Últimas notícias no Brasil e no Mundo

Furacão Irma destruiu 90% da ilha do Caribe, dizem autoridades


Publicado por: - 07/09/2017

Autoridades disseram nesta quarta dia 06, que até 90% da ilha de Barbuda teve suas construções destruídas ou danificadas pela passagem do furacão Irma, de categoria cinco.

 

As ilhas de Antigua e Barbuda foram uma das primeiras no Caribe a serem atingidas pelo fenômeno, que ainda passou por Saint Martin, Saint Barth e estava em Porto Rico na noite de quarta. Até agora, pelo menos sete pessoas morreram.

 

"Barbuda está literalmente em escombros", disse o primeiro-ministro Gaston Browne para uma rede local. Segundo ele, o Irma danificou severamente grande parte das residências de Barbuda. Pelo menos 1.800 pessoas vivem na ilha, que está sem água ou serviços telefônicos. Segundo ele, um bebê morreu no local.

 

Charles Fernandez, ministro de Relações Exteriores de Antigua e Barbuda, afirmou que a destruição deve passar dos 90% na ilha.

 

Ao menos seis mortes foram registradas na parte francesa da ilha de Saint Martin, após a passagem do furacão Irma, informou nesta quarta-feira Eric Maire, prefeito do departamento francês de Guadalupe. Maire advertiu sobre a previsão de que "entre 60% e 70% das residências" de Saint Martin foram destruídas. O aeroporto Internacional Princesa Juliana, da ilha de Saint-Martin, o terceiro com maior número de passageiros do Caribe, foi devastado.

 

O olho de Irma, de quase 50 km de diâmetro, permaneceu por cerca de uma hora e meia sobre a ilha francesa de Saint Barth, para depois se deslocar a Saint Martin, que está dividida entre uma zona francesa e outra holandesa.

 

O Irma, com ventos máximos sustentados de 300 km/h, estava no caminho para chegar à Flórida no sábado ou domingo, tornando-se o segundo grande furacão a atingir território dos EUA em duas semanas. O furacão Harvey matou cerca de 60 pessoas e causou até 180 bilhões de dólares em danos após atingir o Texas no final do mês passado. Irma ainda ameaça República Dominicana, Haiti e Cuba.

 

Dois outros furacões se formaram na quarta-feira. Katia no Golfo do México não representava uma ameaça aos Estados Unidos, de acordo com os analistas norte-americanos. Mas o furacão José, no Atlântico, cerca de 1.600 km a leste das Pequenas Antilhas, pode eventualmente ameaçar o continente dos EUA. (Com UOL)

 

 

 

46713
com_k2.item
(0 estrelas, média 0 de 5)
Furacão Irma destruiu 90% da ilha do Caribe, dizem autoridades0 out of 50 based on 0 voters.


Confira outras matérias publicadas em Notícias no Brasil e no Mundo

Veja também:

  • Maria se transforma de novo em furacão enquanto se afasta da costa dos EUA

    O Maria se fortaleceu outra vez nessa quarta dia 27, recuperando a intensidade de furacão, com ventos máximos constantes de 120 quilômetros por hora (km/h), enquanto se afasta da costa sudeste dos Estados Unidos, informou o Centro Nacional de Furacões (NHC).

     

    Depois de castigar, na última quarta dia 20, como furacão de categoria 4, as regiões de Porto Rico, Dominica e as Ilhas Virgens Britânicas, Maria está agora 365 quilômetros ao leste-nordeste de Cape Hatteras, no estado da Carolina do Norte, segundo o órgão.

  • Chegada do furacão Maria gera alerta vermelho em San Martín e São Bartolomeu

    O furacão Maria atinge nesta terça dia 19, o arquipélago francês de Guadalupe, em particular o sul, onde as autoridades pediram à população que permaneça confinada, ao mesmo tempo em que decretaram alerta vermelho em outras duas ilhas, as de San Martín e São Bartolomeu. A informação é da Agência EFE.

     

    Segundo boletim do Guadalupe de Météo France, no sul são esperados ventos de 180 quilômetros por hora (km/h), com rajadas de 220km/h ou até superiores, durante várias horas.

  • Irma perde força nos EUA. Mas outro furacão pode mudar rota e vira nova ameaça

    Países da América Central e da América do Norte podem sofrer em breve com a passagem de um novo furacão. Depois de Harvey, Katia e Irma, a ameaça agora é José, que pode mudar seu curso no Oceano Atlântico e alcançar regiões povoadas.

     

    As informações são do Centro Nacional de Furacões (NHC, na sigla em inglês), órgão meteorológico norte-americano.

Entre para postar comentários