Fique por Dentro

Pulgas: como erradicar o problema e assegurar a boa saúde do seu cão

Pulgas: como erradicar o problema e assegurar a boa saúde do seu cão

Além de tratar o pet, muitas vezes, também é preciso descontaminar o ambiente.

 

Começa com uma coceirinha persistente. Quando o tutor percebe, o pet está toda hora manifestando o incômodo e, ao afastar os pelos dele, elas estão lá, fazendo a festa: as pulgas.

 

Esses pequenos insetos podem comprometer a saúde do cachorro, causando dermatites, infecções, inflamações e outros males e, por isso, precisam ser combatidos.

 

Há diversas opções no mercado para o tratamento e o combate às pulgas, mas poucos tutores sabem que também é preciso cuidar do local em que o pet fica para dar fim à infestação.


Escondidinhas


As pulgas são bem pequenas e muito ágeis. Uma vez dentro de casa, elas conseguem se esconder nos mais variados lugares e acaba sendo difícil localizá-las antes de uma picada ou de uma grande infestação.

 

Carpetes, tapetes, almofadas, cantinhos de sofá, o espaço entre o colchão e o pillow top... todos são ambientes propícios para a proliferação das pulgas.

 

Para quem mora em casa, o quintal também precisa ser checado. O acúmulo de produtos, vasos de plantas e folhas caídas, por exemplo, forma esconderijos para esses pequenos animais e facilita seu contato com o cachorro.


Limpeza pesada


Manter o ambiente limpo e organizado é uma das formas de evitar que as pulgas tomem conta do local.

 

Dentro de casa, o aspirador de pó é o grande parceiro para remover sujeiras e até os insetos que estão mais escondidinhos. O ideal é passar o aparelho ao menos uma vez por semana, incluindo a caminha do pet.


Veneno


O médico-veterinário de confiança pode indicar o produto mais adequado para ser usado em ambientes internos e externos. Jamais adquira um veneno sem a correta orientação profissional, sob o risco de colocar a vida do pet e de toda a família em perigo.

 

Os produtos para áreas interna e externa são diferentes e deve-se seguir as orientações do fabricante para fazer a aplicação. Alguns demandam até que o pet não esteja no local.

 

Há ainda repelentes — alguns até naturais — que também podem ser usados, mas não têm grande eficácia em caso de uma infestação, já que esses produtos são feitos especialmente para prevenção.

 

O cantinho do pet


Esse é um local muito importante para o controle e combate às pulgas. Se o bichinho fica em um canil ou uma casinha, saiba que o espaço deve ser higienizado diariamente — de preferência com o uso de desinfetante.

 

Para aqueles que vivem dentro de casa, a caminha ou cobertorzinho também precisam ser higienizados com frequência para eliminar possíveis ovos de pulgas presos nas fibras dos tecidos.

 

Meu cachorro está com pulga, e agora?

 


Primeiro saiba que não é o fim do mundo. Cães que passeiam na rua ou que têm contato com quem vem da rua podem pegar pulgas, carrapatos e parasitas, e os médicos-veterinários estão acostumados com esses diagnósticos. Não significa que você descuidou da higiene ou do cuidado com seu amigo.

 

Assim como não devemos nos automedicar, sob o risco de sofrermos efeitos colaterais, o mesmo vale para o animal de estimação. Mesmo que o shampoo antipulgas tenha realizado um ótimo efeito no pet da vizinha, não necessariamente é o mais indicado para o seu cãozinho.

 

Uma consulta com o médico-veterinário vai ajudar a avaliar o tamanho da infestação e qual a melhor abordagem a ser seguida. Alguns pets têm seu problema resolvido com talcos e shampoos, outros demandam o uso de medicamentos tópicos, e há infestações tão grandes que podem requerer até medicação oral.

 

 

 

Hashtag: