Paraná

Apreensões de cocaína atingem nível histórico no Litoral do Paraná

Apreensões de cocaína atingem nível histórico no Litoral do Paraná

A baía de Guaratuba foi palco neste fim de semana da maior apreensão de cocaína feita no Litoral do Paraná. Uma ação do Batalhão de Operações Especiais (Bope), da Polícia Militar do Paraná, interceptou 3,362 toneladas da droga em uma marina na cidade. Neste ano, houve pelo menos 10 apreensões grandes da droga, atingindo um nível histórico no Litoral. Somadas, as cargas confiscadas passam de 8,8 toneladas.

 

No sábado, a PM estimou que a carga de cocaína em Guaratuba poderia render até R$ 3 bilhões caso chegasse a ser comercializada no destino final. Assim, o total apreendido neste ano poderia chegar a R$ 8 bilhões. A apreensão foi feita a partir de uma denúncia. “Essa é a maior apreensão de cocaína na história do estado e da Polícia Militar do Paraná”, falou o major Durval Tavares Júnior, Subcomandante do Bope.

 

A grande maioria das apreensões deste ano ocorreu no Porto de Paranaguá e foi feita pela Receita Federal e pela Polícia Federal. Nesses casos, as cargas de cocaína estavam escondidas em meio a outros produtos, como carne congelada ou madeira, e foram encontradas pelos scanners da Receita Federal.

 

Nas apreensões no porto, a Receita Federal estima que em 95% dos casos a técnica usada pelos traficantes em portos seja a chamada “rip-on/rip-off”. Sem conhecimento do proprietário do contêiner, a carga é desviada para a “contaminação”, quando o lacre é rompido ou a estrutura do contêiner é alterada para a inserção da droga. Outras pessoas são cooptadas para participar do esquema como motoristas ou estivadores.

 

Houve também o caso de uma apreensão na BR-277, em Paranaguá, nas imediações da Unidade Operacional Alexandra. A cocaína estava em um compartimento oculto, sob o assoalho do caminhão, utilizado para o transporte de piche. A apreensão foi feita pela Polícia Rodoviária Federal (PRF).

 

No caso da de Guaratuba, o modo de operação dos traficantes foi diferente. Eles usavam barcos e levavam a droga diretamente para os navios, já no mar, para escapar da fiscalização em Paranaguá. “As equipes perceberam que, na maioria das vezes, durante a noite, pessoas saíam da Baía de Guaratuba em direção ao alto mar e depois de um tempo retornavam para o local, porém sem material de pesca ou pescados, nem na ida e nem na volta, o que chamou a atenção”, disse Tavares. “A droga seria mandada em navios cargueiros, e eles utilizavam os barcos infláveis (que foram apreendidos) para fazer o transporte até alto mar e colocar os entorpecentes nos navios”

 

Além da cocaína, foram apreendidos dois barcos infláveis, uma Ford Ranger, um GM Prisma, R$ 15 mil em notas de R$ 100,00, dois binóculos para visão noturna e cinco celulares. A droga foi levada à sede da Polícia Federal em Curitiba. (Com Bem Paraná)

 

 

 

 

Hashtag: