Paraná

Mesmo com dias chuvosos das últimas semanas, colheita do trigo avança no Paraná

Mesmo com dias chuvosos das últimas semanas, colheita do trigo avança no Paraná

Os dias predominantemente nublados e chuvosos das últimas semanas não impediram totalmente a colheita do trigo no Paraná.

O avanço foi consistente, com crescimento de 16 pontos porcentuais em relação ao que se verificava havia duas semanas. Esse é um dos assuntos abordados no Boletim de Conjuntura Agropecuária referente à semana de 15 a 21 de outubro. O documento é preparado pelos técnicos do Departamento de Economia Rural (Deral), da Secretaria de Estado da Agricultura e do Abastecimento.

O levantamento feito a campo mostra que já foram colhidos 74% da área total de trigo paranaense, estimada em 1,21 milhão de hectares. Com condições climáticas mais propícias para o trabalho desde quarta-feira (20), espera-se que o processo seja acelerado ainda mais, reduzindo o pequeno atraso que se verifica e possibilitando que se posicione mais próximo da média para este período do ano.

Em decorrência das condições climáticas nas localidades de colheita mais recente, o PH do cereal (nível de acidez) está mais baixo. No entanto, o produto mantém qualidade suficiente para uso na panificação. O que se observa no campo são alguns pontos de acamamento das lavouras e perda de peso nos grãos. Essa situação, aliada às quebras por seca, podem levar a novo rebaixamento na previsão de safra, a ser anunciada ainda em outubro. No mês passado, a projeção era de 3,5 milhões de toneladas.

SOJA E MILHO – Enquanto a colheita do trigo evoluiu nos últimos dias, no caso da soja as condições climáticas ajudaram no plantio da safra. O relatório aponta que foram plantados 2,1 milhões de hectares, ou seja, 38% da área total estimada em 5,6 milhões de hectares. As chuvas regulares contribuem também no bom desenvolvimento das plantas.

Da mesma forma, os produtores de milho impulsionaram os trabalhos e já estão com 371 mil hectares semeados. A previsão é de que a área total para este ciclo seja de 420 mil hectares. As condições gerais das lavouras são boas para 96% da área, enquanto os 4% restantes estão em situação mediana.

FEIJÃO, BATATA E MANDIOCA – O boletim relata, ainda, que as chuvas ajudaram nas atividades de plantio e manejo do feijão. O primeiro ciclo da safra 2021/22 está com 76% da área plantados. Os técnicos de campo do Deral detectaram que 78% encontram-se em fase de desenvolvimento vegetativo, 19% em germinação e 3% em floração, a

O Paraná está na entressafra da colheita da batata, com expectativa que o trabalho comece em novembro. A área é de 15 mil hectares e 93% estão em boas condições. Para a mandioca também há previsão de que os trabalhos de campo sejam retomados a partir desta semana e os produtores poderão dar continuidade à colheita e ao plantio.

SUÍNOS, AVES E LEITE – O documento preparado pelo Deral registra o crescimento em 7% na exportação de carne suína paranaense entre janeiro e setembro deste ano, comparado com o mesmo período do ano passado. Hong Kong é o principal comprador com 36% do total de 112,4 mil toneladas.

Sobre a avicultura, a análise discorre no custo de produção do frango. No Paraná, o aumento ficou em 1,7% em agosto, comparativamente ao mês anterior. O boletim analisa, ainda, com detalhes, os reajustes nos preços do milho e de farelo de soja, dois dos principais componentes da alimentação das aves.

Por fim, registra-se o pedido feito pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento para que os frigoríficos habilitados a exportar carne bovina para a China suspendam a produção destinada ao país asiático. Desde 4 de setembro, os chineses não compram mais essa proteína animal brasileira, em razão de focos da doença da vaca louca detectados em Minas Gerais e Mato Grosso.

 

 

 

Por - AEN

Hashtag: |