Últimas notícias de todo estado do Paraná

Enfermeira responde médico que ofendeu classe profissional e mensagem viraliza


Publicado por: - 14/10/2017

Uma enfermeira de Maringá (PR) fez uma carta pública em resposta a postagem do médico Cassius Frigulha em que enfermeiros eram ofendidos.

 

O caso ganhou grande repercussão na última quinta nas redes sociais e ganhou um novo episódio.

 

Cassius questionou o posicionamento de enfermeiros que, segundo palavras dele postadas na internet, estudam metade do tempo que um médico e querem agir como o profissional. Ao fim do texto, o Médico ainda chamou os enfermeiros de frustrados.

 

"Para que fazer enfermagem se querem agir como médicos?  Façam Medicina! Enfermagem é cuidado, intubar, prescrever, diagnosticar e tratar, é sempre foi e sempre será atribuição médica! Não adianta fazer cursinho de bosta! Frustrados!"

 

Uma retratação pública foi feita pelo Médico Cassius Frigulha que pediu desculpa pela opinião equivocada e que estaria com alguns problemas pessoais e por isso acabou ofendendo toda a classe de enfermeiros sem necessidade.

 

O pedido de desculpas, porém, não diminuiu a repercussão e a polêmica em torno do episódio.

 

A resposta da enfermeira sobre a postagem do médico já foi compartilhada dezenas de vezes.

 

 

Veja:

 

Senhor Dr. Cassius,

 

Fiz o curso de Enfermagem e nunca pensei que seria menos, por essa escolha.

 

Estudei 4 anos de graduação (INTEGRAL), dois de especialização, dois de mestrado, quatro de doutorado e mais um de pós-doutorado. Estudei pouco? Ainda preciso muito mais. Estudo todos os dias. Não sou menos nem mais que meus colegas de profissão, somos uma equipe. Aprendemos um com o outro.

 

Sobre intubar, prescrever, diagnosticar e tratar, é uma área médica que sempre vamos admirar por toda dedicação e anos de estudo que vocês médicos possuem. Eu conheço centenas deles, dedicam suas vidas para salvar outras. Terão sempre o nosso respeito! 

 

Sabe o que é frustração? 

 

Frustração, é um profissional de saúde ir trabalhar e não ter o mínimo de condições de trabalho.

 

É ver meus colegas trabalharem (6h, 12h, 24h) em dois ou três empregos para conseguirem manter uma família.

 

Frustração é ver o corredor de um hospital repleto de pacientes engavetados, por falta de leito hospitalar.

 

Sabe Dr. Cassius, eu trabalho com pessoas com doenças raras e a minha maior frustração hoje, é assistir a morte deles todos os dias por falta de medicamento. 

 

Ah ...

 

No meu curso de graduação, eu também aprendi higienizar o paciente. Uma vez, eu cheguei no quarto do paciente (cerca de 70 anos) ele tinha câncer no pescoço e o cheiro estava realmente muito forte. Ele me disse que recebia poucas visitas da família e ficava muito sozinho. Então, conversando com ele... iniciei a higienização (essa é a terminologia, ok?). Auxiliei no banho, fiz a barba, o curativo, cortei as unhas e cortei o cabelo também. Quando me despedi, ele sorriu!Talvez, ele tivesse só mais alguns dias de vida ... 

 

Nos momentos de higienização, conseguimos identificar sinais e sintomas importantes que podem auxiliar a conduta médica. Muito longe de fazer um diagnóstico e sim um trabalho em equipe.

 

Sobre "dar ordens" , temos uma disciplina denominada Administração em Enfermagem ou gestão em saúde pública. O Brasil, é um dos poucos países que forma o enfermeiro para ser líder de equipe. Ele é habilitado para fazer gestão de uma enfermaria, um hospital ou um município. Aliás, entre os profissionais de saúde, é o mais preparado sim. Tenho muitos ex alunos trabalhando como secretários de saúde, e desempenham com excelência o seu papel. A relação está muito longe de “dar ordens", mas sim em dominar o assunto e organizar o cuidado ao paciente ou serviço de saúde. Brigamos pelo paciente, pois conhecemos os pormenores na vida de cada um deles.

 

Sou grata pela minha profissão e pela existência de cerca de 1.480.653 enfermeiros que cuidam do Brasil.

 

Enfermeira Geisa Luz

 

Maringá - Paraná

 

 

 

 

 

Por Maycon Corazza (CGN)

 

 

 

47558
com_k2.item
(3 estrelas, média 2.67 de 5)
Enfermeira responde médico que ofendeu classe profissional e mensagem viraliza2.67 out of 50 based on 3 voters.


Confira outras matérias publicadas em Paraná
Mais sobre

Veja também:

  • Polícia prende falso médico que ganhava quase R$ 50 mil por mês

    Um homem de 32 anos foi preso por se passar por médico e atuar na área durante dois anos, com nome e registro profissional de outra pessoa, em Maringá, no Paraná. Segundo a Polícia Civil, o falso médico tinha salário mensal de quase R$ 50 mil.

     

    Conforme investigação da Seção de Furtos e Roubos, o caso veio à tona após uma denúncia da própria empresa que contratou o rapaz.  A direção da empresa descobriu que Denis Wilian Fraquetta usava registro de outro médico. Ele foi contratado em 2015 pela administradora que fica em Maringá e presta serviço aos municípios de Altônia, Bom Sucesso e São Jorge do Patrocínio.

  • Médico é sequestrado com ambulância para atender a criminoso baleado

    Um médico foi sequestrado junto com a ambulância de um posto de saúde na madrugada de ontem dia 15, no Complexo da Maré, na zona norte da cidade do Rio de Janeiro.

     

    Segundo a Polícia Civil divulgou hoje dia 16, criminosos invadiram a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da Maré por volta das 2h45 de domingo.

  • Enfermeira é agredida com soco enquanto socorria vítimas de acidente

    Uma enfermeira do Samu foi agredida no final da tarde de domingo dia 15, na cidade de Paranavaí. A equipe se deslocou para atender duas pessoas vítimas de um acidente de motocicleta na rodovia PR-158.

     

    Além da UTI móvel do Samu, o corpo de bombeiros também foi até o local. De acordo com informações repassadas aos socorristas, as vítimas estariam embriagadas e feridas.

Entre para postar comentários