TV Cantu

Vende-se casa em Cantagalo


Publicado por: - 28/08/2013

Ótima casa toda em alvenaria.

 

Valor: R$70.000.00 (Setenta mil reais).

 

[Seu telefone para contato sobre o anúncio:] 42- 9101-9501 ou 42- 9962- 2588

 

Vende-se uma casa toda em alvenaria medindo 120 m², 3 quartos, sala, copa, cozinha, banheiro, área de serviço, churrasqueira, garagem para 2 carros, toda com grades e murada, lote plano e (ESCRITURADA)... Próxima ao CTG Vila Verde em Cantagalo.

 

Aceita-se carro!

 

 

 

 

Informações pelos fones 42-9962-5288 ou 46-9101-9501.

 

 

 

 

6663
com_k2.item
(1 estrela, média 1.00 de 5)
Vende-se casa em Cantagalo1.00 out of 50 based on 1 voters.


Confira outras matérias publicadas em Classificados

Veja também:

  • Cantagalo - Quatro pessoas são condenadas por desvio de verbas de diárias na Câmara

    Um esquema de desvio de verbas públicas por meio do pagamento de diárias a vereadores e servidores da Câmara Municipal de Cantagalo, teve na última semana sua primeira condenação, na esfera criminal.

     

    Dois vereadores (um deles ex-presidente da Câmara Municipal, gestão 2012-2016) e dois ex-funcionários (ex-assessor de imprensa e ex-diretor-geral da Casa Legislativa, atuantes no mesmo período) foram condenados por peculato e falsidade ideológica. 

  • Casa contêiner: uma alternativa sustentável

    A sustentabilidade tem ganhado cada vez mais atenção: na moda, com a criação de roupas e consumo sustentável; na alimentação, com a escolha por itens mais saudáveis e a preocupação com o desperdício; e nos meios de transporte, com o destaque para o uso da bicicleta.

     

    Agora, também observamos este tema com espaço na construção civil.

  • Cantagalo - Ex-prefeito é condenado por contratar ex-vereador como funcionário “fantasma”

    A Justiça de Cantagalo, no Centro-Sul paranaense, condenou um ex-vereador (gestão 2009-2012) e um ex-prefeito (gestão 2012-2016) por improbidade administrativa.

     

    O prefeito na época, Evenson Konjunski (2014) foi acionado pela Promotoria de Justiça da comarca por nomear o ex-parlamentar para o cargo de chefe de departamento da prefeitura, pelo qual era remunerado, sem prestar serviço algum à Administração Municipal.

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.