Últimas notícias no Brasil e no Mundo

Menina de 13 anos salva oito vidas com doação recorde de órgãos


Publicado por: - 11/09/2017

A doação de órgãos da menina Jemima Layzell, de 13 anos, estabeleceu um novo recorde na Inglaterra, segundo autoridades do país: foram salvas oito vidas, incluindo as de cinco crianças.

 

Jemima, de Somerset (Reino Unido), morreu em 2012 de um aneurisma cerebral, mas sua contribuição só foi revelada nesta semana pelo sistema de saúde britânico, o NHS.

 

Graças à permissão dos pais da criança, foram doados o coração, o pâncreas, os pulmões, os rins, o intestino delgado e o fígado de Jemima.

 

Os pais se lembram dela como uma menina inteligente, caridosa e criativa. "Temos certeza de que ela ficaria muito orgulhosa do seu legado", disseram.

 

O Departamento de Sangue e Transplantes do NHS assegurou que nenhum outro doador havia ajudado tanta gente antes.

 

Jemima sofreu um desmaio enquanto ajudava a organizar a festa de aniversário de 38 anos da mãe.

 

Quatro dias depois, ela morreu no Hospital Infantil de Bristol, na Inglaterra.

 

O coração, o intestino delgado e o pâncreas foram transplantados para três pessoas diferentes, enquanto outras duas pessoas receberam os rins.

 

Seu fígado foi dividido em dois e transplantado para outras duas pessoas, e seus dois pulmões foram para o mesmo paciente.

 

Normalmente, uma doação pode alcançar até 2,6 transplantes - portanto, o número de oito vidas salvas é muito incomum.

 

'Especial e única'

 

A mãe de Jemima, Sophy Layzell, que é professora de teatro, e seu pai, Harvey Layzell, diretor de uma empresa de construção civil, disseram que sabiam que a garota queria ser doadora porque conversaram com ela sobre o assunto algumas semanas antes de sua morte.

 

O tema surgiu depois que um conhecido da família morreu em um acidente.

 

"A pessoa que morreu estava registrada como doadora, mas devido às circunstâncias de sua morte, seus órgãos não puderam ser usados", lembrou Sophy.

 

"Jemima nunca tinha ouvido falar de doação de órgãos antes e achou isso estranho, mas entendeu o quão importante isso era", acrescentou.

 

A mãe confessa que a decisão de doar os órgãos da filha foi difícil, mas era a escolha correta.

 

"Todo mundo quer que seu filho seja especial e único, e isso, entre muitas outras coisas, nos faz sentir muito orgulhosos dela", disse a mãe.

 

"Pouco depois da morte de Jemima, vimos um programa de TV sobre crianças à espera de um transplante de coração", lembrou.

 

"Isso nos fez perceber que dizer 'não' seria negar a outras oito pessoas a chance para a vida, especialmente no que diz respeito ao coração de Jemima, o qual Harvey se sentiu desconfortável de doar naquele momento. Mas depois do programa, soubemos que era a decisão correta", concluiu.

 

Os pais de Jemima dizem acreditar ser muito importante conversar com as crianças sobre a doação de órgãos.

 

Com a irmã de Jemima, Amelia, de 17 anos, eles coordenam hoje a ONG The Jemima Layzell Trust, que ajuda jovens com danos cerebrais e também promove a doação de órgãos.

 

"O instinto de qualquer pai é dizer não, estamos programados para proteger nosso filho. Mas foi nossa conversa prévia com Jemima que nos permitiu dizer sim", disse o casal.

 

O que é um aneurisma cerebral?

 

Um aneurisma é um nódulo em um vaso sanguíneo, causado pela fragilidade em uma das paredes.

 

Esse nódulo pode se desenvolver em qualquer parte do corpo, mas é mais comum no cérebro e ao redor do coração.

 

No caso do cérebro, se essa protuberância dos vasos sanguíneos explode, o sangramento causa graves danos ao cérebro - e normalmente leva à morte ou a graves sequelas.

 

Geralmente, não há sinais prévios do problema antes da ruptura do aneurisma.

 

Ainda não são claros os motivos para que surjam aneurismas em crianças, ainda que esse problema de saúde seja raro entre elas. (Com UOL)

 

 

 

46764
com_k2.item
(0 estrelas, média 0 de 5)
Menina de 13 anos salva oito vidas com doação recorde de órgãos0 out of 50 based on 0 voters.


Confira outras matérias publicadas em Notícias no Brasil e no Mundo
Mais sobre

Veja também:

  • Menina baleada por colega em escola está paraplégica, diz hospital

    Uma estudante de 14 anos, ferida pelo adolescente que abriu fogo contra colegas de sala de aula, perdeu o movimento das pernas e está paraplégica, confirma boletim médico divulgado na manhã desta quarta dia 25, pelo Hospital de Urgências de Goiânia, onde ela está internada na UTI desde a última sexta dia 20, dia da tragédia.

     

    A mãe da adolescente já havia adiantado sobre o risco de a filha ficar paraplégica, em entrevista à Folha de S.Paulo no domingo dia 22.

  • Menina de 16 anos é apreendida com arma e munições dentro de escola pública

    Uma estudante de 16 anos foi apreendida na segunda dia 23, com um revólver calibre 32, além de 20 munições, nas dependências Escola Estadual Professora Helena Kolody, na região central de Cambé (norte do Paraná). 

     

    Segundo a Polícia Civil de Cambé, a direção da escola recebeu a informação de que teria uma estudante com uma arma de fogo na sala de aula.

  • Menina de 2 anos é internada com larvas na cabeça

    Uma criança de dois anos está internada no Hospital Tricentenário, em Olinda, no Grande Recife, após ser encontrada com larvas de mosca da cabeça, nesse domingo dia 22.

     

    A menor está sendo acompanhada pelo pai e não tem previsão de alta.

Entre para postar comentários