Brasil e Mundo

Saiba o que é a meningite meningocócica, doença que matou o neto do ex-presidente Lula

Saiba o que é a meningite meningocócica, doença que matou o neto do ex-presidente Lula

Arthur Araújo Lula da Silva, de 7 anos, neto do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, morreu no começou da tarde desta sexta dia 1º, vítima de uma meningite meningocócica. De acordo com o Hospital Bartira, do grupo D’Or São Luiz, a criança foi diagnosticada com a doença e não resistiu, devido ao agravamento do quadro infeccioso.

 

De acordo com especialistas, a meningite é uma infecção que se instala principalmente quando uma bactéria ou vírus ataca as meninges, que são três membranas que envolvem e protegem o encéfalo, a medula espinhal e outras partes do sistema nervoso central.

 

Para tentar entender melhor a doença, a Banda B conversou com o infectologista do Laboratório Frischmann Aisengart, Alberto Chebabo. Confira as principais dúvidas sobre a doença:

 

O que é a meningite? Quais os principais tipos?

 

A meningite é uma infecção, com inflamação, do sistema nervoso central. A meninge é a membrana que envolve o cérebro e quando se tem uma infecção nela, você tem um quadro grave de inflamação, febre, dor de cabeça, a criança pode vomitar em alguns casos mais graves. A doença é causada por vários tipos de agentes infecciosos, que vão desde viral até bacterianos e, dentro dos bacterianos temos o meningococo.

 

Como é a forma de contágio da meningite? Ela pode atingir pessoas de qualquer idade?

 

No caso da meningite meningocócica, que é essa bactéria que a gente chama de bactéria contagiosa, existe uma transmissão de uma pessoa para outra. Normalmente, essa transmissão é por via aérea e a pessoa que está como portadora, transmite para outra pessoa. As crianças, quanto mais novinhas, tem maiores riscos de infecção e casos graves, mas qualquer pessoa pode ter uma meningite meningocócica.

 

Há algum outro tipo de prevenção além da vacina?

 

Quanto há um caso confirmado de meningite meningocócica, é feito uma profilaxia com antibióticos nos contactantes próximos, que são aquelas pessoas que convivem com quem ficou doente: pais, irmãos, colegas de trabalho ou de sala. Então é feita a profilaxia nas primeiras 48 horas, com antibiótico específico, para reduzir a chance dessas pessoas estarem colonizadas ou terem sido infectadas pelo meningococo.

 

Quais os principais sintomas da meningite meningocócica?

 

Além da dor de cabeça, febre, dor de cabeça e vômito, a meningite meningocócica também apresenta manchas vermelhas ou arroxeadas na pele. Nesse caso, a evolução é bastante rápida. Assim que as manchas aparecem, evoluem ao corpo inteiro. É uma doença que normalmente evolui de forma muito drástica e com alta chance de óbito nas primeiras 24, 48 horas.

 

Quais os tipos de vacina disponíveis e quem deve se vacinar?

 

Na meningite meningocócica, a gente tem basicamente três tipos de vacina. Isso porque o meningococo tem vários sorotipos, geralmente classificados por letras. Na rede pública, temos a vacina contra o tipo C, que é responsável por cerca de 70% dos casos de meningite no Brasil. Essa vacina está disponível para crianças até um ano de idade. Já na rede privada temos vacinas combinadas, como a ACWY, com quatro sorotipos diferentes, ou a meningocócica B, que protege contra o tipo B. Elas são recomendadas na infância, mas qualquer pessoa que não tenha sido vacinada, pode ser, sendo ela mais recomendada para crianças e adolescentes.

 

Qual a importância da vacina?

 

É uma vacina que trata de uma doença muito grave. A meningite meningocócica tem a característica de ser uma doença de evolução muito rápida e grave, com risco de óbito elevado. Então, é uma vacina com muito poucos eventos adversos, sendo eles basicamente locais: dor no local de aplicação, febre. Mas é uma vacina que deve ser feita e recomendamos para todas as pessoas.

 

É importante tomar quantas doses?

 

Depende da faixa etária que se inicia o tratamento. No primeiro ano de vida, a depender da vacina, pode ser necessário até três a quatro doses. Nos adultos ou crianças mais velhas, a ACWY, uma dose é suficiente. Já para o tipo B, duas doses. (Com Banda B)

 

 

Hashtag: