Dicas de saúde, relacionamento e beleza

Verão exige cuidado redobrado com a pele e os cabelos


Publicado por: - 22/12/2016

O início do verão e a chegada das férias têm levado inúmeras pessoas às praias do país. Porém, a diversão no litoral deve vir acompanhada de alguns cuidados com o sol para evitar problemas futuros.

 

Para se ter uma ideia, o câncer de pele, ocasionado pela exposição excessiva ao sol, é o câncer mais frequente no Brasil, com 176 mil casos registrados ao ano.

 

Por isso, os dermatologistas fazem algumas recomendações a fim de garantir a alegria constante nas férias. 

 

O protetor solar deve ser o primeiro item a ser colocado na mala. Mas, para garantir sua eficácia é necessário escolher o tipo certo. Para isso, é importante entender alguns fatores a respeito das emissões solares. 

 

"O sol emite dois tipos principais de radiação que prejudicam a pele, a UVA (Ultravioleta A) e UVB (Ultravioleta B). O UVA está presente durante todo o dia e é o principal responsável pelo bronzeamento tardio. Já o UVB é o principal responsável pelas queimaduras solares e manchas, com maior incidência das 10h às 16h ", explica o médico dermatologista André Lauth.

 

Sabendo disso, ao escolher o protetor alguns critérios precisam ser observados. Por exigência da ANVISA, todo protetor solar deve conter em sua embalagem o FPS (que mede a proteção contra UVB) e o PPD (que mede a proteção contra UVA). Segundo o Dr. André Lauth, o ideal é que o protetor solar tenha um FPS 30 ou maior. "Já o PPD, pode estar na embalagem como um número, que deve ser pelo menos 1 do FPS, ou em sinais de positivo (+). Um sinal significa baixa proteção UVA e três, alta proteção UVA", explica. 

 

A escolha deve levar ainda em consideração o tipo de pele de cada um. Peles secas, geralmente, aceitam bem a maioria dos produtos disponíveis no mercado. Entretanto, as pessoas com pele mistas e oleosas devem escolher protetores com toque seco, oil control (com controle de oleosidade) ou oil free (livre de óleo), informações que devem estar presentes nos rótulos dos produtos. 

 

Em relação à quantidade a ser aplicada para que o filtro forneça a proteção descrita na embalagem, os dermatologistas orientam o uso de 1 a 1,5 grama de protetor solar, o que equivale a uma colher de chá, isso apenas no rosto. 

 

"A maioria das pessoas têm por hábito usar menos que 0,5, grama, o que faz com que o filtro não proteja de acordo com as informações do rótulo. Por esse motivo, nós dermatologistas, indicamos o uso de protetores com FPS acima de 50. O produto deve ser aplicado 15 a 30 minutos antes do início da exposição ao sol, devendo ser reaplicado a cada 2 horas e/ou após banhos de ducha, mar e piscina", detalha Lauth. 

 

O sol é ainda um grande vilão para os cabelos e lábios. No caso dos cabelos, o ideal é usar produtos leave in (cremes sem enxágue) com protetor solar e ao fim do dia lavar bem para retirar todo o creme, o excesso de oleosidade e/ou resíduos da água do mar/piscina. O uso de uma máscara hidratante de acordo com o tipo de cabelo também é recomendado. 

 

"Os cabelos com química devem receber ainda mais cuidado, pois já estão parcialmente danificados. Já os lábios, devem ser protegidos com protetores específicos. Estes devem ser aplicados pelo menos a cada duas horas ou antes, caso tenham sido removidos por bebidas e saliva, por exemplo", completa o especialista.

 

 

 

40824
com_k2.item
(0 estrelas, média 0 de 5)
Verão exige cuidado redobrado com a pele e os cabelos0 out of 50 based on 0 voters.


Confira outras matérias publicadas em Portal Mulher

Veja também:

  • Acidentes elétricos causaram quase 600 mortes em 2016, diz estudo

    Acidentes com eletricidade causaram 599 mortes no Brasil em 2016, segundo levantamento divulgado hoje dia 04, pelo Instituto Brasileiro do Cobre (Procobre).

     

    Desses, 171 foram acidentes domésticos.

  • Saúde reforça cuidados com gripe e com doenças "parecidas"

    A Secretaria estadual da Saúde promove, hoje, o VI Seminário Estadual sobre Influenza e Outras Doenças Respiratórias Agudas.

     

    Com a proximidade do clima mais frio, as atenções da saúde se voltam para as doenças respiratórias. Muitas têm sintomas parecidos, e acabam confundindo o paciente.

  • 5 truques para melhorar o aspecto visual da pele cansada

    Se você está perto ou tem mais de 30 anos, você certamente já se olhou no espelho e percebeu que sua pele mostrava sinais de cansaço.

     

    Esses sinais não são necessariamente causados pela passagem do tempo, ou seja, nem sempre são indícios de envelhecimento, podendo ter outras origens.

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.