Últimas notícias de Marquinho

Projeto de bloqueadores de celular nos presídios do Paraná será retomado


Publicado por: - 17/01/2017

O Secretário de Segurança Pública, Wagner Mesquita, afirma que o governo vai retomar o projeto de instalar bloqueadores de sinal de celular nos presídios do Paraná.

 

O plano é antigo, mas acabou adiado por uma série de reviravoltas.

 

Em novembro de 2014, a Assembleia Legislativa do Paraná (Alep) aprovou uma lei que obrigava as operadoras de telefonia a fornecerem o serviço. As empresas, porém, entraram na Justiça, e em agosto do ano passado o Supremo Tribunal Federal (STF) revogou as leis do Paraná e de mais três estados, desobrigando as teles de fazerem o bloqueio.

 

“É um projeto custoso”, diz Mesquita.

 

Algumas penitenciárias pelo país já possuem o sistema. Em São Paulo, o governo estadual pagou R$ 31,2 milhões em 2014 para a instalação da aparelhagem em uma única unidade, em Presidente Venceslau. O bloqueio de celulares é tido como uma das medidas fundamentais para atrapalhar o diálogo das facções entre os que estão dentro e fora do sistema carcerário. Mas não é a única: também devem ser implantadas, segundo o governo, a visita virtual feita pelo computador –, nos moldes das penitenciárias federais, e as audiências judiciais por videoconferência, para evitar o deslocamento dos presos e o risco dos policiais que os escoltam.

 

“Nós temos que bloquear as comunicações [de celular], sim, mas permitir que haja uma comunicação [com visitantes] controlada”, diz Mesquita. (Com Paraná Portal)

 

 

 

41627
com_k2.item
(0 estrelas, média 0 de 5)
Projeto de bloqueadores de celular nos presídios do Paraná será retomado0 out of 50 based on 0 voters.


Confira outras matérias publicadas em Marquinho

Veja também:

  • Governo do PR lança editais para contratação de professores e pedagogos

    A Secretaria de Estado da Educação publicou editais para contratação, por meio do Processo Seletivo Simplificado (PSS), de professores, pedagogos, tradutores e intérpretes de Língua Brasileira de Sinais e agentes que atuarão na rede pública estadual e rede conveniada.

     

    O número de vagas depende da necessidade das regionais.

     

  • Acidentes matam um jovem a cada 14 horas no Paraná

    Principal causa de mortalidade infantil em todo o mundo, os acidentes causam no Paraná a morte de uma criança ou adolescente a cada 14 horas.

     

    Segundo informações do Ministério da Saúde, entre 2011 e 2015 (último ano com dados disponíveis) foram 3.113 óbitos no estado envolvendo jovens com idade entre 0 e 19 anos.

  • Paraná é o terceiro estado do País com maior número de escoteiros

    O lema escoteiro “sempre alerta” ecoa com cada vez mais força no Paraná diante da crescente que o movimento tem registrado ao longo dos últimos anos.

     

    Hoje são 9 mil escoteiros espalhados entre os 112 grupos existentes no estado, dos quais 48 estão em Curitiba e Região Metropolitana.

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.