

 

A equipe multiprofissional da UTI é composta por Médicos, Fisioterapeutas, Enfermeiros, Psicólogos, Nutricionistas, Fonoaudióloga e Assistentes Sociais. O trabalho de maior destaque levado ao congresso foi referente ao Ambulatório do Hospital, que realiza um trabalho após a alta dos pacientes que ficaram internados na UTI.

 

Segundo Amaury Cezar Jorge, o projeto de resgatar o paciente três meses após terem recebido alta para avaliar o nível de melhora e se houve alguma sequela devido aos dias de internamento é feito com todos os pacientes que passam pela unidade. O Ambulatório do HUOP é o único no Brasil a prestar este serviço. Os trabalhos apresentados foram sobre as memórias que os pacientes têm em sua permanência na UTI. Os outros dois sobre delirium e a funcionalidade dos pacientes, realizado pela equipe de médica e de fisioterapia da UTI. O terceiro trabalho foi sobre a funcionalidade e a recuperação motora do paciente em sua internação na unidade.

 

O HUOP também teve trabalhos apresentados em Hong Kong, na China. Em abril, a médica Thais Tsing Chung levou para o congresso Euro Asiático dois trabalhos desenvolvidos pela equipe da UTI, que atendem também no Ambulatório do Hospital.

 

O Hospital Universitário foi o único do país a ter trabalhos aceitos no congresso Euro Asiático. O médico responsável pela UTI, doutor Péricles Almeida, falou sobre os projetos desenvolvidos: “esse modelo de atendimento pós-alta de UTI é único no Brasil, então precisa ser mostrado lá fora. Pela terceira vez, tivemos a oportunidade de expor nosso trabalho no Congresso Europeu e ter trabalhos no Congresso na China, é gratificante”.

 

Segundo ele, congressos como estes em que a equipe leva o nome do HUOP/Unioeste são de extrema importância, “É importante não apenas pra nós aprendermos coisas novas. Mas para ensinarmos, essa troca de experiencias enriquece os dois lados”, finaliza. 

 

Por Assessoria

 

 

 

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência e personalizar publicidade. Ao navegar em nosso site você concorda com nossa Política de Privacidade.