Últimas notícias de Palmital

Palmital - No município, detentos já conquistaram 126 dias de remição na pena


Publicado por: - 19/05/2016

Uma iniciativa que permite a detentos obter diminuição da pena a partir da participação em atividades de educação, trabalho e cultura começa a apresentar resultados no município de Palmital, no Centro-Sul do Estado.

 

O Projeto Execução Penal Provisória com Dignidade, também chamado de Renascer, conta atualmente com 25 detentos participantes, que, com as atividades desenvolvidas, já conquistaram, juntos, a remição de 126 dias de pena.

 

Implantado em março deste ano como fruto de parceria da Promotoria de Justiça na Comarca com o Juízo da Execução Penal e o Conselho da Comunidade de Palmital, o projeto tem como objetivo oferecer aos detentos da cadeia pública a possibilidade de reeducação, com alfabetização, leitura de obras literárias e execução de trabalhos manuais. Para tanto, com recursos do Conselho da Comunidade, foi contratada uma professora que realiza a orientação da execução dos trabalhos de artesanato, leitura e elaboração de resenhas de livros e auxílio na alfabetização dos detentos que não tiveram acesso à educação básica.

 

Em conformidade com a Lei de Execuções Penais e com a portaria expedida pelo Juízo de Execução Penal da Comarca, a leitura e resenha de uma obra literária durante o período máximo de um mês garante aos detentos quatro dias de remição da pena. Além disso, cada três dias trabalhados equivalem a um dia remido da pena. O projeto tem possibilitado ainda a leitura de poemas feitos pelos presos participantes na emissora de rádio local. (Com Rede Sul)

 

 

 

33967
com_k2.item
(1 estrela, média 5.00 de 5)
Palmital - No município, detentos já conquistaram 126 dias de remição na pena5.00 out of 50 based on 1 voters.


Confira outras matérias publicadas em Palmital

Veja também:

  • Após mortes em presídios, juízes mandam soltar presos

    Os assassinatos de pelo menos 95 presos em estabelecimentos prisionais do Amazonas e de Roraima motivaram juízes estaduais a determinar a soltura de um grupo de presos que os magistrados consideram não oferecer risco à população. 

     

    No Amazonas, o juiz plantonista Leoney Figlioulo Harraquian atendeu ao pedido da Defensoria Pública estadual e ordenou a soltura de sete homens que estavam detidos em unidades prisionais de Manaus por não pagarem pensão alimentícia.

  • Após a morte de 99 presos, Temer diz que é necessário construir novos presídios

    Após a morte de 99 presos nos oito primeiros dias do ano, o presidente Michel Temer afirmou nesta segunda dia 09, que o país precisa de mais unidades prisionais.

     

    Em Esteio (RS), na região metropolitana de Porto Alegre, onde participou da entrega de 61 ambulâncias, o peemedebista também declarou que um dos cinco presídios de segurança máxima já anunciados pelo governo será construído no Rio Grande do Sul. O local, porém, não foi anunciado.

  • Cada preso no Paraná custa mais de 3 salários mínimos

    Em recente visita à 15ª SDP (Subdivisão Policial), o diretor do Depen (Departamento de Execução Penal do Paraná), Luiz Alberto Cartaxo, informou que cada preso no Paraná custa R$ 3 mil – o equivalente a mais de três salários mínimos – e que em um espaço curto de tempo poderá chegar a R$ 5 mil.

     

    Os números foram apresentados para justificar uma proposta de PPP (Parceria Público-Privada) que pretende construir e gerir presídios paranaenses.

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.