Últimas notícias de todo estado do Paraná

Multas por desmatamento ilegal no Paraná somam R$ 14,7 milhões


Publicado por: - 16/05/2017

O Instituto Ambiental do Paraná (IAP), divulgou nessa terça dia 16, o relatório com o balanço das fiscalizações feitas em 2016 para coibir o desmatamento ilegal em todo o Estado.

 

Os fiscais do Instituto lavraram 1275 autos de infração por desmatamento ilegal e notificações que somam mais de R$14,7 milhões em multas.

 

Os dados do trabalho serão encaminhados ao Ministério Público que poderá fazer novas investigações e tomar as medidas legais cabíveis.

 

As fiscalizações fazem parte de uma “força-tarefa” criada para combater o desmatamento ilegal no Estado e envolveu um planejamento estratégico com o uso de imagens de satélite, histórico de autos de infrações de anos anteriores e autorizações florestais emitidas.

 

“Com o planejamento e a compilação de informações o trabalho de campo tem apresentado mais resultados, pois quando encontramos o infrator ambiental sabemos se ele já foi autuado anteriormente e se ele recebeu algum tipo de autorização e está agindo em desacordo com ela”, explica o presidente do IAP, Luiz Tarcísio Mossato Pinto.

 

ÁREAS - As regiões que mais registraram autos de infração por desmatamento ilegal foram Curitiba e Região Metropolitana (184 autos), Guarapuava (137 autos) e Litoral (108 autos).

 

Ao todo, uma área maior que 17,4 mil quilômetros quadrados foi desmatada em desacordo com as autorizações florestais emitidas ou sem a devida autorização do órgão ambiental.

 

“Nessas áreas há maior concentração de florestas e a cultura do desmatamento ainda está presente. Os dados mostram que precisamos trabalhar ainda mais nesses locais”, afirmou o diretor de Proteção e Emergências Ambientais do IAP, José Antonio Faria de Brito.

 

ARAUCÁRIA – Para proteger a araucária, árvore símbolo do Paraná, o IAP vem trabalhando em estudos para o desenvolvimento de novas políticas para autorização de cortes e incentivo ao reflorestamento. Porém, o relatório apresentado mostra que os fiscais da instituição constataram a derrubada ilegal de 2995 araucárias.

 

A maior parte delas foi encontrada pelos fiscais do IAP do Escritório Regional de Guarapuava, onde se concentra a maior parte de florestas de araucárias do Paraná.

 

PENALIDADES

 

Quem pratica o desmatamento ilegal pode ser multado em até R$ 10 mil por hectare, ou fração, e ainda responder a processo por crime ambiental.

 

No caso do corte da araucária, o valor do auto é de R$ 500,00 por árvore derrubada, além daquela referente à área que sofreu desmatamento ilegal.

 

Se o desmatamento ocorrer dentro de Áreas de Preservação Permanente (APP), o valor da multa pode variar de R$ 5 mil a R$ 50 mil por hectare ou fração de vegetação atingida.

 

Os métodos utilizados para o desmatamento irregular podem elevar o valor da multa, como o uso de fogo e a supressão de espécies ameaçadas de extinção. Além disso, a área desmatada deve ser recuperada e passa a ser embargada para demais atividades.

 

Se houver reincidência, isto é, quando o infrator já foi autuado ou respondeu criminalmente por desmatamento, o auto de infração poderá ser ainda maior e até triplicar o valor da multa administrativa.

 

Aqueles que foram autuados nas operações durante o ano, além de multa, podem responder a processo criminal. 

 

 

O IAP também divulgou os números gerais de autos de infração lavrados em 2016.

 

De acordo com os dados apresentados, foram lavrados durante o ano 2484 autos de infração, um aumento de 21,5% em comparação com 2015.

 

São autuações por desmate, pesca irregular, caça, lançamentos irregulares de efluentes, parcelamento de solo, entre outros.

 

“Como fechamos o cerco contra o desmatamento ilegal, com certeza a maior parte dos autos lavrados pelo instituto é referente ao desmatamento ilegal, mas também temos muitos outros autos lavrados por danos a nossa fauna”, explica o diretor de Proteção e Emergências Ambientais do IAP, José Antonio Faria de Brito.

 

Esses autos correspondem a R$ 5,32 milhões em multas que não necessariamente serão recebidas pelo Instituto, uma vez que ao ser julgado, o auto pode ser cancelado, reduzido ou pago com desconto.

 

“O maior objetivo da fiscalização não pode ser o recolhimento de multas e sim a orientação e educação ambiental da nossa população. Só assim coibiremos a continuidade dos danos e a reincidência dos infratores”, conta o presidente do IAP, Luiz Tarcísio Mossato Pinto.

 

Entre os Escritórios Regionais que mais lavraram autos de infração em 2016 foram Curitiba, Cascavel e Guarapuava, respectivamente. (Com Bem Paraná)

 

 

 

44152
com_k2.item
(0 estrelas, média 0 de 5)
Multas por desmatamento ilegal no Paraná somam R$ 14,7 milhões0 out of 50 based on 0 voters.


Confira outras matérias publicadas em Paraná

Veja também:

  • Paraná registra mais um recorde de doações de órgãos

    O Paraná registrou no último mês de abril o maior número de doações efetivas de órgãos da história do Estado.

     

    Segundo estatísticas da Central Estadual de Transplantes (CET) foram 47 doações no último mês.

  • Batidas de veículos em postes causam 16 desligamentos por dia no Paraná

    Batidas de veículos em postes causam em média 16 desligamentos por dia no Estado, comprometendo o fornecimento de energia a residências, comércio, hospitais e a outras unidades essenciais.

     

    Em 2016, os acidentes de trânsito que danificam a rede elétrica foram responsáveis por 6.123 desligamentos.

  • JBS pagará indenização de R$ 10 milhões a trabalhadores demitidos em 2011

    O Ministério Público do Trabalho de São Paulo (MPT) fechou acordo para pagamento de indenização dos trabalhadores demitidos da unidade da empresa JBS de Presidente Epitácio (SP), em setembro de 2011, quando o frigorífico encerrou temporariamente suas atividades na cidade.

     

    Pelo acordo fechado nessa quinta-feira (25), segundo informações do MPT, a empresa pagará um valor total de R$ 10 milhões aos mais de mil demitidos.

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.