Últimas notícias de todo estado do Paraná

O juiz Sérgio Moro, da Operação Lava Jato, disse nesta segunda dia 02, que "não é da sua responsabilidade" o fato de o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva eventualmente poder se candidatar à Presidência em 2018.

 

Após almoço no hotel Fasano, em São Paulo, durante o qual foi homenageado pela Universidade Notre Dame com o mesmo prêmio já concedido até à madre Teresa de Calcutá, Moro foi indagado pelo jornalista Philip Reeves da Rádio Pública Americana, sobre como via o fato de alguém condenado por ele, no caso o ex-presidente Lula, poder se candidatar à Presidência e, eventualmente, se eleger.

Alvo de inúmeros processos na Justiça e já condenado em primeira instância a nove anos e meio de prisão por corrupção e lavagem de dinheiro, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva segue liderando todos os cenários para a disputa pelo Palácio do Planalto em 2018.

 

Apesar de um índice de rejeição de 42% (o maior entre todos os possíveis presidenciáveis), o líder petista também superaria todos os seus adversários no segundo turno caso a votação fosse hoje, de acordo com novo levantamento do instituto Datafolha.

O dono do apartamento vizinho ao de Lula, o empresário e engenheiro Glaucos da Costamarques, não tinha renda para comprar um terreno que seria destinado ao Instituto Lula nem o imóvel ao lado ao do ex-presidente.

 

Há também fortes indícios de que ele seja um laranja, tudo segundo análise feita pela Receita Federal.

O juiz federal Sérgio Moro deu prazo de 15 dias para que a defesa do ex-presidente Lula prove que metade dos R$ 606 mil de contas bancárias ligadas ao petista tem como origem a parte da ex-primeira-dama Marisa Letícia no patrimônio do casal. Ela morreu em fevereiro.

 

Ao condenar o ex-presidente a 9 anos e 6 meses de prisão por lavagem de dinheiro e corrupção passiva, Moro também mandou confiscar R$ 16 milhões supostamente oriundos de uma conta de propinas que a OAS teria com Lula e seu partido.

Lula chega a Curitiba em carro de passeio e dispensa escolta da PRF

Confira outras matérias publicadas em Paraná
- 13/09/2017

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva chegou a Curitiba, no Paraná, por volta da meia-noite, segundo a Polícia Rodoviária Federal, em um carro de passeio. Ele dispensou a escolta policial que foi oferecida.

 

Diversas forças de segurança foram escaladas para atuar no esquema definido para o segundo depoimento do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva à Justiça Federal em Curitiba, hoje. 

Pagina 1 de 19